Dragões e o paraíso.




'Devagar, as mãos se tocavam: a tua é tão longa, a tua tão quadrada. Ele não queria entrar noutra história, porque doía. Ela não queria entrar noutra história, porque doía. Ela tinha assumido seu destino de Mulher Totalmente Liberada Porém Profundamente Incompreendida E Aceitava A Solidão Inevitável. Ele estava absolutamente seguro de sua escolha de Homem Independente Que Não Necessita Mais Dessas Bobagens De Amor.'



Caio F. Abreu in “Mel e Girassóis – Os Dragões não Conhecem o paraíso”.

Comentários

  1. Como sempre meu Caio F. Abreu com suas lindas palavras.
    Adorei seu blog. :)
    Você também é psicológa, uma das minhas dúvidas pro vestibular.
    Beijos .

    ResponderExcluir
  2. Puta que pariu. É exatamente o que eu sinto e pior, sem aquela duvida de quem se pergunta, não estarei agindo como um fracassado que desistiu?
    Mesmo assim, ainda que um homem possa abdicar do amor, jamais poderá renunciar as mulheres. E talvez seja impossível n amá-las nem que seja de vez em quando, só um pouquinho e com direito a substituição.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

É a vida!