À flor da pele


Sabe o que me impressiona?

Sendo a vida difícil, como ela é, me impressiona que nas ruas existam tão poucas pessoas chorando. Por que viver dói.


Por muito tempo eu não chorei. Hoje choro, por quase tudo e em qualquer lugar.


Tudo me toca. Estou à flor da pele.


Sem alarde, minhas lágrimas são silenciosas.


A vida hoje me dói como nunca.

Comentários

  1. Caramba, a vida dói pra burro. O de carga.

    ResponderExcluir
  2. Muito embora eu desconfie que a TPM paire sobre vós muito em breve (risos) esta é uma exata e excelente observação, minha querida Andrea.

    Caminhando pelo centro de SP vi algumas crianças deitadas na calçada, sujas, famintas, drogadas, vi adultos estressados resmungando para ninguém, vi burgueses que enganam a si... Senti uma necessidade gritante de fazer algo (desespero). As lagrimas desceram e ligeiramente tive que me conter. Afinal, ninguém entenderia porque e o que me levava a sentir aquela dor.

    Bjo

    ResponderExcluir
  3. Gente, eu sabia que mulheres que trabalham juntas por algum tempo acabam entrando no 'cio' ou na TPM ao mesmo tempo... Será que as blogueiras tb?!?!
    rs
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Pois é, já ouvi falar disso, dos ciclos acontecerem ao mesmo tempo entre mulheres próximas (o tempo e o espaço são uma ficção, na distãncia, muito próximas...).

    Bah, gurias, não dá pq ai todas nós afundamos juntas, ou causamos uma grande explosão.

    Acho que a praga daquela praga pegou. Minha TPM parece eterna...credo!

    TPM ou loucura??

    ResponderExcluir
  5. Hahahah!!!

    É isso ai, Andréa: a TPM como força para uma crítica consciente (sem irracionalismo, por favor!!) e a loucura como um olhar diferente da realidade!

    E pior que eu to de TPM mesmo :T

    ResponderExcluir
  6. Estou condenada!

    TPM eterna, olhar crítico e diferente sobre a realidade?

    É, não me espanta que o desespero tenha tomado conta da minha alma!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

É a vida!