DISCUTINDO A RELAÇÃO in Vídeo!

Loading...

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Crônica Virtual agora no TPM!!


CRÔNICA VIRTUAL
AMAR É FLERTAR COM A MORTE.




Crônicas Virtuais são o mais novo projeto do Blog TPM !! 

Em parceria com a Fade* Vídeo Comunicação a crônica virtual é uma nova forma de levar o texto para quem curte o blog!!

Foi muito difícil gravar, confesso. Escrever é comigo , já interpretar...nossa!!! Muito difícil!!

Não me reconheci neste vídeo, entrei em crise de identidade, não sou essa de fala mansa, jeito calmo...interpretando (me) perdi a malícia, mais pareço uma pastora evangelizando!!

Mas tá valendo, espero que gostem!!

Hehehe :D



13 comentários:

  1. Curti MUITO!

    Tem que ter muita coragem para encarar a camera :)

    Ficou show de bola! Baita ideia. Espero os proximos.

    ResponderExcluir
  2. Olá, gostaria de ver esse texto escrito... tem aqui no blog? Obrigada

    ResponderExcluir
  3. Oi Jeane, tem sim...

    http://andreatpm.blogspot.com/2011/09/amar-e-fletar-com-morte.html

    ResponderExcluir
  4. Beheregaray,
    Que desafio !
    Ficou ótimo , jóia !
    Show

    No aguardo :)
    Um beijo

    ResponderExcluir
  5. Ficou muito bom, certamente com o tempo ficará melhor ainda !!!

    ResponderExcluir
  6. Oi Andrea,
    O texto é lindo.
    E eu vivo o mesmo desafio de mudança de linguagem (de texto para vídeo). Já fiz algumas experiencias (que andei postando no facebook e estão registradas la no site da UNIT34) e tive a mesma sensação que você descreve.
    Você está certa. Já havia assistido uma entrevista sua, muito mais solta e envolvente.
    Do que venho aprendendo com a minha experiência, creio que o problema é que qualquer texto "inteligente" acaba ficando meio evangelizador (para usar seu termo) quando reproduzido em vídeo.
    Há que escrever para vídeo. Outra linguagem.
    Na medida em que for descobrindo, compartilho contigo se quiser.
    Meu próximo vídeo (Tattoo Trend) estará um pouco melhor, mas ainda bem longe de onde quero chegar.
    De qualquer forma, parabéns pela iniciativa, pela coragem e, principalmente, pelas idéias
    Bj

    ResponderExcluir
  7. Olá Andréia, estava ontem dando uma “olhadinha” do teu blog (coisa que faço diariamente, risos*) e me deparo com teu vídeo, e com esse belo texto sobre o amor.
    Na verdade texto não seria a palavra certa, já que mais parece uma boa sessão de terapia, uma amostra grátis de uma boa sessão.
    Assistindo teu vídeo e tentando conter as lágrimas fiquei pensando: “Será realmente que nós mulheres amamos os homens que cruzam sentimentalmente nossas vidas, ou amamos a fantasia do amor?”
    Se amamos a fantasia do amor, como não raras vezes deixamos de amar um bom sujeito que nos manda flores, e sofremos meses á fio por alguém que nem sequer lembra a data de nosso 1° encontro com ele? Confesso-te que tal questão me intrigou.

    Há alguns meses terminei uma relação com um certo cidadão, ou melhor, ele terminou comigo, e não há um dia sequer que eu não viva tudo novamente em minha mente...Cada palavra dele, cada palavra minha, cada palavra de nós dois dita naquele curto tempo de convivência.
    Vivo cada segundo daquela curta relação em minha lembrança... Apenas 2 meses e alguns dias, as minhas 9 e ½ semanas de amor.

    O que mais me impressiona é que ele não era gentil, não era bonito, e te confesso não era muito inteligente... Eram meus os “Eu te amo” (os quais ele apenas emendava com um sem graça: “ Muito”? – acho hoje que era a forma mais cômoda que ele encontrava de “ escapar” de um “eu também”). Eu quem ligava, eu quem se importava, eram meus os “boa noites”...

    Uma pessoa sensata em meu lugar estaria agradecendo por ter se livrado daquele “ peso”. Mas eu simplesmente me vejo vivendo cada cena, por nós dois vivida, em minha mente a cada novo dia, como alguém que busca o erro oculto, como uma investigadora que analisa fotos de uma pericia buscando uma pista sobre o criminoso.

    Olho para mim e penso: “Porque uma mulher de 29 anos, modestamente bonita e inteligente, formanda em Direito, independente, com uma vida toda pela frente se sujeita á essas cretinas lembranças?

    Mas te confesso que não tenho essas respostas, só tenho perguntas... Perguntas que se multiplicam a cada vez que lembro de um detalhe que vivi com ele.

    Qual foi o problemas? Foi minha forma de sorrir, foram os meus sapatos, ou a forma que eu me assentava á mesa?
    O que fez com que ele soltasse minha mão para nunca mais voltar?
    Busco em mim a culpa, o erro... Mas onde errei se apenas amei? E amei com toda alma...
    Não raras vezes me dói, não aquela dor de trancar-me no quarto e querer morrer, até porque não tenho mais idade para fase “Julieta”, mas dói não entender o que faz uma mulher lembrar-se á cada dia de algo assim, de alguém assim, de um homem assim.

    As lembranças me vêem a cada manhã e se renovam até que a noite chegue como aquelas antigas fitas VHS que rebobinavam sozinhas assim que o filme acabava e bastava um clic no play para que começasse tudo novamente.
    O engraçado é que quando terminamos uma relação todos os carros da avenida são iguais ao dele, de igual marca, cor e modelo, e todo perfume é o mesmo.
    É como se todos os homens do mundo formassem um complô para usarem a mesma fragrância, me impedindo assim de esquecer o tal, e assim me torturarem diariamente com a fragrância das frutas pêra e cassis.
    E aí me pergunto: “Amamos a fantasia do amor ou o ser amado?”
    Se amei a fantasia de uma linda história de amor isso me preocupa, pois ele foi um péssimo protagonista e ainda assim o final da história me fez chorar.

    Sabrina

    ResponderExcluir
  8. Parabém Andrea! Gostei muito! acho que esse é um ótimo caminho, afinal entre a minha geração e a tua o pessoal tá acostumado com som e imagem... eu particularmente gosto mais de deixar a magia da leitura para os livros, acho que a internet tem recursos muito mais interessantes que as velhas letrinhas, por isso o vídeo é o caminho. Logo, logo o filosofiahoje.com também terá um vídeo Blog super legal... Te achei um pouco mansinha mesmo...mas acho que era mais preocupação do que estado de espirito, hehehe... Quanto ao texto, só posso dizer que "mundo feminino" pra mim é um mistério profundo... como sempre foi para todos filósofos, afinal a busca razão pura costuma a cegar os sentimentos

    ResponderExcluir
  9. Parabéns!

    Ao contrário do que pensas, não está parecendo uma pastora evangélica, nem nada do tipo. Está deixando apenas falar a voz do coração, e traduzindo sentimentos em palavras brandas, calmas, serenas, num tom de compreensão, auxílio e apoio. Afinal, julgamentos, medos, receios e inseguranças, apontamento dedos e tantas coisas negativas, as pessoas tem aos montes.

    O que falta, é isso. Delicadeza. Gentileza. Cordialidade, e falar mansamente, porém com o objetividade e certeza.

    Gostei muito do vídeo. Sou novo nesse mundo de blogs, mas voltarei pra te ler com mais calma.

    E mais uma vez, parabéns!

    ResponderExcluir
  10. Como diria o "manezinho da ilha": ARROMBASSI!!!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi, tudo bom?
    Bem legal teu blog. Layout bem clean, textos/fotos bem objetivos. Gostei. E vou recomendar pras minhas amigas de Cercadinho, ok? Pra que elas venham aqui visitar teu blog.
    Não sabe o que é O Cercadinho?
    Nos visita lá então. Acho que pode rolar uma interação bem legal.
    www.o-cercadinho.blogspot.com
    Beijos,
    Wanderlei

    ResponderExcluir
  12. Ai, Drea, quer saber?!! Eu ADOREI! =D

    Gostei muito de quando a câmera gravava teu rostinho de perto ...
    E o texto, putz, esse não precisa falar ... lembrei muito do nosso Luis ALberto e da coisa mais magnífica que já li sobre o amor que ele quem escreveu: "uma raridade chamada amor".

    Abraços carinhosos, querida.

    ResponderExcluir