Duas mulheres fortes...


Demora-te sobre a minha hora.

Antes de me tomar, demora.
Que tu me percorras cuidadosa, etérea
Que eu te conheça lícita, terrena
Duas mulheres fortes
Na sua dura hora.

Que me tomes sem pena
Mas voluptuosa, eterna
Como as fêmeas da Terra.
E a ti, te conhecendo
Que eu me faça carne

E posse
Como fazem os homens.


 
Da morte. Odes mínimas. (1980)

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

É a vida!

Ser.

Amores mortos