“- Como eu ia dizendo, foi por causa disso que vim para cá. Foi um erro. Mas faço tantas outras coisas por esse mesmo motivo que não sei explicar! disse simples, perplexa. É como se houvesse um acontecimento que me espera, e então eu tento ir para ele, e fico tentando, tentando. É um acontecimento que me cerca - Ele me é devido, ele se parece comigo, é quase eu. Mas nunca se aproximou. Se o senhor quiser pode chamar de destino. Pois tenho tentado ir de encontro a ele. Sinto esse acontecimento como se sente uma aflição. E é como se, depois dele acontecer, eu fosse me tornar outra, acrescentou tranquila. Às vezes tenho a impressão de que meu destino é apenas ter um pensamento que ainda não tive.”


A Maçã no escuro

Clarice.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Árvores Floridas

Ser.

É a vida!