Você foi covarde.










Você me pediu um cigarro
Agosto


Saudades ficam violentas quando mudamos de endereço. Saudades ficam insuportáveis quando mudamos de sentido.
Você confunde sacrifício com covardia. Compreendo. Eu confundo amor com loucura. Cada um tem seus motivos, sua maneira de se convencer que fez o melhor, fez o que podia. Você me avisou que não tinha escolha. Nunca teria escolha (...) Não serei vizinho de seu sobrenome. Seus nomes esperam um único nome que ficou para trás. Você não desencarnou, não se encarnou, deixou sua carne parada nas leituras. Morrer é continuar o que não foi vivido. Vai me continuar sem saber. Você foi covarde. Com sua ternura pálida, seu medo de tudo, sua polidez em cumprir as promessas. Você não aprendeu a mentir. Tampouco aprendeu a dizer a verdade. (...) Você não revidou nenhuma das agressões, não revidará mais essa. Você foi covarde. A mais bela covardia de minha vida. A mais comovida. A mais sincera. A mais dolorida. O que me atormenta é que sou capaz de amar sua covardia. Foi o que restou de você em mim. 


Fabrício Carpinejar

Comentários

  1. Amei seu blog *-*
    parabéns
    estou te seguindo!
    bjooos
    se puder me visitar
    http://comicaseironicasdaocronicas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. (Desculpa)
    "Eu não vou renunciar a mim
    Nenhuma parte ,nenhum pedaço do meu ser,
    Vibrante, errante,sujo,livre,quente
    Quero estar vivo e permancer..."

    (Carpinejar na voz da Ana Carolina é imbatível)

    Agora vou atacar de Roberto Carlos :)
    Outra vez

    Você foi...
    O maior dos meus casos
    De todos os abraços
    que nunca esqueci...

    Você foi
    a mentira sincera
    Brincadeira mais séria
    Que me aconteceu

    Você foi
    O caso mais antigo
    O amor mais amigo
    Que me apareceu ...

    Sinto você perto de mim
    Outra vez...

    p/resumir
    "Você foi toda felicidade
    Toda maldade que me fez bem ...

    Brincadeiras à parte...perdão!

    Beheregaray
    Como sempre post irretocável ...

    ResponderExcluir
  3. Fernandes!

    O que dizer... ler isso chegou a doer aqui!!

    Sim, essa na voz da Ana é imbatível, quase posso ouvi-lá!

    E essa música do Roberto, uma das minhas preferidas, veio na minha cabeça enquanto lia o texto do Carpinejar...

    Sem palavras!

    ResponderExcluir
  4. Isso foi lindo. Parabéns.
    Um beijo do observador.
    Ps. O amor sempre foi uma covardia.
    "Amar é cansar-se de estar só: é uma covardia portanto, e uma traição a nós próprios (importa soberanamente que não amemos)." Fernando Pessoa
    Mas quem já nao foi covarde e continuará sendo?

    ResponderExcluir
  5. "As histórias não têm desfecho." - Alberto Dines - (Epígrafe do conto "Onde estivestes de noite", da Clarice Lispector)

    ResponderExcluir
  6. Cara_mba Andréa...
    Que bom que trouxeste pra cá, senão não teria visto!

    O tal tormento é uma das maiores loucuras do universo do sentir - se é que amar já não constitui loucura por si só.
    Uau! Palmas para a sacada sobre o tormento, de Fabrício Carpinejar.

    Beijos, querida!!

    ResponderExcluir
  7. Meus Parabéééns !!! O único comentário que tenho em mente é Esplêndido !!!
    Beijos

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

É a vida!