sábado, 24 de julho de 2010


Nada é para sempre, dizemos, mas há momentos que parecem ficar suspensos, pairando sobre o fluir inexorável do tempo.



José Saramago

Nenhum comentário:

Postar um comentário