DISCUTINDO A RELAÇÃO in Vídeo!

Loading...

terça-feira, 24 de julho de 2012

TPM amorosa - reeditando.

do livro TPM - crônicas de uma mulher.




Sem vocação para vida afetiva. Fato. Deveria ter seguido meu projeto infantil de ser freira. Eu queria aos 6 anos, mas dai uma freira estúpida mudou meus planos. Hoje penso seriamente em celibato.

Vida afetiva me cansa. Só de pensar me dá sono. Não tenho saco para os (des)encontros que ela comporta. Não tenho energia. É muito trabalhosa. Nada prática, é tudo enrolado, teus quereres e os quereres do outro. Perde-se muito tempo envolvido com as questões amorosas.

Quando minhas amigas contam suas histórias, escuto. Se a situação está muito enrolada, meu conselho é sempre "vai trabalhar". Sei lá, vai trabalhar, fazer a caridade, plantar uma árvore, estudar.Usa a imaginação! O arranja outro.

Não, porque sou a favor da espera-ativa. O que é isso?
Bom, mulher quando está envolvida pode ficar muito tempo "esperando" o sujeito. Se quer esperar que espere mais espere ativamente. O que significa ter outros semi-afetos. Mas prático, torna a espera menos sofrida e o pessoal se diverte enquanto aguarda. Beija enquanto espera, essas coisas que a gente faz enquanto chora. 

Tanta coisa pra fazer na vida e a gente perdendo tempo e energia com "vida afetiva".

Porque se fosse só a gente envolvida nisso, mas tem os nossos quereres e os quereres do outro, que normalmente não fecham. Ou quando fecham nós já temos uns 10 anos de experiência na área, 5 relacionamentos fracassados, um desastroso, outro marcante de querer cortar os pulsos e 10 mil neurônios gastos. Energia que se bem utilizada nos colocaria no topo da cadeia alimentar.

As mulheres gastam 7 vezes mais energia nesse tipo de assunto que os homens. Certo.
Porque mulher é muito trabalhosa. Putz! Mulher é chata pra caramba com esses assuntos. Os homens também, sempre com essa mania de caçador. Se tu quer o cara não quer, se tu não quer o cara quer, se tem outro querendo o cara pode até não querer mas vai te procurar. Maldito Édipo, triângulos, triângulos...e quando é triãngulos ainda é lucro, poderia ser quarteto.

Eu, se fosse homem, pensaria duas vezes antes de me envolver com uma mulher. Porque assim, tudo que um homem fala a gente desdobra em 3 e examina o que foi dito uma centena de vezes tentando entender o sentido oculto da coisa dita. Se ele disse que "não" a gente acha que no fundo ele queria dizer sim, mas não consegue por que tem medo de amar. Se ele diz que sim, a gente acha que no fundo ele queria era dizer não, por que pode estar mal intencionado. E depois mulher quer casar, ter filhos, faz alta pressão conseguir isso e então descobrir que isso tudo que ela queria nem é isso "TUDO".

Aliás, pensar é outro impeditivo para vida amorosa. Se o sujeito pensa, ele dificilmente irá casar ou ter filhos - veja o Niet. Se começar a pensar muito ele vai pagar para ter vida sexual ou comprar uma boneca inflável. E a mulher também irá buscar outros recursos. Boneca inflável e acessórios femininos estão sempre disponíveis, não precisamos ficar angustiados. Fica tudo bem, tudo tranquilo, sem estresse. Muito fácil. Não precisa nem de preliminares.

Enfim, sem saco nenhum para vida afetiva. Muito melhor ler um livro.
Sim, sim, a TPM se avizinha por aqui!
Hoje minha visão da vida afetiva não está nada amadurecida, ou ao contrário, está muito. Só acho mesmo que as pessoas poderiam se quererem ao mesmo tempo e serem um pouco mais práticas.

12 comentários:

  1. "Tanta coisa pra fazer na vida e a gente perdendo tempo e energia com 'vida afetiva'" - perfeito!!!

    Olha, ultimamente, tenho sido prática mesmo: quer? também quero! ou não quer? tchau. E se querer e enrolar (no antes, durante ou depois), já não quero mais.

    Damos importância demais ao relacionamento afetivo mesmo... não que ele não mereça, mas creio que não deva se sobrepor aos outros setores da vida - isso é uma luta diária, mas vale a pena!

    Bjão ^^

    ResponderExcluir
  2. Olá.. adorei muito o texto.. Tudo gira muito em torno de relacionamento, é assunto de todas ocasiões. As pessoas por fim acabam vivendo a vida do "outro", sem vontades próprias, sem opiniões próprias. Saem se a pessoa vai estar em tal lugar, se arrumam pra encantar tal pessoa, se iludem com meras palavras ditas apenas para cativar!
    Há tanta vida, tanta coisa a se aprender, tantos lugares e pessoas novas pra se conhecer.. Mas muitos ainda preferem viver só na espera ao invés de reagir e viver com suas vontades!!! Anna paula Prates

    ResponderExcluir
  3. Não li o texto para não me afundar na tua TPM... rs
    Até porque estou numa fase de "rejeição aos envolvimentos", só sexo mesmo... rs
    Tens razão pelo menos na parte que li, de que gastamos mta energia com os "machinhos"... E eles são tão pragmáticos, né?!
    Enfim... passei só pra dizer que gostei mto do novo layout!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. O texto é genial... Adoro teus dias de revolta! Imprimi e guardei no meu caderninho azul... Bjs!!

    ResponderExcluir
  5. Ah, Andrea, mesmo difícil, complicado, exaustivo, desgastante a gente precisa, a gente precisa...
    Ei, ficou muito legal o novo layout.
    Bjs Flor.

    ResponderExcluir
  6. SALVE SALVE!

    Em breve, mais e melhores comments...

    ResponderExcluir
  7. Alexandra!

    É texto para guardar, e, em dias de pouca paciência a gente não diz nada, só tira ele da gaveta e entrega.

    Gurias, quando amar estiver muito difícil, façamos como os meninos, vamos ganhar dinheiro!

    Salo,Ana, merci.

    Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Cheguei nestes blog por casualidade mas, cheguei para ficar! Texto maravilhoso! Impecable, feminino desde a verdade, a verdade verdadeira sem continho de fadas. Obridaga!

    ResponderExcluir
  9. "Assim, para quem ama, o amor, por muito tempo e pela vida afora, é solidão, isolamento, cada vez mais intenso e profundo. O amor, antes de tudo, não é o que se chama entregar-se, confundir-se, unir-se a outra pessoa. (...) O amor é uma ocasião sublime para o indivíduo amadurecer, tornar-se algo por si mesmo, tornar-se um mundo para si, por causa de um outro ser: é uma grande e ilimitada exigência que se lhe faz, uma escolha e um chamado para longe."

    Lou Andreas Salomé

    ResponderExcluir
  10. muito bacana o post e o blog.
    http://www.therealinthings.wordpress.com

    ResponderExcluir
  11. ahhhhh..Andrea...nem pensa nisso cansa demais soh de pensar kkkkkk

    ResponderExcluir