sábado, 30 de abril de 2011

Casamento Real, a Mulher Maravilha e o Harry - Harry - Harry!


Eu sei, eu sei, o casamento estava lindo, a noiva elegantérrima, o noivo o tímido mais charmoso dos últimos tempos, mas nada é mais lindo que o príncipe Harry! Um principe ruivo, irreverente, de sorriso fácil. Não tem, sou apaixonada por esse príncipe! Cara de tinhoso. minha sombra romântica projetada no príncipe mais "tudo". Regrido no mínimo uns 10 anos cada vez que vejo o Harry. Só regrido mais quando encontro objetos com a imagem da Mulher Maravilha - minha outra paixão totalmente irracional. Eu se fosse a irmã da noiva, bom, você sabe, aproveitaria a festa no castelo para estreitar ainda mais os laços com a família real. O Harry ali, todo satisfeito, enfim...aiaiiai, dava um dedinho pelo príncipe traquinas. 
Quando eu era menina vivia com a roupa da Mulher Maravilha, amava aquele shorts cheio de estrelas e andava sempre de capa. Brincava na rua fantasiada. Assistia o filme quando chegava da escola e, fascinada. observava ela se transformar de executiva à heroína.
E falando nela, não é que a sortuda do século -kate- lembra muito a mulher maravilha?!? Aiaiaiai...umas com tanto, outras com tão pouco. C `est la vie. 



 

quinta-feira, 28 de abril de 2011

INTERFACES DA CRIMINOLOGIA - SANTA MARIA.



Como professora tive o prazer de dar aula para uma excelente aluna, inteligente e comprometida, Aline Baumer idealizou esse evento e fez acontecer. Até lá então! 

terça-feira, 26 de abril de 2011

NOVIDADE EM DOSE DUPLA! PONTO G E ESCRITOS MALDITOS.



Novidade em dose dupla, meus novos livros, enfim estão prontos!!


"Ponto G - universo feminino sob tensão" e "Escritos Malditos"!

Para completar os livros são apresentados por pessoas muitos especiais. Minha amiga-irmã Maura Gizele Rozado apresenta o Ponto G e meus queridos amigos Moysés da Fontoura Pinto Neto e Gabriel Divan apresentam o Escritos Malditos. Não preciso dizer que estou feliz, né? Muito obrigada queridos, digo e repito, vocês são amores que a vida me deu de presente. É bom saber que tenho vocês.

Quanto aos livros ficaram muitooo bacanas e tem estilos totalmente diferentes, apesar de, em alguns momentos, terem temas em comum. O Ponto G foi um livro pensado, elaborado, estudado, construído. Demorou mais para nascer. Os "Escritos malditos" é filho do inconsciente, se impôs soberano a partir da leitura de Charles Bukowski, em 1 semana estava pronto - o inconsciente atravessou os planos da consciência. Por isso, por terem nascido de forma paralela, mas complementar, resolvi pela publicação conjunta. 

Assim que fechar a data do lançamento, claro, divulgo aqui.

É feliz da vida que apresento meus livros. Mais detalhes na aba "Livros" do blog.  

Um beijo grande!!

       

sábado, 23 de abril de 2011

Ponto Gente e a inteligência, afrodisíaco do desejo.



Inteligência é afrodisíaco, frase mais batida que essa, só duas dessas. Que inteligência é afrodisíaco isso é fato. Fato para quem é inteligente, claro. O Woody Allen diz que o segundo órgão sexual mais importante é o cérebro. Perfeito. E aqui falo de "inteligências", todas elas, a emocional também. Não há nada mais sexy que uma pessoa inteligente. Se fisicamente ela é feia, na medida em que se desloca se manifesta, ela vai ficando cada vez mais bonita aos olhos de quem pode "ver". 
Como no filme de Saramago, feche os olhos para poder enxergar de verdade pare, escute e sinta. Tá cheio de gente linda por ai. E o linda aqui não tem relação nenhuma com o estereótipo de beleza, com uma barriguinha sarada e um bumbum durinho. Áh,mas não tem mesmo! Não existe nada mais broxante que uma pessoa bonita fisicamente que, quando abre a boca só fala besteira. Não gosto de chamar de gente burra, prefiro "desfavorecidos intelectualmente". Independente, no português claro, gente burra é anti-tesão. 
E quando inteligência vira o mais poderoso afrodisíaco para alguém, não só a aparência, mas a idade do parceiro deixa de ter importância. A idade é um número relativo que não diz absolutamente nada de você. tanto faz se você tem 33 ou 93, se você for um idiota, será um idiota e ponto, não tem diferença quanto pesa seu corpo em anos. 
Sendo a inteligência aquilo que mais lhe dá tesão, cai por terra aparência, idade e gênero. A inteligência é o que fascina e tanto faz se o portador dela é homem ou mulher.Seu interesse pelo outro não fica reduzido ao órgão sexual do outro. O outro é tão fascinante que o desejo transcende, vai além.

Por que Ponto G é ponto GENTE, desejo puro e muito mais.

  

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Criminologias- Passo Fundo.




Em cima do laço, segunda participo do evento "Criminologias" em Passo Fundo, falando sofre um tema que me fascina: a função psíquica do bode expiatório.





CRIMINOLOGIAS - Discursos para a Academia


25 de Abril (Segunda-Feira)

19:00 – Abertura

19:30 – Alexandre Costi Pandolfo – Discursos Criminológicos, Violência e Representação
20:00 – Moyses Pinto Neto – Criminologia e Ética no Direito Penal do Inimigo
20:30 – Andréa Beheregaray - Por que precisamos de inimigos? A função psíquica do bode expiatório.
21:00 – Debate

26 de Abril (Terça-feira)

09:30 – Grégori Laitano – Criminologia e Filosofia: Criminologia do Encontro

10:00 – Marco Scapini – Criminologia e Filosofia: Criminologia e Desconstrução

10:30 – Carla Marrone – Criminologia Feminista e Violência Contra a Mulher
11:00 – Debate

26 de Abril (Terça-Feira)

19:30 – José Linck – Criminologia Cultural e Desvios Urbanos

20:00 – Eduardo Pazinato – Políticas Públicas de Segurança e Violência Urbana

20:30 – Elisiane Pasini – Direitos para quem? Prostituição de mulheres e teorias feministas
21:00 – Debate

27 de Abril (Quarta-feira)

19:30 – Ana Caroline M. Gonsales Jardim – Vidas e Experiências na Prisão
20:00 – Paula Gil Larruscahim – Criminologia Crítica e Criminologia Cultural

20:30 – Salo de Carvalho – Atores Judiciais na Era do Punitivismo

21:00 – Debate e Encerramento

terça-feira, 19 de abril de 2011

PRECONCEITOFOBIA


Todo mundo tem algum tipo de preconceito.


Pré-conceito é aquilo que vem antes

do conceito formado

é conceito pela metade.

Fruto de burrice, recalque ou incapacidade.


Por isso não adianta querer

discutir com conceitos elaborados

resultado de reflexão

Não discuto, nem busco argumentar


Uma pessoa preconceituosa sozinha

é apenas um estorvo solitário

Várias pessoas preconceituosas juntas

são realmente muito perigosas 


Eu tenho preconceitos também

tenho preconceito

contra pessoas preconceituosas



Eu tenho 

PRECONCEITOFOBIA

Roubando essências - o gozo perverso.





"Sabem que há pessoas, pessoas lindíssimas, que gostaríamos que pudessem nos ver numa situação diferente, num lugar diferente, em vez de nos verem como somos, no que nos tornamos. Mas acima de tudo, gostaríamos de não ser tão covardes por desejar coisas que nunca vão mudar."


Filme Wanted.

Quando aquilo que se vê no espelho não é o que gostaríamos, é chegado o momento de mudanças. Mudar o rumo, virar o lado do disco, tocar uma nova canção. Uma metamorfose diferente e consciente que só é possível por que, em algum momento, tivemos a coragem de ter decido baixo, raso e rente no humano, demasiado humano. Por que só após o mergulho nas sombras podemos fazer uma escolha. Nem todos podem, alguns não suportam o que encontram e sucumbem, permanecem presos pelas algemas da loucura. 

Caso você negue, por ingenuidade ou defesa, a sombra vem ao seu encontro no corpo de Dionísio.  Todos os que se opuseram a ele sofreram sua vingança que sempre se manifesta pela dilaceração, morte e loucura. Dionísio exige reconhecimento e integração da psique, do contrário irá destruir toda a ordem e racionalidade. A visão de mundo como um lugar paradisíaco, ingênuo, feliz e romântico tem hora para acabar. É o processo de amadurecimento, natural. É impossível permanecer no útero para sempre sob pena de morte psíquica. 

Cada um tem seu tempo. Alguns se deparam com a sombra humana mais cedo que outros e, reconhecendo-a, integram a personalidade. Outros ainda querem crer que toda visão pessimista da vida é resultado de mentes frustradas e ressentidas, estes se irritam com todos os que ameaçam sua visão romantica. Tem gente que, no entanto, tem um lado sombrio acentuado e, diferente do romântico, não consegue ver nenhuma beleza, sua visão de mundo é profundamente corrompida e pervetida - geralmente em função de suas primeiras experiências.   

Estas pessoas, por nunca conseguirem sair desse lado escuro e perverso, ou por optarem lá ficar, tentam convencer os outros de que tudo é uma grande sacanagem e de que você é um otário, caso tente preservar alguma coisa nobre dentro de você. É o discurso perverso, o gozo também . Todo aquele com uma estrutura perversa, vai tentar convencer você de que vocês são iguais. E até certo ponto eles estão com a razão. Todos nós temos o potencial para a maldade, para o ruim, coisas terríveis vivem adormecidas na alma humana. Mas existe um outro lado, que pode ser pensando como o extremo desse. O lado bom, bonito, humano, solidário. O lado da ética e do amor. Que não se engane, não é "natural", é exercício e escolha. 
Toda potência de vida contem em si milhares de possibilidades, de lados e extremos. E nos somos artífices da nossa história. Cada um, com aquilo que pode e possui, terá que trabalhar seu material interno e moldá-lo, incessantemente.

Talvez a maior perversão humana venha do sujeito marcado, desiludido, aquele que está mergulhado na podridão do humano e, que lá, por opção, desilusão ou fraqueza, resolva tocar para o fundo todos aqueles que ainda não desceram, na sua trajetória, não fizeram a descida ao encontro do que é torpe dentro de si mesmo. E então, estes seres marcados, tentam arrancar à força, macular, machucar, impor dor e sofrimento. Reconhecem o ingênuo, ou aquele que se nega a ver a sombra humana, e então, ardilosamente, jogam com o outro. É o ressentimento secreto daquele que viu sua esperança ser tragada pelos caminhos da vida e então, vai em busca da ingenuidade perdida. Não para recuperá-la, mas para destruir a do outro. A tentativa secreta de não ficar só em um lugar escuro e frio, do qual ele não consegue sair, por que é incapaz de voltar a acreditar.

Como o personagem do filme, "O perfume", aquele ser com a marca da dor e da destruição, sai pelo mundo roubando essências de moças virgens e imaculadas. De mulheres que ainda guardam sonhos de amor em sua alma, mulheres que ainda não conheceram à face da traição. E como cada um tem seu processo, de sair da ingenuidade ao desencanto, para então optar em como caminhar entre esses dois lados que se completam e nos fazem humanos, então aquele roubado e violado antes da hora, morre. Tem sua essência roubada, sua alma. É disso que fala o filme.

E por isso, tantas vezes, vemos esses seres, com a marca da desilusão, caírem de amores e de encantos por almas ingênuas e leves. Essa também é uma forma de resgate. Quando encontram alguém que os faz acreditar outra vez, que nem tudo está perdido, que nem tudo é dor e desilusão, sacanagem, jogo e destruição. E gente assim os faz respirar outra vez. Acordam esperanças adormecidas, delicadezas roubadas, coisas belas perdidas. E o perverso pode, apesar de tudo o que sabe e tudo o que viu, retornar e acariciar suave o rosto da ternura.

No entanto não pode fazer uso da essência, por que é um ser ressentido e quer tirar do outro o que não possui, não para usar - o que é impossível já que cada perfume, o cheiro da pele é sempre único e intransferível, como a alma- por não poder "usar" o perverso quer destruir.

O perverso coleciona histórias de destruição por que ele só conhece essa possibilidade. É um ser devastado internamente e seu processo nada tem a ver com a do sujeito que integra sua sombra na personalidade consciente.

Conhecer para integrar faz o homem. Conhecer para destruir, faz o perverso.         

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Paixão pela vida.






"A vida é um dom. De poucos para muitos. 
Dos que sabem e possuem aos que nem sabem e nem possuem".


Amadeo Modigliani

domingo, 17 de abril de 2011

SIN





SIN em inglês

significa pecado

Se Deus quisesse

que o homem não pecasse

teria chamado

de NAO

Lá quando eles rezam

afim de resistir as tentações

Dizem com fé

This is SIN

 SIN no

No SIN

Isso SIM - Isso SIM- Isso SIM


Amém.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

As estações do rádio.


Tua voz me beijando, terna
tua língua entre minhas pernas
O som no rádio até o amanhecer.

Depois de ti, deixei de contar os dias.
Não sei do ontem, o amanhã, passou.
Só conto os dias em que você ficou.

O ano esqueço,o mês não sei
mas lembro sempre
dos dias quentes que estive com meu bem.

Não sei a hora, nem estação
Se é quente ou frio
não importa não.

E nada interessa, se não estás
Ligo meu rádio à esperar
O dia lindo pra ver meu bem voltar.

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Psicologia e violência - artigos.

BREVE ENSAIO SOBRE A FUNÇÃO PSIQUICA DA LOUCURA E VIOLÊNCIA

O OUTRO NECESSÁRIO: PARTÍCIPES DA ESCURIDÃO
Estou disponibilizando na aba "artigos", alguns artigos publicados e ensaios sobre psicologia e violência.

domingo, 10 de abril de 2011

Cartas para Luis.



Cartas para Luis - pequeno espaço em homenagem a este amigo de alma iluminada e um imenso coração - Luis Alberto Warat.

Aqui nossa correspondência pública de um encontro breve e intenso. Cheguei em sua vida um pouco antes de sua partida, considero isso um privilégio. Luis não era apenas um intelectual genial, Luis era congruente com o que escrevia. Congruência entre aquilo que você escreve e aquilo que você é, é algo raro. Mas Luis era raro e por isso, quando o conheci, fiquei feliz em perceber isso.

Era gentil e, principalmente, afetuoso com aqueles que lhe cercavam. Mas não confunda isso com a docilidade dos covardes que usam a gentileza como forma de evitar conflitos, ou com a hipocrisia, regra no ambiente jurídico. Luis tinha opiniões fortes, sabia quem era e sentia profudamente as idéias que defendia.


Luis é aquilo que diz, e isso, sem dúvida é seu maior valor.

Ele me ensinou muitas coisas sobre o amor. De forma sutil iluminou recantos escuros da minha alma. Foi Luis quem me mostrou que eu podia escrever. Uma noite no seu Cabaret Castelhano ele me apresentou assim aos amigos "Andréa é uma poeta, escreve as mais belas poesias eróticas que já vi uma mulher escrever". Posso ouvi-lo falar, com seu sotaque, agora mesmo. Não esqueço, meu espanto. Nunca havia me pensando assim, poeta.

Luis é isso, toca em você sempre o mais bonito.

Apesar da correspondência aqui estar datada, quero dizer que toda palavra de amor é atemporal. Uma vez dita, fica repercutindo na eternidade. Porque o amor é assim, sem forma, tempo ou espaço é a maior e mais poderosa experiência humana.Luis, um beijo bonito para você também.



Obs:As cartas ainda estão sendo editadas para postagem completa.


Você pode encontra-las nas novas "abas", acima do novo layout.


quarta-feira, 6 de abril de 2011

Filosofia.






"Quanto a você, da aristocracia

que tem dinheiro, mas não compra alegria

Há de viver eternamente

escrevo dessa gente,

que cultiva hipocrisia."


terça-feira, 5 de abril de 2011

Patrick Swayse.




“Agradeço-te por teres escolhido amar-me. Sei que foi, por causa de ti, que encontrei a minha alma e tornei-me no homem que sempre quis ser. És a minha mulher, amante, amiga e senhora. Sempre te amei, amo-te e vou amar-te para sempre”


Patrick Swayze (em carta deixada para a esposa e que fará parte de sua biografia


Patrick conheceu Lisa, aluna de ballet na academia de dança da mãe do ator. Casaram-se em 1975 e ficaram casados por 34 anos.

sábado, 2 de abril de 2011

É preciso saber viver.



Coisas, coisas, coisas...minhas mãos estão coçando, inquietas, escrevo, escrevo, mas não por aqui, por lá. Estou ansiosa para falar das novidades...mas ainda não posso. Preciso esperar. Não gosto, sempre fui de não guardar presentes e nem ficar esperando o momento ideal, ganho, uso e me divirto. Nesse caso, no entanto, não posso. Está no forno a novidade. Novidades, na verdade. Coisa boa no plural.


De qualquer forma, encontrando um tempo no meio de tantas coisas, quebro o jejum da blogsfera e registro algo que, hoje, pensei sobre os trabalhadores compulsivos. É mais ou menos assim:


O workaholic tem muito medo da morte e por isso trabalha tanto. Para dar sentido a sua vida e não correr o risco de que as horas se encham de vazio e angústia. O vazio tem cheiro de morte e trabalhar, trabalhar, trabalhar pode preencher uma vida. Pouca gente sabe o que fazer da sua vida quando as horas vagam, quando as férias vem.


O trabalho é uma bóia. O capitalismo um grande oceano de náufragos desesperados agarrados a qualquer coisa que ajude a lhes manter a tona e que os impeça de se afogar na imensidão.


O lema do capitalismo e chegar ao topo, nunca ao fundo. Ao fundo de si mesmo.


Pensando bem, o workaholic não tem medo da morte, tem medo é da vida.