Cores Mortas



Os dias têm sido cinzas. Da janela posso vê-los passar. Meus olhos tristes estão gelados de ausência e dor. Você destruiu meu coração. O dia de amanhã não virá. A voz do homem canta o vazio, as notas da canção preenchem a sala fria e as horas avançam neste inverno rigoroso em que nada aquece. Não há mais perguntas, nem desejo ou esperança, os sonhos estão mortos, toda beleza e todo encanto também. Vive apenas o temor de ser vazio para sempre. Nenhuma fé, nenhum sorriso. Você me encontrou quando eu já não possuia nada e levou embora até o que eu não tinha.  

Andréa Beheregaray  

Comentários

  1. Os poetas, no mais das vezes, têm um saldo negativo que vão muito além de suas contas bancárias. Todo amor nos é caro... Mania que a gente têm de sobreviver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom teu comentário Anne....muito além.

      Excluir
  2. Descrença....
    Desesperança...
    Ausência...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

É a vida!