terça-feira, 31 de julho de 2012

Fiz um samba para o meu amor.





Dia desses fiz um samba
pra tocar pro meu amor
um amor que ainda não veio
mas eu sei que vai chegar

Um dia...

Eu fiz até batuque
pus pipoca na esquina
e toquei até tambor
pra pedir por um amor

Um dia...

Prometeu a Mãe de Santo
que ele vai secar meu pranto
acabar com meu lamento
e me fazer sorrir

Um dia...

Um dia me aparece 
um bom sujeito
pode ter até defeito
mas ele vai ser todo meu

Um dia...

Embrulhei o meu pedido
despachei a oferenda
Eu rodei a minha saia
pra ganhar um grande amor

Um dia...

Me aparece um bom sujeito
não precisa ser de grana
mas que diga que me ama
e me leve pra sambar

Um dia esse dia vai chegar.


Andréa Beheregaray

segunda-feira, 30 de julho de 2012

Cores Mortas



Os dias têm sido cinzas. Da janela posso vê-los passar. Meus olhos tristes estão gelados de ausência e dor. Você destruiu meu coração. O dia de amanhã não virá. A voz do homem canta o vazio, as notas da canção preenchem a sala fria e as horas avançam neste inverno rigoroso em que nada aquece. Não há mais perguntas, nem desejo ou esperança, os sonhos estão mortos, toda beleza e todo encanto também. Vive apenas o temor de ser vazio para sempre. Nenhuma fé, nenhum sorriso. Você me encontrou quando eu já não possuia nada e levou embora até o que eu não tinha.  

Andréa Beheregaray  

domingo, 29 de julho de 2012

Depois que você partiu.



Mar a dentro, sete milhas, estou diante de mim. Desapareço na linha em que o mar cai no vazio. Posso me ver partir neste dia de mar calmo e céu azul. O sol que aquece meu corpo na inércia, ausência de forças. Olhos surdos, margem de lágrimas. Partes de mim perdidas no silêncio naufragam na imensidão. Meu coração pesado afunda. Falo sozinha, sou eco, te busco no instante que não passa, te materializo nos meus dias, me abandono nesta casa vazia. Faço poemas, risco as paredes, escrevo, me alimento. Pego carona em todo sentimento que se anuncia e navego, sou uma exploradora. Marinheira das minhas tormentas, mergulho num mundo vasto a te procurar.


Trecho
Depois que você partiu.

sábado, 28 de julho de 2012

Amor de trás pra frente.



Já perdi as contas de quantas vezes pensei sobre isso. Não é verdade que o amor suporta tudo, não. O amor não suporta tudo. Se você precisa se destruir, humilhar, acabar com seus sonhos e seus sorrisos, por que acredita que o amor é assim mesmo, que deve suportar ausências, esperas, desrespeito e desengano, então sua noção de amor é bastante equivocada, principalmente a de amor-próprio.   


Trecho do livro novo
Romã- Amor de trás pra frente

Valor.

 
  São as atitudes e não as circunstâncias que determinam o valor de cada um.
 O que você diz, com todo respeito, é apenas o que você diz.

Bob Marley.

terça-feira, 24 de julho de 2012

TPM amorosa - reeditando.

do livro TPM - crônicas de uma mulher.




Sem vocação para vida afetiva. Fato. Deveria ter seguido meu projeto infantil de ser freira. Eu queria aos 6 anos, mas dai uma freira estúpida mudou meus planos. Hoje penso seriamente em celibato.

Vida afetiva me cansa. Só de pensar me dá sono. Não tenho saco para os (des)encontros que ela comporta. Não tenho energia. É muito trabalhosa. Nada prática, é tudo enrolado, teus quereres e os quereres do outro. Perde-se muito tempo envolvido com as questões amorosas.

Quando minhas amigas contam suas histórias, escuto. Se a situação está muito enrolada, meu conselho é sempre "vai trabalhar". Sei lá, vai trabalhar, fazer a caridade, plantar uma árvore, estudar.Usa a imaginação! O arranja outro.

Não, porque sou a favor da espera-ativa. O que é isso?
Bom, mulher quando está envolvida pode ficar muito tempo "esperando" o sujeito. Se quer esperar que espere mais espere ativamente. O que significa ter outros semi-afetos. Mas prático, torna a espera menos sofrida e o pessoal se diverte enquanto aguarda. Beija enquanto espera, essas coisas que a gente faz enquanto chora. 

Tanta coisa pra fazer na vida e a gente perdendo tempo e energia com "vida afetiva".

Porque se fosse só a gente envolvida nisso, mas tem os nossos quereres e os quereres do outro, que normalmente não fecham. Ou quando fecham nós já temos uns 10 anos de experiência na área, 5 relacionamentos fracassados, um desastroso, outro marcante de querer cortar os pulsos e 10 mil neurônios gastos. Energia que se bem utilizada nos colocaria no topo da cadeia alimentar.

As mulheres gastam 7 vezes mais energia nesse tipo de assunto que os homens. Certo.
Porque mulher é muito trabalhosa. Putz! Mulher é chata pra caramba com esses assuntos. Os homens também, sempre com essa mania de caçador. Se tu quer o cara não quer, se tu não quer o cara quer, se tem outro querendo o cara pode até não querer mas vai te procurar. Maldito Édipo, triângulos, triângulos...e quando é triãngulos ainda é lucro, poderia ser quarteto.

Eu, se fosse homem, pensaria duas vezes antes de me envolver com uma mulher. Porque assim, tudo que um homem fala a gente desdobra em 3 e examina o que foi dito uma centena de vezes tentando entender o sentido oculto da coisa dita. Se ele disse que "não" a gente acha que no fundo ele queria dizer sim, mas não consegue por que tem medo de amar. Se ele diz que sim, a gente acha que no fundo ele queria era dizer não, por que pode estar mal intencionado. E depois mulher quer casar, ter filhos, faz alta pressão conseguir isso e então descobrir que isso tudo que ela queria nem é isso "TUDO".

Aliás, pensar é outro impeditivo para vida amorosa. Se o sujeito pensa, ele dificilmente irá casar ou ter filhos - veja o Niet. Se começar a pensar muito ele vai pagar para ter vida sexual ou comprar uma boneca inflável. E a mulher também irá buscar outros recursos. Boneca inflável e acessórios femininos estão sempre disponíveis, não precisamos ficar angustiados. Fica tudo bem, tudo tranquilo, sem estresse. Muito fácil. Não precisa nem de preliminares.

Enfim, sem saco nenhum para vida afetiva. Muito melhor ler um livro.
Sim, sim, a TPM se avizinha por aqui!
Hoje minha visão da vida afetiva não está nada amadurecida, ou ao contrário, está muito. Só acho mesmo que as pessoas poderiam se quererem ao mesmo tempo e serem um pouco mais práticas.

O Mi(ni)stério da Saúde Mental adverte.



Se for dirigir não beba.
Se beber não mande mensagens.

  O Mi(ni)stério da Saúde Mental adverte -Álcool é potencialmente letal.



O centro do centro de Porto Alegre.


segunda-feira, 23 de julho de 2012

domingo, 22 de julho de 2012

Emoções mascaradas.



 
Não temos usado a palavra amor para não termos de reconhecer sua contextura de ódio, de amor, de ciúme e de tantos outros contraditórios. Temos mantido em segredo a nossa morte para tornar nossa vida possível. Muitos de nós fazem arte por não saber como é a outra coisa. Temos disfarçado com falso amor a nossa indiferença, sabendo que nossa indiferença é angústia disfarçada. Temos disfarçado com o pequeno medo o grande medo maior e por isso nunca falamos no que realmente importa. Falar no que realmente importa é considerado uma gafe.


Clarice Lispector em 
Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres. 

sábado, 21 de julho de 2012

Paz.






É tão gratificante perceber que, não importa o que aconteça, a gente continua se sentindo em paz.




Andréa Beheregaray

quarta-feira, 18 de julho de 2012

terça-feira, 17 de julho de 2012

Eu te quero bem.






Ele me abraço e disse com a voz firme e serena de quem não teme, de quem sabe o que fala e fala o que sente - me dá a tua mão, quero estar ao teu lado até a tempestade passar. Eu não vou soltar tua mão agora só por que este não é teu melhor momento, ou o mais alegre e feliz, eu quero estar com você por que te quero bem. E é você que me importa agora.     

E, então, eu afundei naquele abraço, naquela voz, naquele corpo quente tão cheio de amor e solidez e pensei que era assim, era exatamente assim que eu entendia o querer bem. Era estar ao lado do outro quando as coisas não vão bem, era não soltar a mão do outro no seu pior momento. Querer bem é permanecer de mãos dadas mesmo que o chão estremeça, é confiar na presença do outro quando já não confiamos em mais nada.  É suportar a tempestade para poder abraçar o sol. 




Andréa Beheregaray

sábado, 14 de julho de 2012

Truques do desejo



 
Era arrebatador e sabia disso. Tinha nascido equipado com todos os instrumentos para moer corações de mocinhas ingênuas e sonhadoras, e moia. Andava no limite com seus olhos sempre plenos de solidão. Fio de navalha embaixo dos meus pés descalços. Gostávamos do jogo, o jogo de não fazer jogo, puro gozo. Jogadores experientes do prazer parcial, deliciosas jogatinas no ir e vir do desejo. Estrategistas natos, não tivemos outra saída a não ser o jogo aberto. Vaidoso demais para se fazer de tolo, inteligente demais para lhe desmentir. Mantínhamos a corda esticada sobre o abismo do prazer puro. O amor era um luxo que não nos permitiríamos. Jogar foi o jeito que encontramos de nos distrair da ensurdecedora clareza do que somos nós. 




Andréa Beheregaray


Meias verdades.


quarta-feira, 11 de julho de 2012

Sobre ser solteiro - Discutindo a relação!

Quero dizer algo em minha defesa, nem tudo o que eu disse nesse vídeo eu penso.
É que o Felipe Vieira II acaba provocando meu animus e o debate fica polarizado, algo do tipo Guerra dos sexos.
Tenho ó péssimo hábito de revidar provocações, principalmente em TPM, fico exagerada, admito.

Então, eis a V edição do DR - Discutindo a relação! 

Assim caminha a humanidade...





Afeto é alimento.
alimentam-se.

é coisa que come
e devora
é coisa que
mata
e faz passar
a fome


do Homem.





Andréa Beheregaray











Abrigo.




Teu abraço é pouso,

repouso.

Abrigo perfeito para o meu coração.



Andréa Beheregaray




segunda-feira, 9 de julho de 2012

Filha de psicóloga.





_Mãe, eu preciso levar uma flor para escola amanhã.
_Amanhã de manhã então, Victória.
_Amanhã não mãe, tem que ser hoje.
_Agora é tarde, está frio e escuro, não vamos achar a flor.
_Vamos siiiiim!!! Tem que ser agora mãe!!! 
_Agora é impossível Victória!
_Mãe assim não dá, tu nunca faz o que eu te peço...assim eu vou virar uma depressiva que bêbada, que bebe coisas por ai com álcool! 


Eis os filhos de psicólogos!


Magia.








"Era meio mágica aquela mulher. 
Ia aos poucos transformando o dolorido em colorido.
Ela sentia que sabia viver e vivia".





Andréa Beheregaray

domingo, 8 de julho de 2012





"É somente nas misteriosas equações do coração que alguma lógica pode ser encontrada"

Jonh Nash.
Prêmio Nobel de matemática

sábado, 7 de julho de 2012

Quando Fui Chuva

 

 Quando Fui Chuva

Maria Gadú

Quando já não tinha espaço, pequena fui
Onde a vida me cabia apertada
Em um canto qualquer,
Acomodei minha dança, os meu traços de chuva
E o que é estar em paz
Pra ser minha e assim ser tua

Quando já não procurava mais
Pude enfim nos olhos teus, vestidos d'água,
Me atirar tranquila daqui
Lavar os degraus, os sonhos, as calçadas.

E, assim, no teu corpo eu fui chuva
... jeito bom de se encontrar!
E, assim, no teu gosto eu fui chuva
... jeito bom de se deixar viver!

Nada do que fui me veste agora
Sou toda gota, que escorre livre pelo rosto
E só sossega quando encontra tua boca

E, mesmo que eu te me perca,
Nunca mais serei aquela que se fez seca
Vendo a vida passar pela janela

quinta-feira, 5 de julho de 2012

O ginecologista e a ex-namorada.




O médico pediu que ela realizasse alguns exames para  confirmar sua hipótese diagnóstica.

_ Vou te pedir uma ecografia, exames de urina e sangue e um HCG - disse, enquanto acabava de preencher a requisição do plano de saúde.

_ HCG, teste de gravidez? Não, não é necessário Dr. Daniel.

_ Como não é necessário? - Perguntou ele com a cara incrédula, daquelas caras de quem tem certeza que sempre sabe o que é necessário.

_ Não estou grávida - disse convicta.

_ Existe uma possibilidade de ser gravidez ectópica.

_ Não, o senhor não entendeu, não estou grávida por que não tenho como estar. Não tenho ninguém, estou sozinha já faz algum tempo.

_ Quanto tempo?

_ O quê?

_ A senhora está sozinha?

_ O suficiente para não estar grávida.

 _ Quanto tempo está sem namorado?

_Namorada.

_ O quê?

_ Namorada, faz 2 meses que estou sem namorada. Por isso lhe disse, não estou grávida.   

_ Sempre existe um risco, sempre existe um risco- disse, impassível nas suas certezas, enquanto lhe entregava a requisição e acompanhava a paciente até a porta de saída. 


Já no carro a moça pegou o celular e pensou em ligar a ex-namorada e contar o que estava acontecendo. Depois desistiu. Não achava legal preocupar alguém assim, diria o que afinal? Que ela, talvez, pudesse ser pai? Não, achou melhor não, conhecia bem a ex-namorada e ela ficaria muito ansiosa.  
Estava decidido, só ligaria se o teste desse positivo, e ponto final. 

Afinal, quem duvida da ciência, dos milagres e das certezas médicas?

terça-feira, 3 de julho de 2012

10 verdades sobre os poetas.





1.O poeta é um dependente químico do amor.

2.O poeta depende do amor para escrever, escreve para viver.

3.Sem amor não há poesia, sem poesia não existe amor.

4.Quando não está apaixonado o poeta não passa de um comentarista da vida cotidiana.

5.O poema não é meu. O poema não sou eu. O poema é de quem me inspira.

6.Paixão súbita para o poeta: poema à primeira vista.

7.O poeta mede suas a força de suas paixões pela beleza do poema.

8.O poeta sabe que está apaixonado quando começa a fazer poesias.

9.Quando não faz mais poema, sabe que o amor acabou.

10.Se nenhuma linha nascer até o segundo encontro, o poeta não vai ao terceiro! 






Andréa Beheregaray


segunda-feira, 2 de julho de 2012

A cura da loucura!









A cura foi viver
dentro da loucura
por que cura 
sem loucura não há 

por que é só lá
no fundo da sua 
loucura
que a cura
da sua loucura
você poderá
encontrar

E caso você encontre
mais louco pode ficar
por que para uma vida
sem loucura
Que cura você irá encontrar?




Da série,
Quem disse que viver era fácil?



Andréa Beheregaray.





Criatividade.




A mente criativa age sobre algo que ela ama.



Carl Gustav Jung.

domingo, 1 de julho de 2012

Das escolhas que nos constituem.











"...Sou boa, sou má, sou verdadeira, sou desonesta, sou lúcida, sou louca, cresço ou permaneço, amo ou abandono, ajudo ou torturo - e assim, com o leque das possibilidades, me foi dado o tormento das opções..."



Lya Luft