Ato e transgressão.

As manchetes dos jornais têm sido incisivas na repetição de uma pergunta: como anda o respeito ao outro? As notícias sobre a falta de ética na política, a violência urbana, o assédio moral e físico vivido e cometido por crianças e adolescentes no ambiente escolar ou familiar, nos lançam no universo da transgressão dos limites que uma lei simbólica poderia impor nas relações entre um sujeito e o conjunto da sociedade. Se o ato transgressor da lei nos assusta pela violência com a qual nos assalta, também nos questiona sobre nossa impotência em produzir respostas em atos consequentes. Vivemos uma disjunção entre o saber e sua respectiva produção em ato. Que estranho familiar é esse que invade o tecido social e nos leva à posição de meros espectadores de uma cena burlesca sem que possamos produzir nada mais do que palavras sem a devida consequência da ação? "Isso só pode terminar em pizza..." Não obstante a transgressão ter sua relação com o ilícito, ela nos permite pensar no ato que transgride como interrogante, desestabilizador, inovador. Ato criativo, marca autoral de um sujeito lançada ao outro, capaz de produzir brechas, fendas, buracos no discurso comum nos implicando cada qual no conjunto das representações sociais que compartilhamos e vivemos. Algo capaz de transformar o sobreviver em experiência transmissível, em viver. O que pode a psicanálise nos dizer sobre o ato transgressivo e o sujeito transgressor? Há algo que possa ser feito para transpor a disjunção entre ato e discurso nas relações sociais? A psicanálise tem contribuições a oferecer na leitura desse hiato, dessa descontinuidade entre a intenção do ato de fala, da produção do artista, da ação do político, e seus efeitos sobre os que escutam, os que olham e os que atuam - que somos todos nós. A temática é abrangente, delicada e instigante. É tempo de nos dedicarmos a este debate.
10/04 – Sábado
9h30min

AberturaLúcia Alves Mees - Presidente da APPOA "Desejo e transgressão"Eduardo Ely Mendes Ribeiro "Desabrigados da palavra"Ieda Prates da Silva
14h30min

"O que se ouve no que se diz"Norton Cezar Dal Follo da Rosa Júnior "Notas sobre um encontro marcado"Liz Nunes Ramos

Comentários

  1. ENFIM algo de BOM ocorre nessa PROVINCIA no sabado!

    Capaz de eu ir!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

É a vida!