Porque é verão.


Mas quase nem doeu, meses seguintes, pois veio a primavera e trouxe tantos roxos e amarelos para a copa dos jacarandás, tantos reflexos azuis e prata e ouro na superfície das águas do rio, tanto movimento nas caras das pessoas com suas deliciosas histórias de vivas desimportâncias, e formas pelas nuvens nas sombras do jardim pela tardinha. (…)


E principalmente manhãs, que não eram de agosto, mas de setembro e depois outubro e assim por diante até janeiro do novo ano que, em agosto, nem se atrevera a supor. Estou forte, descobriu certo dia, . Porque não morri, porque é verão e eu quero ver, rever, transver, milver tudo que não vi.”

Comentários

  1. Te conta querida, ainda dói aqui, mesmo com esse azul todo... e esse calor e esse sol lindo...
    vai passar?

    bjos querida
    desculpa o sumiço!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

É a vida!