A Sobra em cena.


Hahaha, R.E.D.I.C.U.L.O!

O que é isso afinal? Uma grande cena? Uma grande palhaçada?

Você sabe que eu sei. Afinal de contas toda essa encenação, todo esse imenso trabalho em construir um personagem. Tudo isso diz do teu secreto desejo de "ser alguém" para a posteridade.

Você reforça minha admiração pelo filha da puta honesto. Não que você não seja um filha da puta, por que és. E é inteligente o suficiente para saber que dessa ninguém escapa. Mas até tua filha da putisse é inventada.

Por que você é aquele tipo de gente que parece ser grande, especial. Mas para os poucos que conseguem olhar bem o que se vê é um sujeitinho recalcado e angustiado, que precisa desesperadamente de ídolos. E nessa angustia que é estar vivo, copia atento as sombras da parede, daqueles que já se foram. Cada movimento, cada detalhe, nada escapa.

Sonhando ser como aquela sombra grandiosa daquele que você tanto admira. E para um homem culto que não acredita em Deus, venera teu ídolo como a um santo. Ironias.

Sombra que fascina, dança na parede do teu vazio e você a imita cuidadoso, chegando mesmo a acreditar que a sombra é tua. Cego não quer ver que você é que é a sombra da sombra, nada mais.

E então você cria hábitos, estórias, amores e humores impostas pela grande sombra. E encantado agora acredita que tem uma vida! Parecida com a dele, então se te julgas semelhante a ele, e por isso te sentes grande. Engano, ele sombra, você sobra.

E nesse grande esforço em ser o que não é desperdiça a possibilidade de descobrir o que afinal de grande você realmente possui.

A cena é tua denúncia silenciosa da mediocridade humana, que, no final, é consciência que iguala a todos os homens.

Com a diferença que alguns negam, outros realmente ainda não sabem, e outros ainda, como eu, permanecem agarrados ao desespero de navegar nesse grande vazio que é viver.

Nem amar você consegue por si mesmo?

Ou ela que não merece ser amada pelo que é? E que por isso você desesperadamente a inventa? Por que ela não é, e então você dá aquela ajudinha para que ela, enfim, seja!

Você deveria saber disso, mas está tão desesperado em sobreviver mais uma noite.

Entendo tua dor. Ela me faz imaginar a escuridão dos teus abismos. Mas isso não te redime.

Pelo menos tua filha da putísse podia ser autêntica. Tu, óh grande homem, que vai morrer como todos os outros, e contra todos os teus esforços será esquecido como os demais. Tu que vai apodrecer como um qualquer, sabe que somos todos, cada um a sua maneira, grandes filhos da puta. Abençoadas todos as putas que exercem tantos trabalhos em nome das boas mães, abençoadas todas as filhas condenadas a suportar suas putas-mães.

E tu, como todos nós, não te escapa é um filha da puta, nascido da putaria dos teus pais. Não sabia? Por isso batizam os bebezinhos, que é para lavá-los dos pecados e baixarias do divino momento da concepção.

sabe bem que filha-da-putisse é condição biológica, assim como o amor. E que a moralidade é anti-natural, exercício desgastante que os homens inventaram para dar sentido. O desejo de atingir o inatingível. E se forçar demais acabamos que nem os padres que de tanto esforço para chegar ao topo da montanha da moralidade, acabam chegando no topo e rolando morro abaixo para o lado oposto.

Então deixa de ser covarde e palhaço. Tua vida de sucesso não passa de uma trágica comédia. Compras a plateia para que não possam te vaiar, aponta os holofotes para que eles ficam com a visão nublada. No final da cena, tu e os outros estarão no mesmo lugar, o lugar do nada. O lugar do humano, bem sabes.

Comentários

  1. Não é erro de português, minha filha é que diz "rediculo", com toda razão. Significa o rídiculo do rídiculo.

    ResponderExcluir
  2. Recomendo o livro O Homem Medíocre, do Jose Ingenieros, é preciso para esse tema e fala exatamente dessa grande leva de seres esquecidos, esses que estão entre os genios e os homens-bicho (estes que sequer pensam). O medíocre pensa que pensa, anda de cabeça baixa no meio do rebanho é conduzido sabe-se lá por quem. Porque não tem nada na cabeça, faz sinapse a partir das sinapses alheias e se apropria de tudo que é corrente! É bom ler pra se tapar de (mais) nojo! Beijo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

É a vida!

Ser.

Árvores Floridas