Poeminha meio samba da mulher invocada!






Cansada de fazer graça, quero mesmo é fazer cena.
Hoje eu tô de luto, hoje tô de cara, e tô muito bagaceira.
Me cansei de poeminha, quero te escrever garrancho.
Hoje eu quero é confusão!

Chutei a coerência, e a mania de entender.
Vou gritar no teu ouvido, te fazer arrepender.
Eu tô braba pra caralho!

Tô cansada de sorrir, de ser mansa, de ser leve,
Quero mais é confundir.
Se pra te ter, tenho que me abandonar,
eu escolho a linha torta. Desinteresse em agradar.

Porque o meu entendimento, não me impede de sentir.
E o que sinto é contrário do samba que escrevi.
Se penso com clareza, justeza e letra feita.
O que sinto é profundeza e pura contradição.

E se me quiser sujeito vai ter que encarar
boa moça, maloqueira,
puta, santa, barraqueira 
mulher rude e delicada.

E se pedir metade?
Mando a puta que pariu!




Andréa Beheregaray
Do livro Ponto G - universo feminino sob tensão!

Comentários

  1. Olá ..APAIXONEI PELO SEU BLOG AGORA SOU LEITORA ASSÍDUA AQUI..AMO CAIO F. ABREU..PARABÉNS PELO TRABALHO,....
    http://coqueluchemodas.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Ameei Andrea.. Muuito show esse post rsrs!!

    ResponderExcluir
  3. Amei! Quero esse livro tem como me enviar?

    ResponderExcluir
  4. É por essas qque eu eu gosto de vc Andrea, !
    Pela profundeza contraditória :D

    já fez meu dia mais feliz.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

É a vida!