quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Perfeito

Café + amor = perfeito!

Boa!


Tem dois ou três aqui, e um que se nega a morrer!

Carência.

Por que quando você está carente você acredita que aquela é a pessoa certa, contra todas a evidências.
Você fica cega para as diferenças óbvias, ou para as mentiras que ele diz, você acredita que fazem o par perfeito, você tem certeza que combinam muito!
E para os outros é sempre tão óbvio que não vai dar certo.
Os outros percebem logo de cara.
É a carência mascara a realidade.
Faz o Senhor Macaco desejar a Dona Pomba.
:)

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

PUTA QUE PARIU

Existe uma cidade que se chama Puta que Pariu!

Quem nasce em Puta que Pariu é o que heim?

Tem até ônibus direto pra lá. Pensei agora que tem um monte de gente que mandaria para essa cidade, com passagem só de ida!



BOMBEIROS DE NOVA YORK

Estava procurando imagens de resgate na internet e encontrei essa foto, nada convencional, dos bombeiros de Nova York. Olha, nessas horas eu até acredito que Deus exista e é um grande artista. Olhando a imagem meus sentimentos antiamericanos diminuem consideravelmente.
Deus salve a América!

sábado, 25 de setembro de 2010

A pessoa certa.


Amor a primeira vista? Alma gêmea? Encontro marcado?


Não acredito em nada desse tipo.


Mas acredito no reconhecimento silencioso e intuitivo de almas afins, de amores especiais.


Comunicação outra, re-conhecimento de intensidades e semelhanças.


O corpo reage, você sente. A lógica não alcança e a palavra não traduz.


Você não compreende, mas você sabe.


Você sabe que está diante da pessoa certa quando você encontra paz no abraço do outro,


Quando o outro te abraça e os sons a sua volta diminuem, quando você é invadida por uma rara sensação de calor, paz e silêncio, então você sabe, você tem um amor.




sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Programa TVE


Sexta -feira as 19h 50 vai rolar no Estação Cultura da TVE um programa sobre a casa do Caio F. e a campanha para transforma-la em um espaço cultural.

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Mulher mal resolvida.


Passei muito tempo tentando ser uma pessoa "bem resolvida" no amor, no trabalho, na vida.


E quer saber?


Só quando abandonei essa ilusão estúpida de "gente bem resolvida" é que a felicidade começou a acontecer.

Felicidade.


Só as crianças e os animais conhecem a felicidade.

Mulher mandona.

Essa mania que mulher tem de querer mandar nos homens começa cedo, hahhaa, bem cedo!
Dá onde será que vem isso? Genético ou uterino?

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Imenso amor.


que Deus me permita doer de amor até o último suspiro, quero amar até o fim.


Porque se amar dói, dor maior é não doer de amor!

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Vida e purpurina.


"Sabe, para mim a vida é um punhado de lantejoulas e purpurina que o vento sopra. Daqui a pouco tudo vai ser passado mesmo - deixa o vento soprar, let it be, fique pelo menos com o gostinho de ter brilhado um pouco. "

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Caio F. cartas.


Carta para Vera Antoun - 10/10/1973.


"Vera, esse negócio com o Nelson tá me machucando muito. Eu fiquei uma porção de tempo tentando ser "legal e maduro", "uma presença leve e agradável" - porque eu tô ainda muito inseguro de mim mesmo, e não acreditando que alguém possa me curtir bem assim como eu sou. Eu não tenho quase experiência dessas transações, me enrolo todo, faço tudo errado - acabo me sentindo confuso. Tudo isso é tão íntimo, e eu já estou tão desacostumado de me contar inteiramente a alguém, tão desacreditando na capacidade de compreensão do outro, sei lá, não é nada disso sabe? Conviver é difícil - as pessoas são difíceis - viver é difícil paca. Estar transando com alguém sempre me funde um pouco - eu fico muito pobre, acho, muito carente, e muito rico de outras coisas."

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

MEDICALIZAÇÃO DA VIDA MODERNA - Da lógica do capital à redução do humano.


Para o desejo? Viagra.
Para ter calma? Ansiolítico.
Para mais atenção? Ritalina.
Para ser feliz? Antidepressivo
Para bom humor, estabilizador.
Para ser forte? Anabolizante.
Se quer ser magro, inibidor.
Para ser jovem? Botox
Para produzir mais? Estimulante.
*
*
Então, você só não é jovem, magro, sarado, bom de cama, uma pessoa equilibrada, bem humorada, concentrada, produtiva, bem sucedida e feliz por que você não quer!!
*
*
Só não inventaram ainda uma fórmula para o AMOR.
Amor em cápsulas.
Ia ter gente morrendo aos montes, de overdose.
Overdose de amor.

sábado, 11 de setembro de 2010

Uma canção sobre as ciências.



* Para ler no ritmo de "O xote das meninas" ou, "ela só quer, só pensa em namorar"
de Luiz Gonzaga.




Uma canção sobre as ciências.

Dona Ciência, arrependida
brigou com seu Narciso
mandou ele enxergar
*
Que a Verdade não é rainha
que para além do espelho
Há muito para olhar
*
Que o Reducionismo é maldito
não gosta do humano
e nunca vai casar
*
Dona Ciência...ela só quer, só pensa em namorar!
*
Que nessa vida não há uma só regra
um único modelo
E o Relativo é um sujeito bom de amar.
*
E a Certeza é velha morta
e a Liberdade bem difícil de encontrar
*
E cada um é diferente
e que no humano
tudo pode variar
*
Ela só quer, só pensa em namorar
*
Dona Moral anda maluca
inventa lei
que justifica até matar
*
Que gosta muito
de ditar ordem,
que homem feito deve mesmo se enquadrar
*
Dona Ciência, entristecida
depois de tanta coisa
começou a duvidar
*
Já fez as malas e vai embora
Não quer mais nem um minuto
ficar por lá
*
Dona Ciência? Só quer, só pensa em namorar!
*
Deixou pra trás Dona Verdade, e seu Narciso e a Moral
que estão lá muitos espantados
rezam para Certeza, que venha lhe ajudar.
*
Pedem juízo para Ciência
que nem mesmo com o poder
ela agora quer brincar.
*
Dona Ciência, só pensa em namorar!
*
Anda com gente bem duvidosa,
desencontrada, só quer dançar
Vive dizendo que descobriu, que não existe uma forma única de amar.
*
E que a convicção é uma assassina,
e a curiosidade
guriazinha pra criar.
*
Ela só quer, só pensa em namorar!
*
E foi embora com a Liberdade
disse que Narciso pode mesmo se afogar
e a Moral e o Poder que vão juntos se danar!
*
Ela só quer, só pensa em namorar.

Apaixonada por Relativo
Dona Ciência, só pensa em beijar!!

Ela só quer, só pensa em amar

Dona Ciência quer mesmo se casar!!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Motivos.


Escrever é fazer faxina nos sentimentos.

Organizar as gavetas do pensamento.

Eu escrevo para entender tudo o que é nebuloso em mim.

Coisa rara.


Eu não acredito em amor, mas acredito em nós dois e na forma como você faz alegre meus dias. Nunca quis pensar no que seria, ou em um amanhã, e dessa impossibilidade vi nascer isso que não tem nome, mas é bacana, livre, gostoso e é nosso.

Eu, que te conheço de uma forma que não entendo, te sinto pelo avesso. Eu sei quem você é. Tudo em ti me interessa, tuas falhas, tua solidão, teus enganos e tua ira. E esse menino que mora em ti, que adora me roubar sorrisos e de quem eu gosto muito. Esse menino que guarda uma tristeza escondida, que quase ninguém vê, que tem uma mão que fere e a outra que acarinha. Eu gosto de abraçá-lo.

Eu que sempre pude ser inteira ao teu lado, gosto de fazer do teu desejo o meu prazer; do meu corpo o teu gozo; do que falo, teu falo e teu beijo. Eu que gosto tanto da tua orelha, e da forma como de leve você muda o tom da voz para mentir, gosto mais ainda de como juntos ou separados torcemos um pelo outro, e gosto muito, mas muito das tuas pernas, você sabe e de uma coisa que só gosto em você, em mais ninguém. E o melhor é que nos interessamos e nos desinteressamos um pelo outro, quase sempre ao mesmo tempo, o que facilita e alivia.

Eu, que sei tudo isso, nunca me permiti nada além de uma certa nostalgia por ter chegado tarde demais na tua vida, por que acho mesmo que teríamos sido um casal e tanto, dois iguais,olho no olho, muitas loucuras, amor no carro, viagens para Paris e New Orleans, e você leria nu para mim e eu te dedicaria meus livros. Mas nada disso chega a doer de verdade, por que a vida é hoje e sabes bem que não lamento e quase nunca penso nisso. Por que de alguma forma estamos um para o outro, no agora, do nosso jeito.
Eu que adoro tua urgência quando sentes meu cheiro, não sei dar nome ao que temos. Como se chamam as relações que são leves, intensas, francas e duras, mas nem por isso menos doces? Que nome dar a um afeto que vive por dia, que não espera ou cobra, que é espelho e estrada, que não teme partida e celebra a chegada?
Acho que seu nome seria coisa rara.
Eu que te minto muito pouco, mas não altero o tom da voz quando faço isso, também gosto de você e ponto,e mais um ponto e outro mais.
Beijos
sua B.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

segunda-feira, 6 de setembro de 2010

Hoje no Camarote TV COM



Hoje no Camarote TV COM canal 36, 21h, programa sobre o Caio F.
Estarei participando para contar um pouco a campanha virtual e do movimento para transformar a casa do Caio em espaço cultural
.

Song.


Ela tinha medo, do medo que ele tinha.


O medo mantinha tudo em silêncio.


Ele não voltaria.


Ela não iria.


O silêncio impediria que eles ouvissem a canção.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

E a loucura finge que isso tudo é normal.

Absurdo autorizado, hoje ele, amanhã quem sabe? E vai que por engano seja você?

É preciso limitar, fiscalizar, denunciar. Não se pode acreditar que isso tudo é normal. Quando a sociedade valida o discurso de que "vagabundo bom é vagabundo morto" e " tem mais e´que apanhar" ela dá ao policial direito de vida e morte - direito que ele não tem. Com esse tipo de autorização o limite foi rompido e o controle perdido. E quem tem esse tipo de discurso é tão burro que não percebe que está engatilhando a arma na sua própria cabeça. Nunca vi policial perguntar antes : "vagabundo" ou "cidadão de bem"? Não perguntam, portanto, não reclame e nem sinta-se injustiçado se um dia a violência bater na sua porta ou um policial enfiar a mão na sua cara. Afinal você autorizou e lhe deu esse poder. Por que a casa pode cair pra todo mundo quando o policial esquece sua função e passa a acreditar que é uma espécie de Deus - autorizado.

Do blog do Alexandre. http://alexandremoraisdarosa.blogspot.com/

Saudade, saudade, saudade. Amor, amor, amor.


‎'Saudade saudade saudade saudade saudade saudade saudade saudade. Amor amor amor amor amor amor amor amor amor amor. Todos os beijos já existentes e não existentes todos os beijos, os beijos dados mais os que estão por dar. Não se perca. Não se esqueça. Viver bem é a melhor vingança.'

Setembro.


"Que setembro seja melhor e supere todas as angústias, medos, inseguranças e azar de um agosto fodido"

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Para os amores que não vingaram?


Lendo o blog da Lia http://diariosdeumadesconhecida.blogspot.com/, e sou invadida pela angustia dos amores que acabam...fui lá nos meus arquivos de finais infelizes. Arquivos de amores que não vingaram. Como, por fatalidade não amei muitos, coleciono poucos finais. O que eu considero uma terrível maldição, a maldição dos poucos amores. Por outro lado, por serem raros, bebi deles até o último gole, poucos, mas intensos.

Chorar por amor mesmo só chorei por dois, acredita? Nem eu, mas é verdade. E gosto de chorar no chuveiro, sei lá, chorar em chuveiro é terapêutico. Eu acho. A gente lá, como veio ao mundo, água quentinha, você senta e chora, chora, chora. Eu sei, é bem útero a coisa, mas se eu posso eu escolho chorar na banho, e melhor que seja antes de dormir. Por que quando o amor acaba a gente chora pra caramba e fica com cara de louca, então o negócio é ir direto para cama, tchun, vai, apaga e no outro dia as coisas começam a melhorar.

E eu como choro pouco, aproveito essas oportunidades pra desencalhar choro antigo. É que tenho um grave problema, na verdade tenho muitos, mas esse é um deles. É que ainda estou aprendendo a ser triste, a ficar deprimida. Eu, assim como Gisele, fazemos isso com a tristeza, antes da lágrima vem o ataque. Primeiro a gente revida, depois, talvez, quem sabe assumimos a dor. Entende, se você me magoar primeiro eu vou atacar você, não sei de onde vem isso, sempre tive o comportamento "bélico". Quando li o título da Lia "Dos amores que não vingaram" a primeira coisa que pensei foi: para os amores que não vingaram, vingança!! Ai, começo a dialogar com o Caio F. (sim eu converso bastante com ele), e ele sempre me diz "Andréa, a melhor vingança é ser feliz".

Eu sei Caio, eu sei. Aprendi muito nesses últimos tempos. Hoje já sei guardar no meu coração com carinho os amores que não me quiseram, apesar de não entender.

Por que afinal não me quiseram???

Vontade de amarrar o sujeito numa cadeira e obrigar o bandido a me explicar!

Por que você não me quis heim?

Ok, ok, calma, melhor nem mexer nisso, que quando começo a pensar muito já me ataco e penso, bando de filho da p., mas dai vem você e me lembra que tudo passa, "vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe?" Mas uma hora passa. Que se você foi justo e o outro também e a coisa desencantou, não deu, C `est la vie, faz parte as pessoas se encontrarem e se perderem. O que não tem perdão é o cara ter mentido, feito promessas, intencionalmente te enrolado, bom ai, gente assim, merece ser atropelado pela aquela jamanta do teu conto, lembra Caio? Aquela que você disse que aparecia na esquina. Se não atropelado pelo menos o carro deveria ser arranhado! Por que, quer magoar um homem? Estraga o carro dele. Eu estragaria, certo.

Tá sou péssima para viver dor de amor, não gosto mesmo. Gosto das dores das histórias de amor, de quando elas estão rolando, mas de fim? Berghs! Acho horrível. Aquela coisa de nunca mais é arrasadora. E você novamente traduziu bem isso Caio? Você que tem esse incrível poder de dar forma ao indizível. " O NUNCA mais de não ter quem se ama torna-se tão irremediável quanto não ter NUNCA mais de se ter quem morreu. E dói mais fundo - porque se poderia ter, já que está vivo(a), mas não se tem, nem se terá, quando o fim do amor é: NEVER."

E never dói, dói, dói. Acho que nunca vou ser "madura" para enfrentar o fim de um amor. É como rasgar o peito com as mãos e arrancar seu próprio coração. E o pior é que isso não resolve, por que mesmo fora o coração continua lá batendo pelo outro. Fim de amor só o tempo resolve ou então como diz o Caio, quando tudo parece sem saída, ainda se pode cantar ou escrever.Por essa razão escrevo. É isso, transformar os amores que não vingaram em letra, inspiração. Mas se nada disso amenizar, nem banho, nem Caio, nem letra, arranhe o carro dele, não resolve mas alivia. Muito, hehehe( risadinhas diabólicas)

Coração partido.


O problema maior não foi você ter partido,


o problema maior é esse vazio que ficou no seu lugar e ninguém dá conta.

Sobre os 40 anos e os pôneis velhos.

Bate os 40, a memória começa a falhar, a visão a nublar; a pele se cansa, descansa e desaba; o cabelo exige dez vezes mais cuida...