Sem paciência.





Gosto de pessoas objetivas, não tenho paciência nenhuma pra gente lenta, enrolada, insegura. Gente grande que ainda não aprendeu que quem não arrisca não petisca e se não petiscar, paciência, por que crescer é também aprender a aceitar o não e saber que nem sempre se ganha. Quem quer, quer; quem não quer, não quer; quem está em dúvida assume o risco de perder a vez; e quem tem medo que espere sentando no banco das vítimas do destino que nada mais são do que aqueles que, por medo do fracasso, passam a vida paralisados pelo medo de tentar.

Andréa Beheregaray.


Comentários

  1. entro te visito te vejo paciente, visite-me,
    http://chebolas.blogspot.com.br/
    pela vida virtualmente objetiva.
    ;)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

É a vida!

Ser.

Amores mortos