Caminhos.


Para Grazi Ribas.

Natural estar perdida...estranho mesmo é ser encontrada.

Mesmo os encontrados, os que "deram certo", os que atingiram, mesmo estes ainda estão perdidos. Porque não existe um caminho certo e um caminho errado. A vida é assim chão, estrada, caminhada. O percurso, árduo percurso, é feito de desvios, encruzilhadas, atalhos, retornos. Não há tempo certo para se fazer a trajetória, e nem apenas uma única direção.

Para alguns a estrada é repleta de buracos, para outros é íngreme, mas não acredite naqueles que falam em uma estrada reta, asfaltada, em que o sol brilha e o vento sopra. Esses são, bem sabes, os mentirosos ou os psicóticos que sabem bem construir ilusões.

E mesmo quando a gente segue encontrando, mesmo assim seguimos na direção do desconhecido.

Porque estar vivo é isso, seguir caminhando, caminhar procurando. Ser perdida é nunca parar de buscar. Ser perdida é apesar de tudo, caminhar. Ser perdida é condição. Os encontrados estão mortos.

Aquieta e aceita o teu fardo. Tu que comeste a rõma, sabe que apesar de florida a estrada é feita também de sombras e escuridão. E que neste escuro também tem caminho, também é possível encontrar.

A perdição é caminho de gente como nós. Mulheres como nós. Mulheres que enxergam na escuridão. Que enxergam quando não há luz, e no preto do fundo, podem ver caminhando ás cegas aqueles que se julgam "encontrados". São eles encontrados apenas por que estão impedidos de ver?

Talvez se fossemos homens. Talvez se fossemos cegas. Mas não somos. Então te assustas com essa energia que circula no corpo e explode no mundo. Que pode ser luz e também tempestade. E então te obriga a entrar em um estrada estreita cheia de buracos rasos, pois tem medo de onde essa energia toda pode te levar? Energia que é a mesma que pode ser a potência para teus sonhos mais altos, mas que os sonhos mais loucos com essa energia também podes realizar? E sabe lá onde tanta energia poderá nos levar.

Ser mulher na estrada da perdição é tormento, bênção e solidão. Todos os dias dúzias de nós tratamos logo de buscar o caminho dos achados. Estrada de gente achada é estrada mil vezes trilhada. Não é construída é dada. Não é particular, por isso é nada. É pra quem tem medo da vida, gente que quer caminhar sabendo onde vai chegar.

Sossega, me dá tua mão, que a única coisa que ameniza o caminho é amor e também carinho.

Vamos juntas, perdidas, nos encontrando pelas esquinas da vida. Que amizade é amor verdadeiro, aquele que mesmo na distância, acompanha o tempo inteiro. Que nos aquece quando temos frio, que nos apoia quando todo resto já partiu.

Vamos seguir caminhando e quando tudo estiver muito difícil, quando não encontrarmos a saída, vamos ficar juntas e permanecer unidas. Quero sentar ao teu lado e te lembrar que também estou perdida, que eu sei que dói muito, mas não temos saída a não ser continuar.

Nossa estrada é a estrada da perdição, ser perdida é nossa condição. A única certeza é que nossa estrada é carregada de vida, feita com muita emoção. Nossa estrada é de coração.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

É a vida!