sábado, 22 de maio de 2010




Eu vou te dizer o que fazer, mas você tem que seguir tudo a risca, sem deixar nenhum detalhe passar despercebido - você confia em mim e eu em você, vamos ao planos: Compre aquele vestido amarelo na loja da esquina, vá ao salão de beleza, pinte as unhas de uma cor nunca usada antes - que tal azul?! Lave os cabelos e deixe-os secar, quero você natural. Vá ao encontro dele, enfim...


Quando encontrá-lo, abrace-o demoradamente. Olhe-o nos olhos. Respire fundo e se sente. Se ele te elogiar - sorria. Se ele não -o fizer - sorria mesmo assim. Depois diga, fixamente em seus olhos - Eu não estou disposta a sofrer, desculpa. Eu te amo, mas eu tenho que ir. Eu tenho sonhos, mas não agora. Um beijo. Até um dia. E saía de lá com humildade. Depois telefone. Se tiver forças, continue amiga dele - se não tiver, não tem problema. Você agora é livre e amores e amigos não vão te faltar. Agora durma, Carmem. O dia amanhã será cheio.




Caio Fernando Abreu

2 comentários:

  1. Tudo seria mais fácil se fosse assim fácil. aff
    beijobeijo ;)))))
    *te mandei e-mail!

    ResponderExcluir
  2. .

    Olá, Andréa!

    Gostaria muito, se possível, que você me informasse de que livro é esse trecho. Não o lembro de ter lido. Sei que em 'Zona contaminada' tem um personagem com o nome de Carmem, mas não lembro dessa passagem, nem nesse livro e nem em outros. Só não tenho 'triângulo das águas' e talvez seja dele.
    Se puder me ajudar, ficarei muito grata.

    Desde já agradeço.

    Suely Montenegro

    .
    .

    ResponderExcluir