11/09



Para cada vida perdida,
uma mãe que chora
Para cada vida perdida
um pai que chora
Para cada vida perdida
um irmão que chora
Para cada vida perdida
um filho que chora
Para cada vida perdida
um amor que chora.

Sou profundamente sensível as dores do mundo

Por todos aqueles que perderam a vida naquele dia
e nos dias que se seguiram

Brasileiros, americanos, japoneses, africanos, indianos, árabes, judeus, chineses, coreanos e europeus.

Pessoas.
Pessoas.
Pessoas.

Que a palavra interesse não se disfarce de justiça, que eu possa lutar em nome do que acredito, mas que eu também o faça quando eu não tiver nada à ganhar. São muitos os homens que gritam uma injustiça quando esta os atinge, poucos, no entanto, os que se levantam quando o mal atinge um desconhecido. Que eu não perca essa coragem pois desta forma me perderia.
Que teu filho seja o meu filho, que o meu filho seja o teu filho também.
Andréa Beheregaray


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É a vida!

Ser.

Árvores Floridas