sábado, 7 de julho de 2018

Inverno das àguas



Acompanho os movimentos do tempo, rodopio veloz na escuridão.
Deságua em mim a força das tempestades.
Já mergulhei no vazio e aprendi a levantar.
Incorporei destruições.
O frio da solidão corta, mas não quebra.
Não temo a rota dos ventos, sei ser.
Me reinvento.
Eu também sou o escuro da noite.
Andréa Beheregaray.
Inverno das águas e tempestades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário