TODA MULHER DESEJANTE SERÁ CASTIGADA - Contardo Calligaris.


Prévia dos diálogos com Maura e Mônica (lindas mulheres, diga-se).



Das muitas coisas que conversamos, eu e a Mônica, nas nossas viagens para Caxias, falamos da mulher desejante. Da mulher que , assim como os homens, assumi seu desejo e rompe com o local imposto socialmente, o de objeto de desejo, apenas. E para esse tipo de mulher não há perdão. E, para meu espanto, as primeiras pessoas a atirarem as pedras são outras mulheres! Mulheres são cruéis com mulheres. Não perdoam, tratam logo, com suas artimanhas (leia-se intrigas, fofocas e ridicularização) de punir a infiel que lhes esfrega na cara seu desejo.

Segue um trecho interessante do texto do Contardo Calligaris. O que não está no texto é que o maior problema do feminismo são as próprias mulheres que se levantam enfurecidas contra a mulher desejante . Sim Maura, agora começo a entender.

A turba da Uniban.

(...)é o ódio do feminino – não das mulheres como gênero, mas do feminino, ou seja, da idéia de que as mulheres tenham ou possam ter um desejo próprio.


Agora devo umas desculpas a todas as mulheres que militaram ou militam no feminismo. Ainda, recentemente, pensei ( e disse numa entrevista) que ao meu ver, o feminismo tinha chegado ao fim de sua tarefa histórica. Em particular pensava que depois de 40 anos de luta feminista, ao menos um objetivo tivesse sido atingido: o reconhecimento pelos homens de que as mulheres (também) desejam. Pois é, os fatos provam que eu estava errado.


Na íntegra.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

Amores mortos