segunda-feira, 30 de abril de 2012

Hora do cafezinho!

Diários Revelados





Uma ilha, vento frio que circula ameaçador como um alerta. Recuo, me fecho, eu e essa antiga solidão. Conflitos ao mar, amor? Faço sombra, abrigo, proteção para aquilo que importa, sou sólida sou rocha. Ninguém passa desta linha, estendo a mão, impeço, com lágrimas nos olhos, impeço.
Continuarei em busca. Enquanto houver vida serei luta, serei chama, serei amor.
Enquanto houver vida não desistirei de mim mesma.    


terça-feira, 24 de abril de 2012

Pra decisões importantes...





Reunião de cúpula!

A eternidade e o desejo.





"Não sei ser cega, não nasci cega, não posso esquecer o que perdi - tenho desejo de visão, um desejo físico, concreto, feito de suores e ansiedade, um desejo sexual, maculado, absoluto."





Inês Pedrosa
em A eternidade e o desejo.

sábado, 21 de abril de 2012

Liberdade.





Que se dane. Entre o "sim" e o "não" só há um caminho. Escolher. Ângela escolheu "sim". Ela é tão livre que um dia será presa. "Presa por quê?" "Por excesso de liberdade." "Mas essa liberdade é inocente?" "É." "Até mesmo ingênua." "Então por que a prisão?" "Porque a liberdade ofende." (...)



Clarice Lispector.



terça-feira, 17 de abril de 2012

A cura pela arte.

Todo mundo deve inventar alguma coisa, a criatividade reúne em si várias funções psicológicas importantes para a reestruturação da psique. O que cura, fundamentalmente é o estímulo à criatividade. Ela é indestrutível. A criatividade está em toda parte.”
 
 
 
Nise da Silveira.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

No coração.




Nós associamos o amor ao coração. Não é uma coincidência que angustia e a saudade doam no mesmo lugar. Esse sufoco, esse vazio no peito, o coração apertado...Vivem esses afetos todos juntos, misturados e pulsam indissociáveis.


Andréa Beheregaray

Poetas







"Os poetas são impudicos para com as suas vivências: exploram-nas."


Friedrich Wilhelm Nietzsche

domingo, 15 de abril de 2012

Do amor que se fez.







O poema
é fresta
pista
vestígio
do amor
que se fez

Escrever
um poema
é fazer
amor
outra vez






Andréa Beheregaray


terça-feira, 10 de abril de 2012

Foco.





No espelho dos teus olhos
foco

No arrepio da tua pele
foco

No calor do teu corpo
foco

No meio das tuas pernas
foco

No som do teu prazer
foco

No sabor do teu suor
foco 

De tudo o que não somos nós
desfoco.



Andréa Beheregaray

Da série
 Vermelho 


segunda-feira, 9 de abril de 2012

Saudades.





"Lembro dos sorrisos, das conversas, dos divãs, dor hormônios, de tudo… e me dá uma saudade irracional de você. Uma vontade de chegar perto, de só chegar perto, te olhar sem dizer nada, talvez recitar livros, quem sabe só olhar estrelas… dizer que te considero. E muito."


Caio Fernando Abreu.

A fim de você.



"Porque ninguém dava nada por mim
Quem dava eu não tava a fim."

Marisa Monte.

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Desejo.



"O desejo faz tremer a carne.
Súbito revela-me
nua
em tuas mãos." 




Andréa Beheregaray


Diários revelados.




Feita de contradição e possibilidade sou uma mulher que se descobre, todos os dias. Vejo nascer o mistério ali onde o passado encontra o futuro e faz fenda. Da mulher que já não é, e aquela que ainda não chegou, sou toda possibilidade. 

No peito carrego a incoerência de quem se percebe em transformação. Mãos, encontro de opostos, com a esquerda me faço razão, com a direita sou feita de sonhos, da mais pura emoção.

Territórios vastos, o que se vê é superfície, reflexo do possível, daquilo que se deseja. Sem que de fora ninguém perceba, meu mundo interno é feito de intensas batalhas. O que se vê nunca é o que se passa. Sou chama alta, sou profundeza, terra firme, tormento e beleza.

Vivo por que sou surpresa. Vivo por que sou surpresa. 




Andréa Beheregaray