quarta-feira, 30 de junho de 2010

Vestígios.

Tua língua na minha,
Desliza no sorriso,
da minha boca
de tão poucos amores
*
Minha língua na tua
percorre mistérios
de intensidades tão antigas
Tão antigas quanto eu e você.

Fecha os olhos pra ganhar meu corpo
E teu cheiro faz morada nos meus seios
minha boca, caminho em teu prazer.

Toco suave teu rosto de esfinge
Pra guardar entre os dedos o calor do teu desejo
a delicadeza dos teus beijos, e o som do meu querer

Tudo Diferente


"Todos caminhos trilham pra a gente se ver

Todas as trilhas caminham pra gente se achar, viu

Eu ligo no sentido de meia verdade

Metade inteira chora de felicidade"
Maria Gadú

Escudos


Não contei ainda teus escudos sujos

Sabe que eu te estudo sem me aproximar

O teu santo gringo me mostrou teu mundo

Vi que no escuro tu fica a chorar

Se Shiva me disse pra ter paciência

Te pego no beco do sino da crença

Te assusto com a ira da minha demência


Maria Gadú

terça-feira, 29 de junho de 2010

Mulheres Bélicas.

Aquelas que na vida, não fogem do combate.

Dá-lhe Jung.


"Quero acrescentar que o logos só é ideal quando contêm eros; de outra forma o logos não é nada dinâmico. Um homem que é apenas logos pode ter um intelecto muito afiado, mas não é nada além de um racionalista árido, e o eros que não contém nenhum logos em si nunca entende coisa alguma, não há nele além de um cego apego. Essas pessoas podem estar ligadas a deus sabe o quê, como certas mulheres totalmente absorvidas por sua pequena família feliz - primos, parentes, etc. - e em toda essa maldita coisa não há nada, é tudo completamente vazio"


Carl Gustav Jung.


Roubado da Érica.

segunda-feira, 28 de junho de 2010


"Nunca tive que ser totalmente honesto até conhecer você.
isso é perturbador."

Cole Porter para Linda Lee Porter

De-Lovely - Vida e Amores de Cole Porter, de 2004

domingo, 27 de junho de 2010

O fundamental.


Estou aqui trocando os canais...64, Divã, paro.

Já assisti, não li, paro sempre. Sempre tem algum trecho interessante. E entre uma leitura e outra, fico com a atenção "flutuando" lá no filme.

Pescaria de palavras... "Fundamental".

"O que é fundamental nunca é dito, não é mesmo?". Lilia Cabral, linda, indaga a seu ""Armani".

É verdade Lilia, paro para ouvi-la. Ela então fala dessa questão fundamental, a dificuldade das pessoas em dizer o que sentem.

Penso. Os problemas de comunicação, áh, os problemas de comunicação. Ninguém diz o fundamental, mas por que afinal? Todo mundo diz por ai, com tanta facilidade, tanta merda e o fundamental que é bom mesmo, ninguém diz.

E o fundamental pra mim? Bom, a Lilia descobriu ali com a perda da grande amiga, e aquele papo de tudo o que eu queria dizer e não disse. Essa eu aprendi cedo, bem cedo, em dose dupla.
Quando adolescente perdi, em um intervalo de 6 meses duas pessoas importantes, com as quais eu estava, na minha arrogância adolescente, "brigada". Supondo que houvesse tempo, supondo que daqui a pouco mais nos acertaríamos. Minhas suposições estavam erradas. Não temos tempo, viver é agora, não existe depois. Aprendi.

E com isso aprendi a expressar o que importa, portanto, tentar comunicar as pessoas o que eu sinto. E eu que já nasci com poucas travas na língua, expresso. O que implica encontros e desencontros, amor e confrontos. Por que além de expressar o fundamental aprendi também a não deixar meus conflitos para amanhã, e isso significa, algumas vezes, entrar em confronto com quem eu amo.

Não tolero os silêncios. Aquilo que fica circulando tenso e ninguém tem coragem de dizer, eu digo. Se eu tenho um problema com alguém eu digo, porque aprendi, o amanhã é uma ficção. Por que só existe a possibilidade de acerto se as coisas forem conversadas, se não me (des)acertar com o outro na hora que a coisa rola, amanhã não sei se estarei ali para resolver. Algumas coisas precisam de um certo tempo para amadurecer e serem comunicadas, é verdade, já outras vão amadurecer no encontro com o outro, que, as vezes, pode ser tenso.

Não temo o conflito, temo o silêncio que impede o encontro. Pra mim impede, é parcial. Você lá, sofrendo, fantasiando um monte de coisa e o outro, da mesma forma. Bom, comunica, rompe com a fantasia, resolve ou não, mas segue em frente.

Ensino isso aos meus filhos, a vida é hoje, amanhã não sei. E acredito, firmemente, que onde há afeto existe uma malha que sustenta os conflitos. Se a malha rompe, talvez não houvesse afeto suficiente. O afeto tem que comportar conflitos e discordânicas.

Não quero lamento no meu caixão "ai eu queria tanto ter dito isso a ela, o quanto a amava, o quanto ela era importante, ou pior, queria ter me desculpado...,blá,blá,blá". Também não quero fazer isso no caixão de ninguém. O momento é agora, sem malas de culpa ou mágoas. Fala agora ou se cale para sempre. Não posso te ouvir do céu. Fato.

E convenhamos, na era da virtualidade, só não diz o fundamental quem não quer. Tudo bem que ao vivo tem mais valor, mas óh, escreve, fecha os olhos e aperta, dai não tem volta. Foi. e você não vai se lamentar no caixão, vai pensar, "eu disse, ufa". Eu digo, digo mesmo. vou


Voltando da minha viagem mental, escuto a Lilia dizer para o silencioso psicanalista:


Você fuma?
Você bebe?
E essa, quem é essa, sua namorada?
Você trepa também Lopes!!!

Você existe!!!!
Sim!!!!!!!!! Hahahahha

Atravesso o ar com minhas gargalhadas, apesar de não parecer, os psicanalistas trepam!

Graças a Deus!! Freud alertou, não trepar adoece.

O filme acaba ao som de "Pra rua me levar" da Ana Carolina. Perfeito.

E eu? Acabo caindo no choro. Coisas de Divã.





"Vou deixar a rua me levar

Ver a cidade se acender

A lua vai banhar esse lugar

E eu vou lembrar você...


É! Mas tenho ainda

Muita coisa pra arrumar

Promessas que me fiz

E que ainda não cumpri

Palavras me aguardam

O tempo exato prá falar

Coisas minhas, talvez

Você nem queira ouvir..."
É isso então, beijo para o Lopes que deixou de lado sua "imparcialidade" e foi na exposição da ex-paciente, com a namorada. Por que sem afeto não dá, Lopes?

Palavrinhas da Dona Filó.


Você não deve menosprezar suas conquistas e nem suas qualidades, mas deve ser cuidadoso, para não cair no erro do excesso de estima por si mesmo.

Estima por si mesmo pode salvar em diversas situações, mas também pode matar você.
Você pode até ser muito bom, mas quando você começar acreditar demais nisso, você estará perdido.

Você pode ser genial, belo, muito bom, mas nunca deixará de ser patético e ridículo em algum ponto. Você não pode esquecer disso nunca!.

O deuses sempre punem os homens que ousam se considerar deuses.
Não seja ridículo achando que você não é tão ridículo como os demais.
Você corre o risco de inflar até explodir, ou então, enlouquecer.
Não esqueça, é preciso sempre rir de si mesmo.

sábado, 26 de junho de 2010

Ausência.


Eu deixarei que morra em mim o desejo
de amar os teus olhos que são doces
Porque nada te poderei dar senão a mágoa
de me veres eternamente exausto
No entanto a tua presença é qualquer coisa
como a luz e a vida
E eu sinto que em meu gesto existe o teu gesto
e em minha voz a tua voz
Não te quero ter porque
em meu ser está tudo terminado.
Quero só que surjas em mim
como a fé nos desesperados.


Vinícius de Moraes.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Para meu amor ter coragem.


E eu que não tenho religião, rezo.
Rezo em nome do amor.
Rezo para você, para que você tenha coragem.
Você que tocou meu coração.
Então eu vou rezar, todas as noites, porque eu te amo.
Vou rezar para que você tenha coragem, assim como eu tenho.
Porque você não sabe, mas todas as noites eu rezo para ter coragem.
Coragem de me enfrentar.
Coragem para vencer meus medos.
Coragem para dormir sozinha.
Coragem para vencer meu desejo de acomodação, que sempre ronda.
O medo é a linha que divide o mundo, disse o poeta.
Eu acredito em poetas, eles sempre sabem a verdade.
O medo divide o mundo.
De um lado da linha aqueles que quase vivem.
Do outro aqueles que, apesar do medo, continuam.
Eu rezo para que você vença o medo do desconhecido.
O desconhecido é assustador, eu sei.
O desconhecido assusta a dor.
E a dor sai em disparada buscando lugares familiares aonde se esconder.
O desconhecido faz isso com a gente, imobiliza, prende, tranca.
E por medo da dor, a gente se acomoda na dor amena e diária ao longo dos dias.
Mas sabe, eu descobri, e é o que tem me dado coragem nestes dias, é que a dor não é uma escolha é uma condição.
Ela está sempre.
Qualquer movimento, mesmo o não-movimento, tem sua dose de dor.
Vou rezar para que você perceba que não vai sofrer, você já está sofrendo.
Vou rezar para que você tenha coragem, muita coragem, porque eu sei, para ser feliz é preciso uma coragem danada.
Vou rezar para que você veja que você tem tanta coragem para ser INFELIZ, você tem coragem de ser infeliz, percebe?.
Vou rezar para entender isso também em você.
Vou rezar para entender como você tem coragem de desperdiçar seus anos, sua vida, seu brilho e seu amor nessa vida morna e triste que você escolheu.
Vou rezar para entender isso.
Vou rezar para que você use essa coragem de outra forma, para que você cruze a linha que divide o mundo, e que você deixe para trás esses que quase vivem.
Para que você se junte a nós, os amedrontados corajosos que lutam todos dias, todas manhãs para viver.
Vou rezar para que você não acredite que merece tão pouco e para que você goste mais de você. Por que quem gosta de si mesmo não aceita viver assim.
Acredita que pode mais, bem mais.
Eu vou rezar porque sou egoísta e não quero te perder.
Porque tenho coragem e sei que se você não tiver você vai ficar do outro lado da linha e eu terei que seguir em frente sozinha.
Porque na batalha que eu travo não é possível recuar.
Por que meus exércitos estão organizados para avançar na direção do sol.
E sei que vou seguir em frente, e se você não tiver coragem, nos perderemos.
Porque não tenho a ilusão que ficar ao lado de algo que apenas ameaça mude alguma coisa.
Não muda.
Você vai ter que nascer SOZINHO.
Não posso lhe ajudar, posso apenas rezar por você.
Eu sei que vou em frente.
Eu tenho coragem..
Por que eu te amo tanto e sempre te amei.
Mesmo antes de conhecer teus olhos, mesmo antes de ouvir tua voz, eu já te esperava.
Quando você não sabia meu nome, eu já te amava.
E mesmo que você não consiga, apesar das minhas preces, cruzar a linha, vou continuar te amando.
Você é meu amor.
É triste ver que meu amor não tem coragem.
Meu amor tem medo.
Meu amor se acovarda.
Meu amor ainda não sabe viver.
Na distância vou rezar por você.
Para que você tenha coragem de ser grande.
Que meu amor lhe aqueça nessa solidão.
E quando você chorar lembre do meu abraço.
Quando você tiver medo, pense em mim, eu vou até ai beijar suas lágrimas.
Porque mesmo do outro lado da linha vou continuar te amando.
Que você tenha coragem, vou rezar todos os dias.



Não há álibi para a existência




BAKHTIN, 1926.

Diante da dor dos outros.



Uma boa dica de leitura, Diante da Dor dos Outros, de Susan Sontang. Susan é meu novo achado. Considerada uma das mais influentes escritoras contemporâneas, tem ótimos trabalhos sobre FOTOGRAFIA, o poder da imagem e seus efeitos. Estou lendo também "Sobre a Fotografia". Em "Diante da dor dos outros", a autora faz uma reflexão sobre os efeitos das imagens de dor e guerra nas pessoas.
Uma discussão importante sobre a ética da imagem. Imagens que acabam, talvez, produzindo uma dessensibilização para com a dor do outro, a banalização da violência.
Comecei a ler, estou achando muito bom.
Pra mim, uma discussão fundamental, quando se trata de pensar a violência.
Fica a dica.

terça-feira, 22 de junho de 2010

O QUASE AMOR.


O que eu dizia ontem para Gisele entre um sushi e outro, eu dizia, o que penso sobre amar.

Amar o bom, o belo, a parte bonitinha do outro, isso QUALQUER IDIOTA faz. Isso não é amar, é QUASE-AMAR. E quase é NADA. Não existe quase viver, quase prazer, quase felicidade, quase dor, quase vitória. Quem quase vive, está morto; quem quase é feliz, está cego; quem quase sente dor, não ama; quem quase vence, é um derrotado.

Desafio mesmo, é amar inteiro. Amar de verdade é amar o que há de bonito e o que há de feio no outro. Amar o PODRE, a FALHA, a parte IMORAL, o lado SOMBRIO. Ver tudo isso no ser amado, e mesmo assim continuar amando? Ai é que mora o desafio.

Se alguém ama em mim só o que tenho de bom, me ama pela metade. Não gosto de ser metade, de ser meio, de ser médio.

Na maior parte do tempo as pessoas fazem um grande esforço para se mostrarem bonitas, bacanas e tal. Escondem sua escuridão por medo de serem rejeitados. Escondem tanto que acabam escondendo de si mesmo. Esse terrível mal moderno, herança grega, de só amar o belo.

Bem sucedidos, bem resolvidos, bem saudáveis, bem potentes...bem,bem,bom,bem,bem equivocados, isso sim.

Amar a neurose, a dor de barriga, as mudanças de humor, os ataques raiva, o chulé, a falta de grana, a inveja, as mentiras, tiranias e sabotagens, vinganças, preconceitos, mesquinharia. Meu Deus! Tanta coisa difícil de amar no outro. Tanta coisa difícil de amar em si mesmo.

Para cada anjo que nasce, nasce junto um demônio para lhe acompanhar. A eterna dança entre luz e sombra. Os gregos já sabiam dessa indissociável realidade. O mundo grego não é divido entre o bem e o mal, não existe um inferno grego, não como nós o entendemos. Existe o Hades, mundo de sombras e escuridão, mundo dos mortos, do inconsciente, de tudo aquilo que nos habita e que ainda não temos consciência, inclusive de nosso potencial. Não é um lugar de culpa e expiação como nosso inferno judaico-cristã, que aliás deve estar repleto de almas de batina pregando sermão.

Se você se nega a olhar o inferno daquele que diz amar, você não sabe o que é o amor.
Não quero dizer que, ao conhecer esse inferno, você deve concordar com ele, ou amar de forma incondicional. Não é isso. Se o que você viu te violenta, você tem todo direito de pular fora. Deve pular. Amar o outro tendo como preço o desamor a si mesmo não dá.

Mas assumir, corajosamente que o outro possui essas sombras, é abrir espaço para que o outro possa mostrar suas falhas sem medo de ser rejeitado. É ouvir o humano do outro e amá-lo apesar disso. Ter a visão assustadora da loucura que assombra seu amor, e mesmo assim ficar. É poder estar ao lado de quem se diz amar, mesmo quando este se aproxima de seus abismos. É sustentar um grito de dor e desespero.

Eu tenho esse hábito de logo encontrar nas pessoas as falhas, contradições e loucuras. Eu só consigo me relacionar de verdade quando enxergo tudo isso. Talvez por que tenho clara minhas contradições, minhas loucuras e minhas dores, talvez queira encontrar nos outros para que possa mostrar as minhas, talvez.

Meus grandes amigos, nossa! Eu e Gisele, por exemplo, começamos nossa amizade brigando. O Gabriel, outro exemplo, é a pessoa mais rabugenta que eu conheço, hahhaha, mas ele tem uma parte tão linda, tão luz que vale a pena aguentar os comportamentos centenários dele. Minhas melhores amigas tem partes horrorosas, tiranas, manipuladoras, controladoras, ihhhh, cada coisa, mas elas tem partes tão lindas, tão intensas, tão corajosas, tão verdadeiras e amorosas que, apesar de conhecer suas sombras, eu as amo. AMO,AMO,AMO.

Amo porque sei que elas também conhecem meus demônios e mesmo assim me amam. E que nós não precisamos apontar umas as outras nossos erros e falhas, nos sabemos, e quando necessário acolhemos uma a dor da outra, e se necessário falamos desses demônios. Outra vezes não é preciso

Porque é assim, se eu tiver que ser PERFEITA para que você me ame, então serei uma MENTIRA e seu amor uma TIRANIA.

Se você só consegue amar o que BOM, BELO, e BACANA você é um completo BABACA.

Porque amar o PERFEITO, QUALQUER IDIOTA É CAPAZ.

domingo, 20 de junho de 2010

Não é falta de cabelo é excesso testosterona.


Uma transformação lenta e silenciosa começa a se processar em mim cada vez que cruzo a porta do aeroporto. Mudanças interessantes ocorrem no meu pensamento. Meus pensamentos voam com muita facilidade, voam e acontecem em um velocidade impressionante. Eu já havia percebido que minha capacidade de concentração e leitura aumentam significativamente em salas de espera, mas não só isso, aumento também minha capacidade de produção e processamento de idéias, que vão das idéias mais absurdas e estapafúrdias até as mais geniais.

Aeroporto+livros+bloco de anotações+lápis+laptop = festa. Sim festa.

Sala de embarque.

Os carecas. Ando muito atenta as pessoas carecas, homens carecas, portanto. Porque mulher careca é coisa muito rara. Acontece por motivo de saúde, é muito difícil por opção. Por questões biológicas, coisa muito primitiva mesmo, para fins de acasalamento com qualidade. Sim um belo cabelo é moldura em rosto feminino. Todos os animais utilizam atributos físicos para atrair bons parceiros, que por sua vez tem que possuir também atributos significativos, com isso, desta combinação genética de qualidade, garantimos a sobrevivência da prole e a preservação da espécie.

Em função da combinação qualidade física, inteligência, bom humor,honestidade e tchan (diga-se sex appeal) ser uma combinação raríssima (íssima,íssimaí,íssima) nós mulheres desenvolvemos a capacidade de "vista grossa" (algo tipo "ta bom meu bem, faz de conta que acredito") e passamos a cuidar muito bem dos nossos cabelos. Alguns homens inclusive, quando paramos para prestar a atenção, esperançosas de que preencham pelo menos dois dos itens acima, conseguem, por alguns minutos, nos fazerem desejar termos menos neurônios. A capacidade de VER é esmagadora , acaba com o amor e diminui em muito nossas chances de uma noite romântica.

Voltando aos carecas, afinal era neles que eu pensava na sala de embarque. Eu nunca tinha prestado atenção nos carecas – não os semi-carecas, mas os carequinhas da Silva. Aqueles sem nenhum cabelo. Sensacional. Observem, o cara que não tem nenhum cabelo desenvolve um estilo de vestir bem interessante. Talvez compensatório, como se fosse um pavão, que ao perder as penas, passa a se vestir muito bem. Eu acho interessantíssimo.

Fico pensando que quem é careca sente as variações de temperatura de uma forma diferente. Ser careca no inverno é muito diferente de ter cabelo no inverno, por exemplo. O frio direto na moleira. Toca é acessório obrigatório. E já imaginou tomar banho? A água do chuveiro caindo direto no crânio, é uma sensação que só os carecas conhecem. Lavam o cabelo com sabonete, será? Passam algo para dar brilho?

Ficar careca é como conhecer um terreno, que antes tinha vegetação e você não conhecia o solo, então um dia a vegetação desaparece e você descobre relevos interessantes. Então era assim por baixo e você não sabia? Ou melhor, aqueles lugares em que um dia houve água. Conhecer sua careca é conhecer o fundo do oceano.

Nunca tinha notado, mas agora vejo carecas em todos os lugares. E como brilham algumas carecas! Quando você olha um careca, você de cara obtém uma informação importante sobre o primeiro e maior trauma do sujeito. Pela careca dá para saber se ele veio ao mundo de parto normal, cesaria ou fórceps. Pelo formato da careca. Os novos carecas serão todos carecas de cesaria, já que o Brasil tem um dos maiores índices de cesaria do mundo .
O mundo está cheio de carecas! A copa tem uma quantidade imensa de carecas no campo, muito interessante, muito. É como aquelas casas sem telhado, ser careca é ser casa com laje.

Alguns homens não gostam de serem carecas. Pois escutem, já ouvi que a queda do cabelo ocorre em função de um excesso de hormônio masculino (por isso as mulheres não ficam carecas). Não deveriam, portanto, ficarem chateados com a ausência dos fios. Deveriam é dizer “é excesso, meu bem, excesso de homem nesse corpo”
Neste dia frio, o meu café e um desejo enorme de voltar para Londres.



"How I wish I could walk through the doors of my mind;
Hold memory close at hand,
Help me understand the years.
How I wish I could choose between
Heaven and Hell.
How I wish I would save my soul.
I'm so cold from fear."

James Blunt.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

In vino veritas...


Fiquei pensando sobre o vinho e suas verdades.
As pessoas tentam, desesperadamente, manter uma certa estabilidade emocional. Estabilidade essa que fica profundamente ameaçada quando se bebe. O álcool entra, a verdade sai. Não sei quem disse isso, mas faz muito sentido.
*
A repressão, esse muro de defesa que levantamos para conter nossos afetos, fica muito ameaçado quando bebemos. O id ama uma bebidinha, e torce para que ela domine o corpo e tome posse das emoções. Já o superego fica em desespero pois sabe que todo seu esforço está agora ameaçado.
¨7
Eu gosto da insensatez das pessoas alcoolizadas. Das falas espontâneas, das mensagens e e-mails passionais motivados pelo álcool. De tudo aquilo que não se tem coragem de dizer ou fazer na vida sóbria, chata e cotidiana que levamos e que, quando bebemos um pouco...viennent à la vie!

Não sempre, claro. Estou falando de situações eventuais, áh essas são lindas. Ciúmes não revelados, tesão contido, saudades repentinas, paixões silenciosas, cenas dramáticas, coragem para roubar beijos, para dançar no meio do salão, para perder a vergonha. Curto circuito emocional. Muito bom.
*
A bebida, as vezes, revela amigos. Eu não estou falando de porre! Um vinhozinho e outro e a visão fica mais clara. Alguns amigos são trazidos pelo vinho, e para lembrar Gabriel, um tem que estar em boas condições...hehhe, se não no outro dia fica só a forte sensação de amizade e o amigo, que é bom. você não lembra. O que não é o caso Da Querida, porque já nos sabiamos bem antes do vinho, ele só selou as apresentações.

Não lembrar do rosto do amigo apresentado é dos males o menor. Sempre pode ficar pior, e o pior seria a sensação de uma noite selvagem e você não lembrar bem como foi a coisa toda, ou pior ainda, acordar estranha, em um lugar estranho com alguém mais estranho ainda ao seu lado. Bem pior se for "alguéns" Hahhaha, credo, meu superego que me livre!

Ainda bem que isso não acontece comigo, primeiro porque não tomo vinho (só do Porto -que não é vinho, é licor), segundo que só tomo cerveja e quando tomo não cometo esses atos "transloucados" porque minha reação é chorar -muito. Alguns por aqui são testemunhas. Choro,choro.choro...aiii coitadinha. E por último a receita é não reprimir tanto. Eu quando vou beber, conto minhas verdades logo de cara para pessoas (tudo rápido e misturado que é para deixar a pessoa confusa, sem saber se aquilo é verdade ou piada). Assim des-reprimo, libero a ansiedade e a emoção e elas, minhas emoções agradecidas, não retornam para se vingar.

Beba com moderação, opte por beber muito entre amigos. Isso evita o risco de acordar ao lado de um(a) estranho(a), ou mais de um, e mantenha-se afastado do seu celular. Tudo isso para não se arrepender depois. Se dirigir, não beba e se beber não mande mensagens, muito menos telefone!
Um celular na mão de um bebado é uma arma. Na minha mão, vira uma AK-47!
Então separei algumas frases sobre vinho e o beber.


Se eu gosto de poesia?
Gosto de gente, bichos, plantas, lugares, chocolate, vinho, papos amenos, amizade, amor.
Acho que a poesia está contida nisso tudo.


Só se deve beber por gosto: beber por desgosto é uma cretinice.

É este o problema com a bebida, pensei, enquanto me servia dum copo. Se acontece algo de mau, bebe-se para esquecer; se acontece algo de bom,bebe-se para celebrar, e se nada acontece, bebe-se para que aconteça qualquer coisa.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

GOODBYE MY LOVER.


Did I disappoint you or let you down?
Should I be feeling guilty or let the judges frown?
'Cause I saw the end before we'd begun,
Yes I saw you were blinded and I knew I had won.
So I took what's mine by eternal right.
Took your soul out into the night.
and may be over but it won't stop there,
I am here for you if you'd only care.
touched my heart you touched my soul.
you changed my life and all my goals.
And love is blind and that I knew when,
My heart was blinded by you.
I've kissed your lips and held your head.
Shared your dreams and shared your bed.
I know you well,
I know your smell.
I've been addicted to you.

Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.

I am a dreamer but when I wake,
You can't break my spirit - it's my dreams you take.
and as move you on, remember me,
Remember us and all we used to beI've seen you cry,
I've seen you smile.I've watched you sleeping for a while.
I'd be the father of your child.I'd spend a lifetime with you.
I know your fears and you know mine.
We've had our doubts but now we're fine,
And I love you, I swear that's true.
I cannot live without you.
And I still hold your hand in mine.
In mine when I'm asleep.
And I will bear my soul in time,
When I'm kneeling at your feet.

Goodbye my lover.
Goodbye my friend.
You have been the one.
You have been the one for me.
I'm so hollow, baby,
I'm so hollow.I'm so,
I'm so, I'm so hollow.


James Blunt.

Maturidade?



E na medida que a gente cresce, cresce com a gente a capacidade de complicar a vida.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Para uma querida.



Intuia que ela era aquele tipo de gente,

daquelas que não são daqui, mas de lá.

De um mundo outro.

Daquelas que chegam para ficar.

Bem bonito, bem bacana.

___________________

Porque algumas pessoas são trazidas pelo vento, outras são apresentadas pelo vinho.

Complicando o simples, facilitando o complicado.



Invadida de uma sinceridade destruidora ando assim. Me pergunta, eu digo.

Oi tudo bem?
Resposta convencional: tudo e vc?

É cumprimento sem sentido. Normalmente as duas respostas são falsas. Por isso me restrinjo ao básico "Oi, olá" já que não quero falar do meu tudo bem e nem quero saber do tudo bem real do outro. Quando realmente quero saber do outro pergunto "como vc está?". Se não for assim, é mentira minha.

Não gosto que me perguntem tudo bem(?), tenho o hábito de dizer a verdade . O que torna complicado o simples e aborrecido demais o complicado.


Meu encanto hoje


Tulipas, cheirinho de "Eu de parfun II-Gucci" e James Blunt.

segunda-feira, 14 de junho de 2010


"Os outros eu conheci por ocioso acaso.
A ti vim encontrar porque era preciso.”

Guimarães Rosa

"Você tem que ser maior que os seus sentimentos. Não sou eu que exijo isso de você, é a vida que exige. Se não, você vai ser levado de roldão pelos seus sentimentos. Eles te levarão até o mar e você não será mais visto. Os sentimentos podem ser o maior problema da vida. Os sentimentos podem nos pregar peças terríveis. Eles me pregaram uma peça (...) agora já lidei com estes sentimentos. Me promete que você vai lidar com os seus"


Do romance Indignação, de Philip Roth,

domingo, 13 de junho de 2010

É meu! Meu padre em TPM.



Esse negócio de textos virtuais! A Michele postou no blog dela esse texto sobre casamento, no caso, meu texto. Ela colocou lá e não sabia de quem era a autoria, pois recebeu por e-mail de um convidado. É MEU! Ai fiquei com ciúmes do meu texto. É MEU,É MEU,É MEU.


Mas então meu texto vai participar de um casamento? Sensacional! Mas, texto é meu. Segue meu padre em TPM.








Um padre sincero

Boa noite, estamos todos aqui reunidos nesta noite, para dar apoio a este corajoso casal. E como vemos, eles precisam tanto, mas tanto de apoio e coragem neste grande momento, difícil, que pagam para que vocês venham hoje aqui, ouvir este padre (chatérrimo) e para, em grande quantidade, impedi-los de desistir.

Mas essa noite, nós falaremos a verdade, para que talvez, quem sabe com sorte, vocês sejam felizes. Vocês prometem amar a si mesmo? Prometem ser fiéis ao que vocês realmente são, antes de tentar ser fiel ao outro? Prometem não abrir mão do respeito por si mesmo? Prometem terem filhos e amá-los, se isso for um desejo dos dois? Prometem não responsabilizar o outro pelos seus sentimentos e por suas inseguranças? O noivo promete não tratar a noiva como se fosse mamãe?

Prometem que não vão acreditar que serão felizes para sempre? Prometem também, que só irão tentar transformar a si mesmo e que não estão aqui com expectativas de mudar o outro depois de casado? Prometem, principalmente não prometer nada e seguir nesta relação com o lema dos alcoólicos anônimos em mente, "um dia depois do outro", hoje te amo,amanhã não sei?
Então desejo aos noivos muito amor, muita fidelidade a si mesmo e um pouco de pimenta, e muita sacanagem (saudável, claro!).

Podem se beijar.

sábado, 12 de junho de 2010

Dicionário.


Quiprocó e coróca são palavras irmãs.

Duas velinhas tricotando,
em cadeirinhas de balanço.

Em inglês


LIVE*


em português


LIVRE*





* em qualquer lugar o preço é sempre alto, o gosto sempre bom.

Cair em tentação? Acho mesmo muito errado!

Na tentação não se cai, se mergulha. Até o fundo.
Só assim fazemos a culpa valer a pena.




sexta-feira, 11 de junho de 2010


DEFI-CIÊNCIA.


Curitiba

Um corpo em alerta...


um despertar no calor da tua presença.
Curitiba.

Por que é tão difícil mudar algo na área penal?


Porque penal é gozo e mudança é ameaça, por isso, no gozo penal, ninguém toca.
Curitiba








ESPELHOS





Tu-fragmento-meu





Eu-fragmento-teu.



Curitiba.

Ver-dade.
Verdade?
Ver-arde.



Curitiba.

"É preciso muita capacidade de controle para poder se descontrolar com prazer."

Curitiba é fértil...


Penso,penso,penso...



Meu cérebro é vegetariano,

só produz abobrinhas

e outros adubos.


Curitiba.

"Onde falta imaginação sobra normalidade"




Curitiba.

Teu bigode.

Teu bigode, guarda vestígios de tuas refeições
Teu bigode tem vida,
nele vivem bactérias invisíveis.

Ter bigode é por cortina na boca
é por cortina no beijo
cabelo na sopa

O bigode é a desculpa do homem
que não sabe beijar.
amor de meias.

Por isso não gosto do teu bigode.
Por isso também não uso.


Curitiba.Curitiba

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Dia frio em um junho qualquer.



Q

u

a

r

t

o


6 9


in


Floripa


6.9
Sempre desejando, mas tenho desejado bem baixinho...


É que descobri, os deuses me escutam.


"Cuidado com o que você deseja". Repito todas as manhãs.


Cuidado mocinha, e vai que eles acontecem?


Num dia assim distraída...eles acontecem


Porque você sabe, porque você descobriu.


Os deuses existem

AEROPORTO - porto de emoções.


Em aeroporto. Pois é, fico emocionada em aeroportos. No embarque e no desembarque. Encontros e desencontros.
No portão de embarque eu evito passar, se passo distraída e dou de cara com alguma despedida, começo logo a chorar. Me dá uma vontade de abraçar as pessoas que estão ali, abraçadas, chorando. Nossa, muito triste.
No desembarque é só emoção. Filhos correndo para encontrar os pais. Avós orgulhosos, netos emocionados. Casais apaixonados que mergulham naqueles abraços de saudade cheios de silêncio e amor (lindo!). Reencontro, sorrisos, lágrimas de felicidade. Me dá vontade de chorar também.
Não tem escapatória no portão da partida ou no portão da chegada, me emociono sempre.
Coisas da vida que a realidade do aeroporto faz lembrar.
Dá importância dos que chegam. Do valor daqueles que partem, que partem mas sempre estão.

Vontade


Não faço nada contra a vontade.

Nem a vontade contra mim.

Fizemos um pacto, eu e a vontade.

Um pequeno acordo de paz.

Vai menina, fecha os olhos.

Solta os cabelos. Joga a vida como quem não tem o que perder.

Como quem não aposta.

Como quem brinca somente. Vai, esquece do mundo.

Molha os pés na poça.

Mergulha no que te dá vontade.

Que a vida não espera por você.

Abraça o que te faz sorrir. Sonha que é de graça. Não espere.

Promessas vão e vem. Planos, se desfazem.Regras, você as dita.

Palavras, o vento leva. Distância, só existe pra quem quer.

Sonhos, se realizam, ou não.

E o que importa, você sabe menina.

É o quão isso te faz sorrir.

E só.



Caio Fernando Abreu.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Reputação.


REPUTAÇÃO
RE-PUTA-AÇÃO
Movimento de RÉ que exige uma PUTA AÇÃO para que as pessoas acreditem que você é aquilo que você não é.
Seja feliz, ande pra frente!

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Gostinho de infinito.


O que ela mais gostava nela mesma era essa possibilidade de ser.

Ser o quê?

Qualquer coisa.

Nunca sabia o que seria ao amanhecer e nem como acabaria o dia.

Se isso assustava?

Assustava os outros, a ela não.

Para ela essa era a mágica da vida.

Possibilidades, um recriar-se constante.
8
A liberdade de existir tinha gosto.

Água na boca com gosto de infinito.

Democracia e responsabilidade.


Por que aqui o filho é sempre da puta

a culpa sempre da mãe.

E ninguém quer ter nada a ver com isso.

Agora e tanto, e um pouco mais.




"Gostava de cultivar a idéia de que não haviam se conhecido, mas se reconhecido."

sábado, 5 de junho de 2010

Eterno aprendiz



Os franceses, áh os franceses...os franceses são "os caras"...

Lição básica, primeira, de berço, ensinar é aprender, sempre.

Ensinar e aprender se misturam, quem ensina aprende sempre e aquele que aprende sempre tem algo para ensinar. Sabendo disso os franceses usam uma só palavra para ensinar-aprender, o verbo,

"APPRENDRE"

Lá a condição é de eterno aprendiz. Deve ser por isso que lá encontramos os mais sensacionais pensadores, os grandes mestres.

Os grandes mestres? São os que não se acreditam grandes, se percebem como iguais, são generosos com o seu saber, desejam a troca com seus interlocutores, nunca esquecem que estão em condição de eterno aprendizado.

sexta-feira, 4 de junho de 2010


"Estou atrás do que fica atrás do pensamento. Inútil querer me classificar: eu simplesmente escapulo. Gênero não me pega mais. Além do mais, a vida é curta demais para eu ler todo o grosso dicionário a fim de por acaso descobrir a palavra salvadora. Entender é sempre limitado. As coisas não precisam mais fazer sentido. Não quero ter a terrível limitação de quem vive apenas do que é possível fazer sentido. Eu não: quero é uma verdade inventada. Porque no fundo a gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro."


quinta-feira, 3 de junho de 2010


" Então você está confusa com seus sentimentos. Ele apareceu tão de repente na sua vida, com aquele brilho manso no olhar, com aquela meiguice na voz, sem pedir coisa alguma, meio como um Pequeno Príncipe caído de um asteróide. A princípio você nada percebeu de diferente. O susto veio quando você se lembrou das palavras da raposa, explicando ao Pequeno Príncipe o que era ficar cativo:É assim. A princípio você senta lá e eu aqui. Depois a gente vai ficando cada vez mais perto. Os passos de todos os homens me fazem entrar dentro da minha toca. Mas os seus passos me fazem sair... "




quarta-feira, 2 de junho de 2010

Érica, eu confesso...


Érica, fiquei pensando sobre teus escritos, rsrrs...
Sobre meus desejos homicidas.
*
Matar alguém?
*
Só se for de AMOR, PRAZER e FELICIDADE!
*
Mato mesmo, e bem devagar, que morte assim tem que ser lenta.
*
Pago o preço, assumo a culpa.
*
Grito bem alto, fui eu quem matei!
*
Eu sou uma criminosa.
*
E quem condena meu crime?
*
Pudera todo mundo morrer assim.
*
Uma morte feliz.
*
É o que desejo.

Beijos de uma criminosa.

As pontes de Madison.


''Em quatro dias ele me deu toda uma vida, um universo, e uniu em uma só as partes separadas de mim. Nunca tenho deixado de pensar nele, nem por um momento. ainda quando não se achava em minha mente consciente, o sentia em alguma parte, estava sempre ali.''




''Ainda que nunca mais tenhamos voltado a nos falar, permanecemos unidos tão estreitamente como é possível que se unam duas pessoas. Não consigo encontrar as palavras para expressar da forma adequada. Ele o fez melhor quando me disse que tínhamos deixado de ser dois seres separados, e, em troca, nos tínhamos convertidos em um terceiro, formado pelos dois. Nenhum de nós dois existia independentemente deste ser. E esse ser ficou sem rumo.''





Trechos de Pontes de Madison

Sobre os 40 anos e os pôneis velhos.

Bate os 40, a memória começa a falhar, a visão a nublar; a pele se cansa, descansa e desaba; o cabelo exige dez vezes mais cuida...