Poemas Caipiras - do livro TPM



De goleada.


Não estou assim, acostumada
a perder de goleada;
eu que no campo das palavras sei jogar,
desta vez, nem vi a bola passar.

Levei, não sei, se foi bolada,
ou se aquilo era flechada;
fiquei com a pele arrepiada ,
me deixou muda sua jogada.

Essa partida, foi brincadeira;
pra beijo assim, não tem barreira;
driblou, correu, deu balãozinho,
de corpo inteiro, um chute a gol.

Fez a rede balançar,
me ganhou, vai me levar?
De primeira, de goleada,
10 a 0 pra você nessa pelada.


Drops do livro TPM crônicas de uma mulher.


Andréa Beheregaray.

Comentários

  1. Tenho beijado muito e sentido nada, ouvido muito e entendido nada, daria tudo por esta goleada!

    ResponderExcluir
  2. Pera que to indo comprar o livro depois comento com mais calma...
    rsrsrsrs
    AMEI!!!
    bjins carinhosos*

    ResponderExcluir
  3. Adorei o post,amei o blog!Já tÔ seguindo e vou passar sempre aqui!Kisses,love and rockets!
    Valeu por seguir meu blog!

    http://10coisas2.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Senhor anônimo, talvez seja a quantidade de bocas que podem causar uma certa anestesia afetiva, talvez. O como diria a música "e no meio de tanta gente chata, sem nehuma graça"...com sorte e um pouco de fé, vez ou outra, uma bola dessas nos acerta. Graças a Deus!!! Isso que nem acredito nele, em Deus, e desconfio muito das bolas...enfim, Nada como perder de goleada!

    Beijos meninas.

    ResponderExcluir
  5. Muito boa ....goste .parabens

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

É a vida!

Ser.

Amores mortos