Cores Mortas



Os dias têm sido cinzas. Da janela posso vê-los passar. Meus olhos tristes estão gelados de ausência e dor. Você destruiu meu coração. O dia de amanhã não virá. A voz do homem canta o vazio, as notas da canção preenchem a sala fria e as horas avançam neste inverno rigoroso em que nada aquece. Não há mais perguntas, nem desejo ou esperança, os sonhos estão mortos, toda beleza e todo encanto também. Vive apenas o temor de ser vazio para sempre. Nenhuma fé, nenhum sorriso. Você me encontrou quando eu já não possuia nada e levou embora até o que eu não tinha.  

Andréa Beheregaray  

Comentários

  1. Os poetas, no mais das vezes, têm um saldo negativo que vão muito além de suas contas bancárias. Todo amor nos é caro... Mania que a gente têm de sobreviver.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom teu comentário Anne....muito além.

      Excluir
  2. Descrença....
    Desesperança...
    Ausência...

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

Amores mortos