O amor acaba ou o amor migra?



O amor acaba ou migra?


Metamorfose, metamor-mofa- ou metamor-fode (ai desculpa, não aguentei!).


Gostei da idéia do Gabriel de que ele migra. Parece que sim, que o amor e a capacidade amorosa estão no sujeito in-potência , assim como todo resto. O amor sempre é mão dupla, de berço. Se as condições são boas, desde cedo, nessa relação com os cuidadores, a criança vai desenvolvendo sua condição amorosa, que é dela e sempre vai estar, mas que floresce sempre no olhar do outro.


Sendo breve, o amor migra, penso. Ele está dentro da gente e o que acontece é que, na língua psi, deslocamos nosso amor para esta ou aquela pessoa. E quando fica ruim, quando algo se quebra, nos partimos com nosso amor para trocar com uma nova pessoa.


Então quando uma relação termina, o fim não é de todo triste, por que o que nos levou a viver aquela relação foi nossa condição amorosa que não termina junto com o relacionamento.

Graças a Deus! Amém! Aleluia! Se não estaríamos condenados a uma vida de solidão .


Por que como diz Rubem Alves, amar também se aprende. E esse tipo de coisa, depois que a gente aprende, não esquece jamais.

Comentários

  1. Ai, amiga, que consolo!
    Vou até discutir isso na terapia hoje... pq só não quero mais é "amar do mesmo jeito"...
    Bjo!

    ResponderExcluir
  2. Deia, tou cá a pensar nessa tua perguntinha fdp! Acho que é consenso que o amor de que se fala aqui é o amor relacional. Então, porque este amor não é autoreferencial e sempre precisa do outro, penso que é as duas coisas: o amor acaba de uma pessoa para outra e depois mirgra. E no migrar é que está o porém, porque ele não migra necessariamente para um outro alguém. Pode ficar vagando perdido por ai, ou migrar para novas manias (leitura, tocar violão, aprender a surfar, culinária etc.), logo, ele migra porque acaba!! Ando teorizando demais esse assunto, vai ver o meu anda migrando por ai! Como dizia Drummond, "mas a conversa não levava a lugar nenhum, e tomaram chá". Besos

    ResponderExcluir
  3. Hehehe, é verdade. Ele migra por que acaba, ou acaba por que migra??

    Eu quero crer que o meu migra! A Luiza disse ali, amar do mesmo jeito...O jeito é nosso, e vai lá se transformando no encontro com o outro. Claro precisamos do outro se não morremos apaixonados como Narciso. Mas Narciso tb ensina que mesmo antes do outro existe a condição para o amor.

    Mas enfim, aceito o chá!

    ResponderExcluir
  4. Tá, mas espera, olha a contribuição do Fernando Pessoa. Por aqui então é sempre autoreferencial...

    "Nunca amamos ninguém. Amamos, tão-somente, a idéia que fazemos de alguém. É a um conceito nosso - em suma, é a nós mesmos - que amamos. Isso é verdade em toda a escala do amor. No amor sexual buscamos um prazer nosso dado por intermédio de um corpo estranho. No amor diferente do sexual, buscamos um prazer nosso dado por intermédio de uma idéia nossa. "

    ResponderExcluir
  5. adorei a ideia de o amor migrar para novas manias...música, surf, etc... vou fazer teatro! beijos

    ResponderExcluir
  6. Bonito seu post- foto inclusive.
    Sim, migra qdo as condições são normais- pode estancar, estagnar- morrer de amor.
    Adoro o tema- tb sou psi.
    Bj Elianne ou Laura_Diz,aq no virtual uso LAura

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

É a vida!