Nua.


O corpo para mim
sempre foi estrangeiro
a minha alma.
*
Vestimenta inadequada
de uma mulher
que não se sabia.
*
Não possuía meu corpo
Limites visíveis de um mistério.
*
Na medida em que fui nascendo
lenta, frágil, intensa
*
Meu corpo que antes não servia
foi ganhando suave
o contorno da minha alma.
*
Minha alma de mulher.
Uma mulher que deseja
e se quer
Nua.

Comentários

  1. Andrea,

    Depois q tu mudou o endereço do teu blog não consigo mais ver tuas atualizações!

    Não entendi o que ocorreu, mas enfim!

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Consegui arrumar!

    Acho que o problema era pq o teu endereço antigo ainda estava adicionado na minha lista! Acho q foi por isso.

    p.s.: Também adoro aqui.

    Beijoss

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pelas postagens. Realmente não sou só eu que é apaixonada por poesia. Pretendo visitar sempre. ;)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

É a vida!