Meus pés com asas.


Mamãe me disse para por os pés no chão.
É que mamãe não viu, quando nasci,
as asinhas nos meus pés
que só abri quando cresci.

Mamãe, não dá...
É minha sina, parte divina,
minha maldição.


Um anjo torto
Atrapalhado
Minhas asinhas, defeituosas
Nasceram no lugar errado.


Bicho carpinteiro, sempre diziam
meu apelido estava errado
era cosquinha, e eu não sabia
Era o sapato, muito apertado


As malandrinhas demoraram para abrir
andava torto, bem que notavas
Botou botinhas
e o ortopé entortou minhas asinhas


É por isso mãe
que hoje voou, as vezes caio
Minhas asinhas ficaram tortas
E mesmo torta, só sei voar


Nunca consigo o chão tocar.
Levo a vida, sempre a pairar.
Não dá maezinha, é impossível
Nasci com asas.


É meu destino.
É meu destino voar.

Comentários

  1. Fofo demais Déa!!!
    A-d-o-r-e-i

    EU SOU UMA MULHER, E MUITO MULHER... SE BOBEAR EU POSSO ATÉ VOAR!

    *_*

    ResponderExcluir
  2. Voe, Andréa!
    Voe sempre...
    E alto...

    Lindo!!!

    Bjos!

    ResponderExcluir
  3. "Se seus sonhos estiverem nas nuvens, não se preocupe, pois eles estão no lugar certo; agora construa os alicerces"

    ResponderExcluir
  4. Pra ler ao som de ATÉ O FIM, do Chico.

    beijooo

    ResponderExcluir
  5. Asas de mulher em alma de dragão... Meus deuses da amplidão!!!

    ResponderExcluir
  6. Li e lembrei logo de ti: "É dificil aprisionar os que tem asas"

    Bjs!

    ResponderExcluir
  7. Lindo. Entrei aqui tão por acaso e estou adorando! ;-)

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

É a vida!

Ser.

Amores mortos