O QUASE AMOR.


O que eu dizia ontem para Gisele entre um sushi e outro, eu dizia, o que penso sobre amar.

Amar o bom, o belo, a parte bonitinha do outro, isso QUALQUER IDIOTA faz. Isso não é amar, é QUASE-AMAR. E quase é NADA. Não existe quase viver, quase prazer, quase felicidade, quase dor, quase vitória. Quem quase vive, está morto; quem quase é feliz, está cego; quem quase sente dor, não ama; quem quase vence, é um derrotado.

Desafio mesmo, é amar inteiro. Amar de verdade é amar o que há de bonito e o que há de feio no outro. Amar o PODRE, a FALHA, a parte IMORAL, o lado SOMBRIO. Ver tudo isso no ser amado, e mesmo assim continuar amando? Ai é que mora o desafio.

Se alguém ama em mim só o que tenho de bom, me ama pela metade. Não gosto de ser metade, de ser meio, de ser médio.

Na maior parte do tempo as pessoas fazem um grande esforço para se mostrarem bonitas, bacanas e tal. Escondem sua escuridão por medo de serem rejeitados. Escondem tanto que acabam escondendo de si mesmo. Esse terrível mal moderno, herança grega, de só amar o belo.

Bem sucedidos, bem resolvidos, bem saudáveis, bem potentes...bem,bem,bom,bem,bem equivocados, isso sim.

Amar a neurose, a dor de barriga, as mudanças de humor, os ataques raiva, o chulé, a falta de grana, a inveja, as mentiras, tiranias e sabotagens, vinganças, preconceitos, mesquinharia. Meu Deus! Tanta coisa difícil de amar no outro. Tanta coisa difícil de amar em si mesmo.

Para cada anjo que nasce, nasce junto um demônio para lhe acompanhar. A eterna dança entre luz e sombra. Os gregos já sabiam dessa indissociável realidade. O mundo grego não é divido entre o bem e o mal, não existe um inferno grego, não como nós o entendemos. Existe o Hades, mundo de sombras e escuridão, mundo dos mortos, do inconsciente, de tudo aquilo que nos habita e que ainda não temos consciência, inclusive de nosso potencial. Não é um lugar de culpa e expiação como nosso inferno judaico-cristã, que aliás deve estar repleto de almas de batina pregando sermão.

Se você se nega a olhar o inferno daquele que diz amar, você não sabe o que é o amor.
Não quero dizer que, ao conhecer esse inferno, você deve concordar com ele, ou amar de forma incondicional. Não é isso. Se o que você viu te violenta, você tem todo direito de pular fora. Deve pular. Amar o outro tendo como preço o desamor a si mesmo não dá.

Mas assumir, corajosamente que o outro possui essas sombras, é abrir espaço para que o outro possa mostrar suas falhas sem medo de ser rejeitado. É ouvir o humano do outro e amá-lo apesar disso. Ter a visão assustadora da loucura que assombra seu amor, e mesmo assim ficar. É poder estar ao lado de quem se diz amar, mesmo quando este se aproxima de seus abismos. É sustentar um grito de dor e desespero.

Eu tenho esse hábito de logo encontrar nas pessoas as falhas, contradições e loucuras. Eu só consigo me relacionar de verdade quando enxergo tudo isso. Talvez por que tenho clara minhas contradições, minhas loucuras e minhas dores, talvez queira encontrar nos outros para que possa mostrar as minhas, talvez.

Meus grandes amigos, nossa! Eu e Gisele, por exemplo, começamos nossa amizade brigando. O Gabriel, outro exemplo, é a pessoa mais rabugenta que eu conheço, hahhaha, mas ele tem uma parte tão linda, tão luz que vale a pena aguentar os comportamentos centenários dele. Minhas melhores amigas tem partes horrorosas, tiranas, manipuladoras, controladoras, ihhhh, cada coisa, mas elas tem partes tão lindas, tão intensas, tão corajosas, tão verdadeiras e amorosas que, apesar de conhecer suas sombras, eu as amo. AMO,AMO,AMO.

Amo porque sei que elas também conhecem meus demônios e mesmo assim me amam. E que nós não precisamos apontar umas as outras nossos erros e falhas, nos sabemos, e quando necessário acolhemos uma a dor da outra, e se necessário falamos desses demônios. Outra vezes não é preciso

Porque é assim, se eu tiver que ser PERFEITA para que você me ame, então serei uma MENTIRA e seu amor uma TIRANIA.

Se você só consegue amar o que BOM, BELO, e BACANA você é um completo BABACA.

Porque amar o PERFEITO, QUALQUER IDIOTA É CAPAZ.

Comentários

  1. Déia,
    Meu filho me disse:
    "Qdo eu estou de mau amor mãe eu só te amo um pouquinho e você só serve para fazer tortas!"
    É isso querida, amar a escuridão do outro, amar o todo.
    Talvez o nosso problema é que amamos além do todo, o excesso!!! Mas prefiro o excesso que a escassez.
    Abaixo ao quase-amar e viva o excesso de amor!!
    bjos querida

    PS: enviei as fotos, finalmente!

    ResponderExcluir
  2. Show!!! Vou postar um trechinho dele no meu blog. Beijinhos:)

    ADOREI o novo visu =P

    ResponderExcluir
  3. Meu Deus! Além de não amarmos pequenininho, ainda amamos por inteiro,nada de quase!
    É como a Tati Bernardi diz "Não me dôo pela metade, não sou tua meio amiga nem teu quase amor. Ou sou tudo ou sou nada. Não suporto meio termos. Sou boba, mas não sou burra. Ingênua, mas não santa..."

    Postarei no meu blog,ok?!

    Beijos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

É a vida!

Ser.

Árvores Floridas