"Ninguém nasce mulher, torna-se mulher".


Os posts sobre orgasmo feminino ficaram se propagando pelo mundo virtual e ocupando corpo, mente e cama de alguns (des)conhecidos que passam por aqui.
A Luíza se senti provocada a falar no assunto e ontem postou esse texto bem interessante, que vale ser lido pelas meninas e pelos meninos também http://milfacesdeluiza.blogspot.com/2010/03/andrea_19.html.
Na mesma direção do que escrevi, fala da necessidade de se conhecer o corpo. Esse é um ponto importante.
Geralmente pessoas que negligenciam o corpo, expressam isso na falta de cuidado com ele; através de somatizações, que são emoções expressas no corpo, coisas pequenas como alergias, gripes, esses incômodos que nos fazem lembrar que ele existe (sabe quando a gente fica lá lendo, estudando, trabalhando horas e só para quando grita avisando que existe? Pois é...).Mas a mais importante questão, que eu nem mesmo consigo nomear, é o "trânsito" pelo mundo sensual.
Quem não conhece seu corpo, não está de posse dele. Quem tem pouca intimidade com seu corpo tem dificuldades de usá-lo. Como se alma e corpo não se encaixassem, você percebe o desconforto do outro com seu corpo.
A sedução está diretamente ligada a isso. Usar o olhar, gestos, a dança, e manter a luz acesa sem nenhum constrangimento. Porque tem gente que só se "solta" com a luz apagada. Solta o que? A imaginação, que libera o corpo. Para algumas pessoas o corpo pode ser uma prisão. Mentes brilhantes, intensas e que não se "soltam", não conseguem dar vazão a intesidade e expressar o que sentem através do corpo.
E ser solta não tem relação nenhuma com pessoas saradas e fatais. Ao contrário, o que muita gente descobre é que os "supostos" liberados, fatais, gostossérimos, são uns baita travados. Podemos descobrir espantadas que uma barriga tanquinho não serve para nada além do que apoiar o cotovelo pós-sexo, da mesma forma que uma barriguinha pode ter a curva exata para encaixar no seu corpo. Não acredito nos "gostosos", tanto quanto não acredito nos "corretos". Tudo reprimido, rsrs!
Nada é exato, e tudo é aprendizado que, como diz a Luiza, vem com o tempo. Mente e corpo precisam dançar.As vezes se desencontram, outras acertam o passo. O gozo, o orgasmo vem na esteira do processo de conhecimento e posse de si mesmo.Nada mais verdadeiro que a frase da Simone de Beauvoir :"ninguém nasce mulher, torna-se mulher".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É a vida!

Ser.

Árvores Floridas