sábado, 28 de janeiro de 2012

Geografia do desejo.

Sobre como nos tornamos desconfiados depois de sofrer por amor.









"Na medida em que experenciamos decepções, sofrimentos e separações nas relações amorosas, tendemos a nos tornarmos mais cautelosos e desconfiados no amor. Se por um lado isso pode ser positivo, pois conseguimos antecipar o enredo e o final de algumas histórias sem futuro, por outro, essa mesma cautela pode impedir que um novo amor aconteça, pois não há entrega com desconfiança nem relação pela metade.  As decepções podem se tornar algemas que nos imobilizam e nos impedem de amar novamente"





Andréa Beheregaray

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Andam falando de você? Dicas para as línguas venenosas!





Dicas para más línguas,
para as de cobra
de sogras
pra venenosas
ou invejosas.


Tanta coisa pra fazer com a língua e tem gente que usa ela pra falar mal de você!






Língua de lamber sorvete

Língua de fazer amor.

Língua pra matar saudade

Língua pra lamber pudor.




Língua de fazer carinho

Língua de lamber o pé

Língua pra alegrar o dia 

Língua para derreter.







Língua pra matar a sede

Língua para seduzir.

Língua pra morder a língua

Língua pra se divertir.




Língua para se expressar

Língua de lamber sabão

Língua para dar risada

Língua pra incomodar.




Língua pra meter a língua

Língua para conquistar

Língua para dar um fora

Língua pra compartilhar.





Língua pra lamber a ponta

Língua para degustar.

Língua pra sentir a vida

Língua  para experimentar




Língua pra fazer pedido

Língua pra se arrepender

Língua pra lamber a cria

Língua para dizer





Ai que arrepio!





Campanha Nacional por uma língua mais legal.

Freud, sexo e o significado das cutucas no face.




Tipo, Oi? hahaha, adorei a imagem!

Das dificuldades que tenho: disfarçar e me fazer de desentendida.

Paulo Ferrareze Filho discutindo no face sobre o significado das "cutucas". 

Pra ele, o mais óbvio, é que a pessoa quer fazer sexo com você - hahaha, não sei da onde ele tirou isso- cutucar alguém é uma das formas mais estranhas de se conseguir sexo.
Outros significados sugeridos foram: "oi", crise existencial, carência, passando a mão na sua bunda.

Eu detesto que me cutuquem, na vida real e na vida virtual. Mas assim quer dar "Oi" dá "Oi", tá carente avisa, faz uma visita pra mãe ou faz uma massagem, quer passar a mão na bunda, passa e aguenta as consequências. Quer fazer sexo? Pelamordedeus NÃO cutuque uma pessoa. Sorri, abana, rebola, manda um beijo, mensagem sedutora mas NÃO cutuca! 

Cutucar uma pessoa para conseguir sexo é querer gastar pouco pra entrar na festa. E se, a pessoa, se considera uma festinha que tá valendo a pena vai exigir mais empenho de você.

Pós TPM Paulinho faz sua observação, com a calma e a sabedoria que lhe são típicas:        


 "Eu acho próprio desse casamento com o mistério que a mulher tem, essa coisa de nunca deixar tudo muito esclarecido Deia... Essa objetividade é mais masculina. Mas to contigo sobre ser direto minha querida! bjao".

Respondo-lhe com sinceridade:
"Paulo eu sei, mas sou masculina. As vezes até queria ser" mais mocinha", mas não consigo disfarçar quando percebo "segundas" intenções rondando. Um problema.Bem guri." 

Traduzindo para língua de Freud :

"Sou direta, masculina portanto (sem dúvida, nunca perco o carro no estacionamento do shopping),  acho um saco disfarçar diante de segunda intenções, racho no meio. Um problema, bem guri."   



Paulinho, um dia desses eu aprendo com você!    




quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Onde Dormem as Crianças - Muitooo interessante, vale conferir!


 James Mollison nasceu no Quênia em 1973 e cresceu na Inglaterra.

Depois de estudar arte e design na Universidade de Oxford Brookes, cinema e fotografia em Newport School of Art and Design, ele se mudou para a Itália para trabalhar no laboratório criativo da fábrica da Benetton.

James Mollison viajou ao redor do mundo e decidiu criar uma série de fotografias mostrando os quartos infantis que foi enfim compilada em um livro, Onde Dormem as Crianças.

Cada par de fotografias é acompanhada por uma legenda que conta a história da criança.

O projeto tornou-se uma referência de pensamento crítico sobre a pobreza e a riqueza, sobre a relação da criança com a sua realidade.



 Lamine, 12 anos
  
Vive no Senegal. As camas são básicas, apoiadas por alguns tijolos. 
Aos seis anos, todas as manhãs, os meninos começam a trabalhar na fazenda-escola onde aprendem a escavação, a colheita do milho e lavrar os campos com burros.  
Na parte da tarde, eles estudam o Alcorão.
Em seu tempo livre, Lamine gosta de jogar futebol com seus amigos.

Tzvika, 9 anos



Mora num bloco de apartamentos em Beitar Illit , um assentamento israelense na Cisjordânia. É um condomínio fechado de 36.000 Haredi. 
Televisões e jornais são proibidos no assentamento.  
Em média, as famílias tem nove filhos, mas Tzvika tem apenas  
uma irmã e dois irmãos, com quem divide seu quarto.  
Ele é levado de carro para a escola onde o esporte é banido do currículo.  
Tzvika vai à biblioteca todos os dias e gosta de ler as escrituras sagradas.  
Ele também gosta de brincar com jogos religiosos em seu computador, quer se tornar um rabino. Sua comida favorita é bife com batatas fritas.

Jamie, 9 anos 



Mora com seus pais, irmão gêmeo e sua irmã em um apartamento na Quinta Avenida em Nova Iorque.Jamie frequenta uma escola de prestígio e é um bom aluno.  
Em seu tempo livre, ele faz aulas de judô e natação.  
Quando crescer, quer se tornar um advogado como seu pai.

Indira, 7 anos




Vive com seus pais, irmão e irmã, perto de Kathmandu, no Nepal.  
Sua casa tem apenas um quarto, com uma cama e um colchão.  
Na hora de dormir, as crianças compartilham o colchão no chão.  
Indira trabalha na pedreira de granito local desde os três anos.  
A família é muito pobre por isso todos tem que trabalhar. 
Há 150 crianças trabalhando na pedreira. Indira trabalha seis horas por dia além de ajudar a mãe nos afazeres domésticos. Ela também freqüenta a escola, a 30 minutos a pé.  
Sua comida preferida é macarrão. Ela gostaria de ser bailarina quando crescer.

Kaya, 4 anos




Mora com os pais em um pequeno apartamento em Tóquio, Japão.  
Seu quarto é forrado do chão ao teto com roupas e bonecas.
A mãe de Kaya faz todos os seus vestidos e gostos. Kaya tem 30 vestidos e casacos, 30 pares de sapatos, perucas e um sem número de brinquedos.  
Quando vai à escola fica chateada por ter que usar uniforme escolar.  
Suas comidas favoritas são a carne, batata, morango e pêssego.  
Ela quer ser desenhista quando crescer. 


Douha, 10 anos 




Mora com os pais e onze irmãos em um campo de refugiados palestinos em Hebron, na Cisjordânia. Ela divide um quarto com outras cinco irmãs.  
Douha freqüenta uma escola, a 10 minutos a pé, e quer ser pediatra. 
Seu irmão, Mohammed, matou 23 civis em um ataque suicida contra os israelenses em 1996. 
Posteriormente, os militares israelenses destruíram a casa da família.  
Douha tem um cartaz de Maomé em sua parede.



Jasmine (Jazzy), 4 anos 




Vive em uma grande casa no Kentucky, EUA, com seus pais e três irmãos.  
Sua casa é na zona rural, rodeada por campos agrícolas.  
Seu quarto é cheio de coroas e faixas que ela ganhou em concursos de beleza.  
A garota já participou de mais de 100 competições.  
Seu tempo é todo ocupado com os ensaios.  
Jazzy gostaria de ser uma estrela do rock quando crescer.

Nome e idade desconhecidos




A casa para este garoto e sua família é um colchão em um campo nos arredores de Roma, Itália.  
A família veio da Romênia de ônibus, depois de pedir dinheiro para pagar as passagens.  
Quando chegaram a Roma, acamparam em terras particulares, mas foram expulsos pela polícia.  
Eles não têm documentos de identidade, assim não conseguem um trabalho legal.  
Os pais do garoto limpam pára-brisas de carros nos semáforos.  
Ninguém de sua família foi à escola. 


Dong, 9 anos 





Mora na província de Yunnan, no sudoeste da China, com seus pais, irmã e avó.  
Ele divide um quarto com a irmã e os pais. A família tem uma propriedade que permite cultivar quantidade suficiente de seu próprio arroz e cana de açúcar.  
A escola de Dong fica a 20 minutos a pé. Ele gosta de escrever e cantar. 
Na maioria das noites, ele passa uma hora fazendo o seu dever de casa  
e uma hora assistindo televisão. Dong gostaria de ser policial.

Roathy, 8 anos 




Vive nos arredores de Phnom Penh, Camboja.  
Sua casa fica em um depósito de lixo enorme. O colchão de Roathy é feito de pneus velhos.  
Cinco mil pessoas vivem e trabalham ali. Desde os seis anos, todas as manhãs, Roathy e centenas de outras crianças recebem um banho em um centro de caridade local.  
Antes de começar a trabalhar, recolhe latas e garrafas de plástico, que são vendidos para uma empresa de reciclagem. Um pequeno lanche é muitas vezes a única refeição do dia.

Thais, 11



Mora com os pais e a irmã no terceiro andar de um bloco de apartamentos no Rio de Janeiro, Brasil. Ela divide um quarto com a irmã. Vive nas vizinhanças da Cidade de Deus, que costumava ser conhecida pela rivalidade de gangues e uso de drogas. 
Thais é fã de Felipe Dylon, um cantor pop, e tem pôsteres dele em sua parede.  
Ela gostaria de ser modelo.

Nantio, 15



É membro da tribo Rendille no norte do Quênia. Ela tem dois irmãos e duas irmãs.
Sua casa é uma pequena barraca feita de plástico.  
Há um fogo no centro, em torno do qual a família dorme.  
As tarefas de Nantio incluem cuidar de caprinos, cortar lenha e carregar água.  
Ela foi até a escola da aldeia por alguns anos, mas decidiu não continuar.  
Nantio está esperando o seu moran (guerreiro) para casar.  
Ela só tem um namorado no momento, mas é comum para uma mulher Rendille ter vários namorados antes do casamento.


Joey, 11 





Vive em Kentucky, EUA, com seus pais e irmã mais velha.  
Ele acompanha regularmente o seu pai em caçadas. Ele é dono de duas espingardas e fez sua primeira vítima - um cervo - quando tinha sete anos.  
Ele está ansioso para usar sua arma durante a nova temporada de caça.  
Ele ama a vida ao ar livre e espera poder continuar a caçar na idade adulta.  
Sua família sempre come carne de caça. Joey não concorda que um animal deve ser morto só por esporte. Quando não está caçando, Joey freqüenta a escola e gosta de ver televisão com o seu lagarto de estimação, Lily.


James Mollison espera que o seu trabalho ajude outras crianças a pensar sobre a desigualdade no mundo, para queno futuro elas pensem como agir para diminuir esta diferença.


Rosana Arbelo - dica!



Conheci a cantora espanhola Rosana Arbelo través do CD Lunas Rotas, o melhor, sem dúvida.

Me formei com a canção dela- Sin Miedo.

Adoro a batida de algumas canções dela. E quer saber?
Tem umas que chegam a doer!

O vídeo não entrava de jeito nenhum, faz tempo que queria dar essa dica. 

Então tá, tá ai!  

Onde fica o Ponto G?





terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Momento cafezinho: reflexão para os espertinhos.

Tua imagem - Da série Canção sem melodia.





Quando você apagou a luz, acendeu os meus desejos.


Na janela teu reflexo singular
tua voz cortando a escuridão.
Teu rosto em minhas mãos
e um beijo.


Tua língua suave percorreu lenta 
os caminhos dos meus lábios.
Quando você apagou a luz
tudo ficou claro dentro de mim.


Noite alta, madrugada.
Tua imagem fixada na retina.
Fechar os olhos
não vai me impedir de lembrar.


A página 6 de uma história
que não foi contada.
O lado B daquele disco
que não mais se ouviu.


Quando você decidiu aquele beijo?
Repasso a letra, o passo, o gesto
de trás pra frente
pra esquecer o dia em que você partiu.


Você disse que amava
minha liberdade
e me mostrou a dor
dentro do seu coração


Noite alta, madrugada
Tua imagem fixada na retina
Fechar os olhos
não vai me impedir de lembrar.










Andréa Beheregaray

Da série
Canção sem melodia.
 

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Jornada da Alma- dica!




Na minha lista de os "10 mais pra toda vida" o filme é imperdível (apersar de ter perdido o meu). Esgotado em todos os lugares, resta-nos fazer download :(   

Jornada da Alma conta a história de Jung e Sabina Spielrein, dá uma olhada nas indicações do blog em "filmes". 


História de amor, grande assim, não é pra quem quer é pra quem tem coragem disse o sábio Jung.




Fica a dica!   

  

Beleza relativa, organismo burguês e mulher ribeirinha.





      Impressionante, meu organismo é burguês. Ônibus me estraga, carro só se for na direção para não enjoar, ar condicionado é condição para manter a pressão legal. Pra ficar bem mesmo o melhor é avião. E meu cabelo? Só fica legal longe da praia, assim como pele, unhas e outros componentes. Sol e praia me transformam em uma "espantalha". Resumindo não poderia ser "pescadora". A maior verdade sobre a  beleza é que ela é relativa pobre e abaixo de sol fico pior que chinelo velho. 


Por que bonita meu filho é mulher sem grana, sem salto, sem maquiagem, sem carro e ar condicionado. Se não tiver anda disso e continuar bonita é por que, realmente, É! 






Clarice Lispector - Curso e programação.



Muito bom! Segue programação.

Clique para ampliar.


PERSONAGENS DE CLARICE


De 15/03/12 a 23/08/12

Dia 15/03 – apresentação do curso. - alunos recebem dois contos a

Aula: as relações humanas serem analisados prox. aula.

na literatura clariciana

Dia 29/03 – conversa s/ os personagens:

“Ana” e “a mulher do casa- Idem

Aula: do amor.

Dia 12/04 – conversa s/ os personagens:

“prof. de matemática” e Idem

“ eu e Deus”.

Aula: da culpa e do amor.

Dia 26/04 – conversa s/ os personagens:

“o menino míope” e “Catarina Idem

e sua mãe”

Aula: relações de família

Dia 10/05 – conversa s/ os personagens: - alunos recebem dois contos a

“a menina e o livro” e serem analisados prox. aula.

“Ofélia”.

Aula: do bem e do mal.

Dia 24/05 – conversa s/ os personagens:

“a menina fantasiada” e Idem

“a mocinha de São Cristóvão”.

Aula: das máscaras e do sublime

Dia 14/06 – conversa s/ os personagens:

“os obedientes” e Idem

“a mulher e os 12 anos”.

Aula: dos papéis sociais: rigidez e rompimento

Dia 28/06 – conversa s/ os personagens:

“ a aniversariante” e Idem
“ mocinha”.

Aula: dos velhos

Dia 12/07- conversa s/os personagens: - alunos recebem dois contos

“menino a bico de pena” e a serem analisados prox.aula

“menina com soluço”.

Aula: das crianças.

Dia 26/07 – conversa s/ os personagens:

“o homem do restaurante” e Idem

“o almoço de sábado”.

Aula: dos ritos

Dia 09/08 - conversa s/ os personagens:

“Carla de Sousa Santos” e Idem

“Pequena Flor”.

Aula: da antropofagia social

Dia 23/08 – conversa s/ os personagens:

“uma galinha” e “ o ovo”.
Aula: do ser.

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Participação no programa TPM - Sobre o envelhecimento





Bate-papo com Claúdia no programa TPM - TV ULBRA, sobre o envelhecimento, sobre ser mulheres, mulheres de 30, vaidade, autoestima.

Ficou bacana, vale conferir!! 



quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Quer saber como salvar sua vida, seus relacinamentos amorosos e sua reputação?





Óh, quem avisa amigo é.



Se beber NÃO dirija

Se beber NÃO faça ligações telefônicas NEM mande mensagens de texto

Se beber NÃO mande emails

Direção, telefones e computadores na mão de bêbados são armas!


Por que o álcool entra e o ID se liberta e os desejos vem à tona!







Da série 
Dicas da Norminha 





Bom dia!

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Teu olhar me tirou para dançar.






Teu olhar, na distância,
Captura
Me convida pra dançar.


O encontro com teus olhos
Forasteiros.
Denunciam teus desejos.


E a malícia dos meus,
revelam aquilo que não vejo.

Captura.


Fecha lenta os teus olhos
Seresteira.
Arrepia minha pele 
com o toque do olhar.


E no canto da boca
te entrego com um sorriso
a vontade de dançar.


Diz mil coisas
o teus olhos atrevidos,
E eu te conto tantas outras, 
no encontro deste olhar.


Aos teus olhos de promessa
eu respondo
com o encanto do olhar. 

Me despindo inteira
para teu olhos sorridentes.
Essa noite, 
teu olhar me tirou para dançar. 





Andréa Beheregaray
Da série
Canção sem som

Crônica Virtual agora no TPM!!


CRÔNICA VIRTUAL
AMAR É FLERTAR COM A MORTE.




Crônicas Virtuais são o mais novo projeto do Blog TPM !! 

Em parceria com a Fade* Vídeo Comunicação a crônica virtual é uma nova forma de levar o texto para quem curte o blog!!

Foi muito difícil gravar, confesso. Escrever é comigo , já interpretar...nossa!!! Muito difícil!!

Não me reconheci neste vídeo, entrei em crise de identidade, não sou essa de fala mansa, jeito calmo...interpretando (me) perdi a malícia, mais pareço uma pastora evangelizando!!

Mas tá valendo, espero que gostem!!

Hehehe :D



segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Supostamente livres: Ponto G.





"No oriente muitas mulheres ainda se escondem sob véus, por aqui a maioria supostamente já os rasgou. Não usamos burcas, no entanto carregamos pesados véus invisíveis que cobrem de vergonha e culpa nosso desejo.
Herdeiras de uma castração simbólica. Herança do discurso judaico cristão a prece é sempre em nome do Pai, do Filho e do Espírito santo, nunca em nome de alguma Maria." 

Estima-se que 70% das mulheres nunca atingiram o orgasmo. E ai, você ainda acha que é a quantidade de pano que determina o tamanho do seu desejo?


Andréa Beheregaray




No




domingo, 15 de janeiro de 2012

Coisas que só as Balzaquianas sabem sobre o amor.



Das coisas da maturidade e do que pensei sobre relacionamentos.
A primeira é que maturidade e autoestima fazem com que você goste muito da sua companhia e quando você gosta muito de estar consigo mesma, você só vai trocar isso por outra companhia tão prazerosa quanto. Se não, melhor nem sair de casa.

A segunda é que, com o tempo e a experiência, a probabilidade é de termos tido a sorte de um amor bacana. Desses que a gente faz questão de guardar na memória e não deletar as fotos da história.

Acontece que, depois de ter vivido uma grande história de amor, aumentamos e muito nosso nível de exigência.
 É como o seu nível de tolerância ao álcool, quanto mais você bebe mais vai precisar na próxima vez para sentir algum efeito.
     
Experimenta do bom e do melhor e vamos ver se depois você se contenta com qualquer coisa...impossível! Descobertas que chegam com o tempo.

Pra fechar, resumo-poesia... 



Vertigem

Por que o amor vícia
e depois de muito
pouco não serve

é preciso sempre mais
para causar efeito e sentido
Como num vício
-
Só se contenta com pouco
quem pouco viveu
e pouco sentiu

Por que o amor é vertigem.





Andréa Beheregaray




Sobre os 40 anos e os pôneis velhos.

Bate os 40, a memória começa a falhar, a visão a nublar; a pele se cansa, descansa e desaba; o cabelo exige dez vezes mais cuida...