quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Que seja amor e um ano bom - 2012 e seus desejos.




Não faço promessas, listas, planos no final de um ano. Meu tempo interno não é regido pelo calendário oficial, Chronos não me rege. Gosto de contar meu ano pelos amigos que fiz e pelos laços que aprofundei. Conto meus dias no presente, trago do passado apenas a experiência necessária e o futuro não o reconheço, meu tempo é agora.

As promessas são da ordem da ilusão, os pedidos pertencem ao impossível, os amores no espaço da troca, os sonhos no lugar do infinito. Estou em paz com meus desejos e em permanente diálogo com minha sombra. Meu desafio se chama congruência, ser para fora o que sou por dentro.

As perguntas que fazem forma são sempre; quem sou? O que quero? E qual a minha responsabilidade nas situações vividas? Meu norte é a intuição, minha lei, o amor.

Como diz Caio Fernando Abreu  de tudo, amigos, amores, família o que fica em mim é cada vez mais o essencial e o verdadeiro.

Desejo para todo mundo AMOR e LIBERDADE sempre. Em todos os sonhos, em todas as lutas, sobre todas as dores, que o amor possa prevalecer e a liberdade nos guiar.

Que em 2012 não tenhamos demais nem de menos, por que ter tudo é a mesma coisa que não ter nada e os desejos são tão necessários quanto as faltas.







Andréa Beheregaray    

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

As Pontes de Madison.




"Tenho a impressão de que tudo o que eu fiz até hoje foi para chegar até você"

Robert


"Você nunca imagina que um amor assim possa acontecer com você"

Francesca



"Não se desfaça de nós dois "

Robert


"Só vou dizer uma vez. E eu nunca tinha dito isso antes.
Essa certeza ocorre uma vez só na vida" 


Robert.


Em As Pontes de Madison.


Dilacerante.






Meta de 2012!







Aprender a não revidar provocações!



Juro que tento.




terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Amores imperfeitos por Jader Marques.





Do Face para o blog, do blog para o post.
Jader muito grata pela tua contruição, gostei muito das tuas reflexões e estou aqui a pensar sobre elas...Gostei tanto que valem um post, uma troca, uma contribução e vamos sempre um pouco mais além. Embarco no congestionamento de final de ano, via BR 101, terei tempo, enquanto dirijo, para refletir e breve te escrevo. Mais uma vez obrigada por compartilhar comigo teu pensamento. Beijo!  

_____________________________________

Lendo o blog TPM, da incomparável Andréa Beheregaray (Ponto G e Escritos Malditos), deparei-me com a questão: relacionamentos perfeitos existem?

A partir daí, outras perguntas inundaram minha cabeça. Um relacionamento entre pessoas, imperfeitas, pode ser perfeito? O perfeito habita este mundo sob a forma de perfeição? A dimensão ou o conceito de perfeição altera a resposta? O amor determina ou c...ondiciona o perfeito e o imperfeito de um relacionamento?

Paro de perguntar, porém, sem qualquer pretensão de começar a responder. Intuo, apenas, que uma fenomenologia dos relacionamentos talvez afastasse a necessidade de buscarmos uma qualidade estática para o que nunca cessa de ser, de estar sendo, de dar-se como sentido, como revelação e esquecimento, aparência e encobrimento, neste eterno "ter que" no qual estamos sempre jogados, seres mergulhados que somos, não por opção, no mundo que nos munda!

Na aplicação do verbo ser, prefiro as construções que privilegiam a idéia de contingência. Hoje sim? Amanhã talvez! Um relacionamento pode ser perfeito? Que o diga o Chico:

O meu amor tem um jeito manso que é só seu
E que me deixa louca quando me beija a boca
A minha pele toda fica arrepiada
E me beija com calma e fundo
Até minh'alma se sentir beijada
O meu amor tem um jeito manso que é só seu
Que rouba os meus sentidos, viola os meus ouvidos
Com tantos segredos lindos e indecentes
Depois brinca comigo, ri do meu umbigo
E me crava os dentes
Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz
O meu amor tem um jeito manso que é só seu
Que me deixa maluca, quando me roça a nuca
E quase me machuca com a barba mal feita
E de pousar as coxas entre as minhas coxas
Quando ele se deita
O meu amor tem um jeito manso que é só seu
De me fazer rodeios, de me beijar os seios
Me beijar o ventre e me deixar em brasa
Desfruta do meu corpo como se o meu corpo
Fosse a sua casa
Eu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapaz
Meu corpo é testemunha do bem que ele me faz






Quem tem a alma imoral, vive uma traição de cada vez e a cada uma, morrendo depois delas, renasce sempre melhor! Um beijo Andréia, JM




Sobre o envelhecimento.





"Quanto menos eu me reconheço em meu corpo,
mais me sinto obrigada a me ocupar com ele"








Simone de Beauvoir
em A mulher desiludida

Terça 27 na ULBRA TV - Programa TPM.






Pra fechar o ano antes de fechar minhas malas e sair de férias, participo dia 27 terça-feira 

do programa TPM - Tudo Para Mulher na TV ULBRA

às 11:20 ao vivo e reprise às 17:55.

O assunto será "o processo de envelhecimento e suas dificuldades".

  





segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Por que hoje tá foda.







A tristeza foi maior
que o texto
não quis caber no papel

Adele na vitrola
um copo de cerveja
um prato de sushi

tentei fazer um poema
que não deu
uma poesia
que não saiu
uma rima
que não nasceu

No fim só sobrou eu
e essa tristeza sem fim.








Andréa Beheregaray


Da série
Dor sem forma

Amores imperfeitos.



Acordei invocada hoje...Conversava com minha mana sobre relações humanas, relações ideiais, possíveis e tal. No amor, na amizade, nas relações familiares, idealizamos todas elas. 

Tenho poucas certezas, mudo de opinião tranquilamente e tudo o que escrevo aqui é uma hipótese. No mundo tudo é hipótese, apenas a nossa forma de ver as coisas e mais nada. Eu não tentarei te convencer de que estou certa, por que certezas não existem, e você também não tente fazer isso, mas estou aberta a trocar ideias e se a sua for boa, ótimo, reformulo a minha. A diferença trocada nos leva um pouco mais além no nosso processo reflexivo, por isso penso, só os idiotas não mudam de opinião, por que quem não muda de opinião não pensa e quem não pensa é um imbecil.

Mas voltando a única certeza que tenho é que relacionamentos perfeitos não existem. Desejar se relacionar com alguém que não tenha falhas, faltas, que nunca te decepcione é desejar a não-relação por que esta pessoa não existe e se ela não existe você vai passar o resto da vida procurando, nunca vai ficar satisfeito com ninguém, ninguém ira servir, ou pior, só servirá enquanto suprir suas demandas e necessidades. 

Veja, o sonho de demandas e necessidades supridas o tempo inteiro é coisa de mãe e bebê - fale com meu amigo Freud, ele te explica. Houve uma época em que se a pessoa me decepcionasse a relação era abalada e eu entrava naquele papo de adolescente de " quebrou não conserta mais". Papo furado. Se não foi algo grave e essencial isso é papo furado. Por que quem pensa assim deve achar que nunca falha, que é perfeito, que atende a todas as necessidades do outro e isso é de um narcisismo mortal.

Sim Narciso, aquele cara que viu seu reflexo no espelho e se apaixonou por ele mesmo e de tanto se achar perfeito tentou agarrar sua imagem refletida, caiu o lago e morreu afogado. Essa é a cilada do narciso a solidão e a morte. Ele anseia se relacionar mas busca uma perfeição impossível e quem não se relaciona morre, só.

Freud trabalhou muito sobre o mito de Narciso. Esse movimento dos primeiros estágios do desenvolvimento infantil que muita gente não supera. Acreditar-se perfeito e exigir perfeição é uma algema mortal. Quem não aceita ser contrariado, contestado, decepcionado, frustrado quer no fundo ser atendido e ser satisfeito o tempo todo. E o mais grave que não aceita isso não reconhece em si mesmo sua sombra e seus defeitos (Narciso só se apaixona pelo que for espelho já disse a canção).

Precisamos estar redimidos de nosso narcisismo para nos relacionarmos. As relações mais fortes e verdadeiras sustentam as falhas e os conflitos, por que o afeto verdadeiro, aquele que ama o belo e o feio do outro, constrói uma teia invisível e resistente que não rompe quando os conflitos surgem. Já as relações idealizadas não suportam isso e arrebentam na primeira dificuldade.

Eu e Gisele, por exemplo, antes de virarmos grandes amigas tivemos um conflito sério. Mas como eu e Gisele nos reconhecemos como seres falíveis e por isso não acreditamos em gente perfeita, nos unimos muito depois disso. Ela é lindamente forte, mas sua força não exclui seus defeitos, ao contrário, seus defeitos a tornam mais forte e bela. Linda Gisele, ôh mulher difícil! 

Já minha outra grande amiga Lisia... áh como nos sabemos, de olhos fechados nos sabemos. E de tanto nos enxergarmos vemos nossos defeitos claramente. Como amar uma pessoa apesar dos defeitos que vemos? Essa é a grande questão! O verdadeiro amor é inteiro e não metade. Eu a amo por inteiro e amo tanto por que ela me ama apesar de tudo o que já viu em mim. Ela conhece minha sombra e me ama e eu me sinto profundamente acolhida e amada por ela e a amo de todo o coração e sinto falta dela como se ela fosse um pedaço de mim, e ela é.         

Uma vez eu disse, quem amar o o bom, o belo, o bacana do outro é fácil, difícil é amar a sombra com todas as suas tensões e defeitos. Amar o mais bonito qualquer idiota faz, amar a pessoa na sua luz e na sua sombra é tarefa para poucos.  

Deixemos os perfeitos para pessoas sem imaginação!






Da série
Espelho, espelho meu.


sábado, 24 de dezembro de 2011

Desejos de Natal!





Desejo um Natal quentinho pra todo mundo!

E pra mim desejo não ter nenhuma crise depressiva neste Natal,

nem me trancar no banheiro 15 min. antes da meia noite

num surto de tristeza e solidão

Por que no Natal eu sou feliz até às 23:45

e depois das 24:05 eu volto a ser feliz outra vez.

Pra todos vocês eu desejo amor, amor, amor, amor e mais amor

e saúde mental tão necessária no Natal!!




Beijos,beijos! 

  

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Sobre aparências e verdades.



Por que ser bom, bacana, ético, justo na frente dos outros é fácil, difícil é ser tudo isso
quando ninguém está olhando.

Por que ninguém nasce bom e a ética é um exercício. 

 A pergunta é , se ninguém ficasse sabendo o que será que você realmente faria?



Da série
Eu não acredito em Papai Noel, autoengano ou 
quem é você quando apaga a luz? 

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Não lembre de nós dois.



Canção da separação : não lembre de nós dois.


Não lembre de nós dois
eu não serei seu amor
em outros tempos, talvez
pudéssemos acreditar
-
Mas somos grandes
demais para isso
Por isso
não lembre de nós dois
-
Não me torne responsável
pelas suas emoções
e por suas expectativas
eu nunca disse que sim
-
Por isso não lembre de nós dois
não me faça sentir culpa
pelos seus sentimentos
não me constranja com seu amor
-
Eu não posso libertá-lo
do tédio e da infelicidade
de uma vida que você escolheu
Por isso não lembre de nós dois

Eu poderia manter você aqui
para distrair minhas carências
e alimentar minha vaidade
mas essa não é a minha onda
-
Eu sou apenas aquilo que
você deseja que eu seja
eu não sou real
por isso não lembre de nós dois.

quando eu disse não, entenda, 
optei pela aridez da verdade
para que nenhuma dor 
seja grande demais 

Talvez eu goste de você
mais do que você mesmo
já não somos mais tão ingênuos 
para acreditar.



Por isso não lembre de nós dois.




Andréa Beheregaray
Da série
Canção sem som.
   

Saber viver.








"Estranha criatura o homem; não pede para nascer, não sabe viver e não quer morrer."




Albert Einstein





segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Você mudaria seus sonhos para ficar na vida de alguém?



Para as garotas polêmicas do Facebook! 

Estávamos discutindo no face a frase da música Problemas - Ana Carolina

"olha que eu mudo meus sonhos pra ficar na sua vida".

A pergunta foi, você mudaria seus sonhos para ficar na vida de uma pessoa?

A resposta foi unânime, não.

O preço é alto e, mais cedo ou mais tarde, o ressentimento vai pintar e pesar na relação. Aquele que abriu mão dos seus sonhos ou vai se arrepender ou vai jogar com isso responsabilizando o parceiro pela sua escolha.

Desdobramentos sobre o tema surgiram e breve vou escrever sobre.

  

No momento fica a frase para as meninas super-polêmicas que resume o debate.

domingo, 18 de dezembro de 2011

Receita de Natal - Panetone de Sorvete!

Sabe aqueles panetones sem graça que ganhamos e acabam estragando? 

Eu tenho a solução para salvar os panetones de Natal! 


PANETONE DE SORVETE!! 

Vamos lá, precisamos apenas de panetone e sorvete de creme.

1) corte a tampa do panetone e tire todo o miolo do panetone com uma colher.




2) Coloque o miolo do panetone em um recipiente e misture com o sorvete de creme.



3) depois coloque a mistura dentro do panetone e tampe.


4) Coloque no freezer.



Fica a dica gelada de Natal!





   

sábado, 17 de dezembro de 2011

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Um ano sem Luis Alberto Warat.


Olho para o mundo e meu sentimento é de desilusão. Olho para as pessoas cada vez mais perdidas e desesperadas e meu sentimento é de tristeza. Olho para as relações sempre tão esvaziadas e rasas e meu sentimento é de solidão. Olho para a violência que circula solta e meu sentimento é de profunda desesperança. 

Mas quando encontro pessoas como o Luis que, apesar da consciência e da clareza, em relação as coisas do mundo não se furtou de tentar transformar a realidade, que optou em ser um agente transformador, que se esforçou em ser congruente com aquilo que pensava e sentia, isso me serve de alento na caminhada.

Principalmente e acima de todas as coisas o grande valor do Luis foi ter usado para transformar a arma mais poderosa de todas: o AMOR.

Luis era amor. Luis é amor. Luis sabia que só através do amor conseguiríamos nos transformar. Que só o amor causa a verdadeira revolução. 

A verdadeira revolução vem do AMOR!!  


 Há um ano atrás o mundo ficava mais pobre. 

Saudades de Luis.






quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Ponto G.

CRÔNICA VIRTUAL - TEXTO!



Pra quem pediu o texto completo da crônica...



AMAR É FLERTAR COM A MORTE.

Cuidado com o que você deseja por que desejos podem se realizar, e nem tudo o que se deseja, se sustenta.
Sexta à noite conversava com uma amiga sobre isso, uma amiga que sempre disse desejar um cara legal, alguém para viver um grande amor. O cara apareceu, e agora?
O grande amor talvez seja o sonho mais desejado entre as mulheres, 11 entre 10 mulheres desejam viver uma história assim. Desejam tanto que muitas vezes, o homem, ou mulher o outro personagem dessa história, é o que menos importa. Temos um sonho e um plano para realizá-lo e, até estarmos mais maduras e conscientes, buscamos alguém que se encaixe nessa ideia.
Discordo do Lord Byron quando afirma que "na sua primeira paixão, a mulher ama o seu amante; em todas as outras, do que ela gosta é do amor." Nós mulheres primeiro amamos o amor depois o amante, só com o tempo e a experiência invertemos essa lógica. A maioria das mulheres, burras ou inteligentes, não importa, ama o amor - aliás, se existe um campo da vida em que a inteligência não faz a mínima diferença é no amor.
Mas voltando ao Lorde que, não era burro, mas que era homem, e por isso não sabe como nós mulheres somos apegadas a idéia de amor romântico e sofremos muito para abrir mão dessa fantasia.
Mulher se apega fácil. Tudo que é bom, que cheira a amor, carinho e atenção, que tenha disso uma leve aparência, nós nos apegamos. E depois para desapegar é um sofrimento.
Muitos homens acham que sofremos por eles, quando o relacionamento termina - o que talvez o ego masculino não os deixe perceber é que sofremos mais pela fantasia amorosa que vemos morrer do que pelo homem que se vai. É como se disséssemos "áh, mais uma vez perdi a chance de viver um grande amor". Por isso, não raras vezes olhamos para trás e descobrimos que o cara nem era tudo isso. Nem era mesmo por que "tudo isso" é o nome da fantasia romântica que o outro carregava.
Nós mulheres temos esse dom, de obrigar os homens a desempenhar papéis. Acho injusto com o parceiro. Fazer alguém carregar um sonho tão pesado, esse da fantasia romântica. A idéia de que sou a alma gêmea de alguém, de que alguém me completa, nos torna responsável pela felicidade do outro e isso acaba gerando infelicidade.
É muito peso e tudo o que é pesado gera culpa e como diz a canção, "meia culpa cada um que vá cuidar do seu", felicidade também.
Alma gêmea não se separa e não ter a liberdade de se separar é claustrofóbico. E se no meio do caminho você se convencer que aquele que está ao seu lado não é sua alma gêmea mas o outro não se convencer da mesma coisa? Culpa enorme! Como ir embora? O outro achando que você é a alma gêmea , sua partida vai representar a morte.
O negócio então é ter alma trigêmea, quadrigêmea... Assim passamos a olhar para os finais de forma mais serena e não como o fim do mundo.
Mas nem pense que por tudo isso eu não acredito no grande amor, acredito sim! Mas ele passa bem longe de fantasias de salvação e do amor romântico. O grande amor pra mim vive em liberdade - que nada tem a ver com promiscuidade e sim liberdade de pensamento, de ir e vir, de alma inteira e não metade. Minha alma é inteira, por isso posso ser livre. Não levo a metade da alma de ninguém de arrasto e nem estou em busca do pedaço perdido. Liberdade é responsabilidade pelas suas emoções.
O grande amor é feito de encontros especiais e raros, de mágicas afinidades, de sensação de paz encontrada no corpo do outro. Da uma comunicação profunda e silenciosa que só temos com determinadas pessoas. Quando dois universos se encontram, quando tudo o que é valioso, profundo é tocado por tudo o que é valioso e profundo do outro, e que só o outro consegue tocar. Uma sensação que não conhece o tempo, é como se já conhecêssemos o outro, por que o outro também faz parte de mim, esta em mim.
O grande amor sempre esteve,mesmo antes de chegar materializado no corpo do ser amado. O grande amor está dentro da gente, de dentro pra fora. O ser amado é a materialização de nossa intensidade, o grande amor é intensidade e é lindo. E quanto mais intensos somos, maior o mergulho e o amor que sentimos.
Viver um grande amor é assustador. Nenhum outro sentimento amedronta tanto quanto o amor. Todo mundo deseja isso, mas pouquíssimos sustentam viver uma história assim. Amar nos coloca numa posição de grande vulnerabilidade e fragilidade e por isso o amor é tão assustador. Se sentir desprotegido é uma sensação de morte. Amar é flertar com a morte, pois se tudo acabar é isso que vamos sentir, como se tivéssemos morrido.
O grande amor é assustador e exige enorme coragem.
Eu espero, de coração, que minha amiga vença seus temores e seus fantasmas e consiga viver esta história. Tenho certeza que será transformadora, mesmo que um dia morra, mesmo que seja breve. Ninguém permanece o mesmo depois de viver um grande amor.
Nada mais será igual e se acabar, acabou, por que sua alma é quadrigêmea e outros grandes e diferentes amores virão. Basta manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo.Desejo sorte e coragem para todos nós!
Por que coragem não significa ausência de medo, mas sim enfrentar a vida, apesar do medo.

Você se pegaria?






Passamos batido naquela citação bíblica

"Ama ao próximo como a ti mesmo".

Em uma linguagem mais simples e direta seria:

Eu me pegaria!

Se você gosta de você o suficiente para "se pegar"

Se você gosta de estar na sua compania

Sair com você mesma

Só você e você

Ir ao cinema

Tomar um café consigo

Lhe dar coisas boas

Lhe levar para passear

Sorrir ao olhar no espelho

Sem narcisismos ou afetações

Simplesmente por que você gosta de você

Se você se pegaria

Acredite, você não vai ficar em relações pela metade, aceitar migalhas afetivas, ter medo de querer um cara bacana no seu lado, ou se deixar enrolar com meias verdades.


A autoestima está na base de qualquer relação amorosa.
Não é possível dar o que não temos e só vamos receber de amor aquilo que achamos que merecemos.


O amor é via de mão dupla, troca, você recebe aquilo que tem à oferecer

Se achar que não é grande coisa é isso que você terá, alguém que também não é grande coisa.

Se você se acha alguém bacana, que merece alguém bacana é isso que você terá.

Então trabalhe a sua autoestima ao invés de esperar que alguém lhe salve disso. 

   

Saudades.





"Descobri que a saudade, quando atinge a carne, não é simples nostalgia, mas sim uma dor; da raiz dos cabelos até à planta dos pés, ela tece sobre a minha pele uma túnica envenenada."















Simone Beauvoir, in A força da idade, 1960

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Eu sei que você está sofrendo agora - uma canção para sua dor.



Aprendendo a ser Fênix
Enquanto tocam velhas canções de amor.




Você pode ouvir a canção?
Ela diz que amar pode nos fazer sofrer
mas alguém havia nos dito
que amar só deveria nos fazer bem.


Você percebe
que por toda vida será sempre assim?
Amar e desamar 
Mal amar, aprender a amar.


O mesmo, o novo, o diferente
e novamente nos vamos nos machucar
Você consegue perceber 
o alto preço do amor? 


Eu escuto a canção agora
Eu posso ouvir a voz do jovem cantando
Ele ainda não sabe
que desejamos amar mais


mas que nem sempre sabemos fazê-lo
e que isso pode ser arriscado e doloroso
e que quando o amor começa acabar
escorrendo entre nossos dedos feito água


não conseguimos segurá-lo
vamos com ele para o fim
somos chuva, somos lágrima 
no céu azul escuro da mais fria noite de solidão


Eu sei o que você sente
Eu também posso sentir a sua dor
O amor é especial e particular
A dor de amor é universal


Você consegue ouvir essa canção?
Ela ainda vai tocar muitas vezes dentro de você
E você vai amaldiçoar os dias em que esteve nos braços do amor
Para só depois, muito tempo depois, bem dizer o que viveu


Por que todo amor é uma espécie de preparação
Para o grande amor, um dia
Que só poderemos viver com a alma inteira
Por que suportamos a morte dos amores findos


Olhe para si mesma agora
E saiba que ninguém vai lhe amar muito
Se você não fizer isso primeiro
Por você


O amor que recebemos 
é do tamanho do amor que levamos no nosso coração
Nada vai acontecer de belo
Se você não conseguir olhar dentro de você


Fique em silêncio enquanto a música toca
Deixa a chuva lavar as cicatrizes que o amor deixou
mas não queira que elas se apaguem
Suas marcas são como velas iluminando o caminho


E vamos aprendendo que se algo de nós morre
quando um amor termina
Algo mais forte nasce dentro da gente
Pronto para amar novamente.


E mais bonito.
Vamos aprendendo a ser Fênix
Homens e mulheres
Enquanto cantam velhas canções de amor.


   


Andréa Beheregaray
  






Diante dos comentários recebidos pela Crônica Virtual eu fiz essa canção sem som para você Sabrina que representa todos nós que amamos e sofremos.

Cartas do Inferno.


 Adoro biografias e autobiografias, no entanto, agora minha onda é outra: cartas e diários.
Me dei conta que por melhor que seja uma biografia ela é sempre a visão do outro sobre a vida de alguém, no caso, alguém que valha uma biografia tem que ser, no mínimo uma pessoa interessante e pessoas interessantes são sempre contraditórias, se não, não seriam interessantes, rsrrss. Gente sem contradição não merece nem duas páginas, no máximo uma indicação em embalagem de queijo, sem sal.

Autobiografias me parecem até piores, não há como pedir sinceridade absoluta sobre a vida de alguém. Falar tudo de si mesmo é prostituir-se, prostituir seus amores, seus dramas, sua existência. Por isso acho que as autobigrafias só valem em casos específicos - questões histórias e políticas, por exemplo.

Agora cartas, diários, rascunhos são fascinantes. É a existência em tempo real mesmo que muito tempo depois, a vida sendo elaborada linha a linha sem desejo de lógica ou maquiagens. 

Nessa onda fica uma dica super interessante - Cartas do Inferno de Ramóm Sampedro- que deu origem ao filme MAR ADENTRO.

Cartas  e poemas de um homem que deseja morrer.
Um diálogo com a morte, o desejo por ela.

Para rever nossos conceitos.


Até o natal dou mais dicas interessantes nessa linha!              

sábado, 10 de dezembro de 2011

Como nasceu o primeiro poema de Bukowski!









O perdedor

e quando dei por mim estava numa mesa
todos se foram: um exemplo de bravura
sob as luzes, franzindo a testa, me açoitando...
e então um cretino ficou ali parado, fumando um charuto
"Garoto, você não é um lutador" ele me disse
e eu me levantei e o derrubei sobre a cadeira com uma pancada;
foi como uma cena de filme, e
e ele ficou lá sentado sobre seu traseiro gordo e disse
sem parar: "Jesus, Jesus qualé o seu
problema?" e eu me levantei e me vesti,
ainda com o esparadrapo nas mãos, e quando cheguei em casa
arranquei o esparadrapo das minhas mãos e
escrevi meu primeiro poema,
e venho lutando 
desde então.






Bukowski
    Textos autobiográficos   

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Sobre a moral e os bons costumes.



Frequentemente a tirania e a intolerância
se disfarçam
de
moral e bons costumes.





Andréa Beheregaray

Aquela velha canção.





"Eu não vou te mandar pro inferno porque eu não quero

E porque fica muito longe daqui.

Quando eu te ligar cantando aquela canção

Pra te desnortear, te ferir com carinho

É pra fazer doer no seu ouvido -

 a nota melhor do nosso amor"





Marisa Monte

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

MulhereMachista.com





As mulheres são muito machistas.

Falam em liberdade, lutam por liberdade, mas são, muitas vezes as primeiras a criticar, condenar e rotular mulheres verdadeiramente livres. 

Se valem do discurso masculino quando lhes convêm.
Colocam etiquetas de "putas", "promiscuas", "atiradas", "patricinhas", "burras","do lar".

É aquela velha história
consideramos justo e correto apenas as causas e coisas que nos benificiam
dificilmente vemos alguém dizer que é justo
algo que, mesmo justo, vai contra seus interesses.

É, Simone de Beauvoir que nos proteja!
,As mulheres são suas maiores perseguidoras.
reproduzindo velhos discursos e práticas machistas.

  

 Andréa Beheregaray