segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Opinião Alheia.


Sobre o preço de ser quem se é.









Quanto mais nos aproximamos de nos tornamos aquilo que realmente somos, 
mais fortes serão as oposições externas, a pressão e as criticas.
Tornar-se quem se é exige a coragem de quebrar o pacto social e assumir nossas vontades e desejos. E isso é sempre ameaçador num mundo feito de covardia, acomodação e hipocrisia As pessoas não gostam de ter suas verdades perfeitas questionadas e a busca do autoconhecimento é a maior de todas as questões e a única capaz de transformar um homem e seu meio. Toda mudança, individual ou coletiva nasce de dentro para fora. 
O homem que se interroga é uma ameaça para aqueles que não querem mudar.






Andréa Beheregaray

   

sábado, 20 de outubro de 2012

Generalizando a generalização.



Toda a generalização é burra. 
Generalizar é colocar
todo mundo
no mesmo lugar

Toda a generalização mutila
a beleza de ser diferente 

Pare, pense
olhe pros lados
O mundo é muito amplo
e variado

Esqueça o tudo, o nada
o normal e o natural

O mundo é muito grande
que graça teria se todo mundo fosse igual?

Aprenda com a diferença
e rasgue o manual.

:) 

Andréa Beheregaray.

sábado, 13 de outubro de 2012

Sarau Elétrico dia 16 de outubro!





Homens x Mulheres. Será que a Guerra dos Sexos ainda existe? Ou as diferenças entre os gêneros servem apenas de matéria-prima e inspiração para os autores e suas histórias? 

Nessa terça, o SARAU ELÉTRICO dá um rolê pelo tema, com o
time completo por todos os lados. Jogando pelos homens, LUÍS AUGUSTO FISCHER e CLÁUDIO MORENO. 

Pelas damas,  CLAUDIA TAJES e KATIA SUMAN, com o apoio da convidada ANDREA BEHEREGARAY. Sarau da Guerra dos Sexos.
Uma coisa é certa: ninguém vai sair perdendo.

Canja: MARCIO PHILOMENA TRIO


SARAU HOMENS & MULHERES – TERÇA 16.10.12
OCIDENTE – 21h – 10 pilas


Apoio: CASA DE IDEIAS
 

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Malaxofobia - Paquera - Colunas - Bella da Semana




Agora eu tenho uma coluna sobre relacionamentos no site Bella da Semana.

O primeiro texto é sobre Malaxofobia - fobia de jogos amorosos e a métodos de sedução pré-concebidos.

Te interessou? Confere aqui então!




domingo, 7 de outubro de 2012

Hipocrisia!





 Hipócrita é aquele que exige muito dos outros e muito pouco de si mesmo!!

 


Andréa Beheregaray.
Da série, Vai te enxergar.


Memórias.








Com o tempo — no tempo — aquelas semanas que haviam passado juntos se apagariam e ficariam reduzidas a um segredo enevoado, um guardado de pequenas riquezas para ser aberto e tocado em momentos calmos e silenciosos. E nada mais, pois a vida é sentida pelo poder das memórias vivas, as que adormecem perdem o significado.
Ninguém sabia disso melhor do que ele.


Robert Ludlun in “A identidade Bourne”

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Pecado maior.


Sobre desertos.

 
   
 
 
 

 
 
 
 
- (...) Explique-me: por que não havemos todos de ser como irmãos uns para os outros? Por que motivo, quando nos encontramos diante de outra pessoa, mesmo que ela seja a melhor do mundo, havemos sempre de esconder e de calar algo? Por que não havemos nós todos de dizer com absoluta sinceridade aquilo que trazemos no coração, quando sabemos muito bem que as nossas palavras não seriam em vão? Parecemos todos mais frios e taciturnos do que somos na verdade, pode-se dizer que as pessoas têm medo de se comprometer expondo com franqueza os seus sentimentos.                                                                                    
 
 
 
                                                                                      Fiódor Dostoiévski - Noites Brancas

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

A jornada.







 
Um dia, você finalmente soube
o que tinha de fazer, e começou
enquanto as vozes ao seu redor
continuavam a gritar
o seu mau conselho –
embora a casa inteira
começasse a tremer
e você sentisse o velho puxão
nos tornozelos.
"Consertei a minha vida!"
gritava cada uma das vozes.
Mas você não parou.
Sabia o que tinha de fazer,
embora o vento entrasse à força
com os seus dedos duros
nas próprias fundações –
embora a sua melancolia
fosse horrível.
Já era tarde
o bastante, e uma noite selvagem
e a estrada repleta de
galhos e pedras caídos.
Mas pouco a pouco,
ao deixar as vozes para trás
as estrelas começaram a arder
perfurando os lençóis de nuvens
e havia uma nova voz
que você lentamente
reconheceu como sendo sua
que lhe fazia companhia
quanto mais você se embrenhava no mundo
decidido a fazer
a única coisa que poderia fazer –
decidido a salvar
a única vida que poderia salva






Mary Oliver.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Declaração de amor - Oi.




As coisas não tem valor em si mesmas, elas ganham valor na dinâmica das relações. Um "Oi" por exemplo, pode ser apenas um simples cumprimento quando você o recebe de uma pessoa qualquer, de um vizinho comum ou do caixa da padaria. Você não vai dar muita importância além daquela de convivência e boa educação e também não vai ficar pensando nisso. 

Agora quando estamos apaixonados por alguém, ainda nos primeiros lances de aproximação e conquista um "Oi" tem um valor imenso. Quando ele ou ela lhe diz "Oi", um singelo "Oi",  tudo muda de figura, a chuva para de cair, o sol aparece e o calor invade sua alma, seu corpo e suas bochechas vermelhas. Seu coração dispara, os olhos brilham e você responde a isso com um "Oi" que nasce de um sorriso radiante. E você passa o dia pensando nisso, no "Oi", no tom do "Oi", nos gestos que acompanharam o "Oi", nas intenções daquele "Oi", se aquilo foi apenas um "Oi" ou um "Oi" de promessa. Você vai lembrar da cena quando for se deitar e acordar com o "Oi" na cabeça. Vai repassar mil vezes o momento do encontro e no outro dia vai torcer por mais um "Oizinho" como se fosse alimento, café da manhã, energético para começar bem o seu dia. 

O "Oi" dos apaixonados é muito mais que isso. "Oi" de gente apaixonada é pedido, é promessa, é sonho, é convite, é desejo, pura expectativa. "Oi" de gente apaixonada é uma declaração de amor.          

Sobre sentimentos nobres.


Sobre os 40 anos e os pôneis velhos.

Bate os 40, a memória começa a falhar, a visão a nublar; a pele se cansa, descansa e desaba; o cabelo exige dez vezes mais cuida...