Insônia.

 
 
 
Insônia daquelas bem largas que deixa o tempo suspenso e faz viajar sem sair do lugar.
Insônia daquelas brabas que vem levantando poeira, sacode, revira, na beira e deixa de fora as arestas, que puxa e amassa os lençóis da memória, histórias. ]
Insônia desperta e não presta, que vem bagunçando lembranças de tudo aquilo o que somos nós...
Nós, são laços insones, insanos, em chamas, recuerdos, são fendas, são frestas,
incertas, certezas do que já nem sei.
Insônia, insônia é o nome, teu nome meu amor e eu bem sei.

Andréa Beheregaray.
 
 
 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É a vida!

Ser.

Amores mortos