DISCUTINDO A RELAÇÃO in Vídeo!

Loading...

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Um ano sem Luis Alberto Warat.


Olho para o mundo e meu sentimento é de desilusão. Olho para as pessoas cada vez mais perdidas e desesperadas e meu sentimento é de tristeza. Olho para as relações sempre tão esvaziadas e rasas e meu sentimento é de solidão. Olho para a violência que circula solta e meu sentimento é de profunda desesperança. 

Mas quando encontro pessoas como o Luis que, apesar da consciência e da clareza, em relação as coisas do mundo não se furtou de tentar transformar a realidade, que optou em ser um agente transformador, que se esforçou em ser congruente com aquilo que pensava e sentia, isso me serve de alento na caminhada.

Principalmente e acima de todas as coisas o grande valor do Luis foi ter usado para transformar a arma mais poderosa de todas: o AMOR.

Luis era amor. Luis é amor. Luis sabia que só através do amor conseguiríamos nos transformar. Que só o amor causa a verdadeira revolução. 

A verdadeira revolução vem do AMOR!!  


 Há um ano atrás o mundo ficava mais pobre. 

Saudades de Luis.






4 comentários:

  1. Bah, você conheceu Luis Alberto Warat... que honra Andréa.

    ResponderExcluir
  2. Bibiana, no alto do blog tem algumas das cartas abertas que trocamos :)

    ResponderExcluir
  3. Naquele 16 de dezembro, eu chorava copiosamente exatamente pelo mundo ter ficado menos colorido e amoroso e surreal e provocador e inquietante e saboroso ...
    Hoje eu continuo lamentando não ter dado esse abraço e não ter uma foto dessas para guardar, mas meu coração é cheio da presença dele ...

    Um forte abraço, Andrea, minha chará.
    Precisamos juntar as casas fisicamente para que a morada possa receber mais e mais!

    ResponderExcluir
  4. Sou uma amiga e waratiana do Rio que tb sente muito a sua falta. Tive o prazer de conviver muito nos seus últimos anos de vida, principalmente no mestrado em que me embriaguei de sua obra. Organizei com outros colegas seu último livro publicado em vida, o que muito me orgulha. Soube da sua morte de forma mágica, por isso continuo sentido sua presença toda vez que ironizo e sou rebelde com a vida. Saudades!

    ResponderExcluir