Chegadas e partidas.






"Quando me entrego, me atiro. Mas quando recuo, não volto mais."


Clarice Lispector.


Comentários

  1. "(...)Mas não me leve a sério, sei que nada é definitivo." Clarice Lispector

    NADA É DEFINITIVO e o recuar é permitido quando entendermos que vale a pena...

    Prefiro ser feliz a ser orgulhoso.

    ResponderExcluir
  2. "(...)Quando me entrego, me atiro e quando recuo não volto mais.
    Mas não me leve a sério, sei que nada é definitivo."
    NADA É DEFINITIVO...e o recuar é PERMITIDO...
    Entre o orgulho e a felicidade...escolho SER FELIZ!!!!

    ResponderExcluir
  3. "não recuar...por princípio ou por orgulho" um amigo postou no mural do teu Face.
    Princípios são sagrados;
    Orgulho (sentimento) é gratificante;
    Orgulho (atitude) é mordaz e restritivo.

    ResponderExcluir
  4. Gostei da diferenciação sobre orgulho. Ele pode ser também protetivo. Em alguns casos a situação da qual se recua foi prejudicial, quando intencionalmente alguém nos faz algum tipo de mal, então recuar é necessário e saudável. Ai o orgulho salva.
    Nos outros casos, coisas da vida, desencontros e tal, dai sim vale voltar, recuar, repensar e ser feliz!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

É a vida!