Promessa de Natal


Sempre faço o natal na minha casa, e toda minha família comparece.

Fico feliz e no clima natalino até a entrada do quinto convidado.

Um estranho mal estar começa a invadir o ambiente, e quando, finalmente, o sexto parente chega estou mortalmente arrependida de, mais uma vez, ter feito a festa na minha casa.

E agora, para onde correr quando poucas, mas numerosas famílias, começam a invadir seu lar??

Minha primeira reação é emudecer , paralisar.

Todos eles, alegres e falando alto, vão entrando, acomodando seus presentes na árvore e procurando o melhor lugar para iniciar uma boa conversa. O mesmo assunto que discutiram no natal passado. Retomado com tal exatidão que sento que, poderia escrever minha parte no dialogo para o ano seguinte, e apenas levantar um cartaz. Sinceramente? Acho que eles nem notariam.

Os encontros em família seguem um roteiro. Minha vozinha, ressuscita uns três sujeitos nos primeiros quinze minutos de conversa, e nos outros quinze se delicia falando de doenças. Um coro, extasiado, segue minha nestes assuntos. É que alguns componentes do meu clã são, o que se chama, hipocondríacos. A coroação ocorre quando meu cunhado médico, chega! É então obrigado a ouvir uma série de sintomas, desconexos, e convocado a dar um diagnóstico. Eu poderia dar um diagnóstico ótimo, mas, no entanto, ninguém me consulta sobre tais sintomas.

Nesse momento da festa eu já me encontro muda e isolada no canto da sala. Assistindo.

O próximo assunto é falar mal do meu avô. Que hoje mora com a "outra".

O grupo se divide, a maioria apoia minha avó, alguns, geralmente os agregados, se arriscam a defender meu . E eu? Fico lá assistindo, estarrecida.

Eu não tenho nada para dizer, nada. Na verdade eu tenho, mas tenho certeza que, se falasse, eu acabaria com a festa. Minha é do bem, e uma das pessoas que mais amo na vida, então, por ela, não falo. Não precisa.

O que eu diria?

Bom, acho que eu diria que ninguém tem que se meter na vida deles, ou tomar partido. E que sim, o fez um monte de bobagens, mas veja, ficou casado 50 anos com minha avó, e 40 com a amante. Antes todos falavam mal dele porque o cara tinha duas mulheres, e agora que ele teve a coragem de romper e assumir a coisa toda, bom, todos continuam falando mal dele. Acontece que toda família, como qualquer grupo, precisa de um bode expiatório. Precisa ter assunto, falar mal de alguém, necessariamente. Se ele manteve duas mulheres, o que mais me parece é que seja digno de pena. Eu disse pra ele, "Credo , tu tens 100 anos de relacionamento (hoje 50 com cada uma delas), 100 anos de vida afetiva. Só de te olhar eu já fico cansada. Não me admira teus problemas cardíacos. Eu já tinha tido um colapso."

Mas a verdade, que não pode ser dita de jeito nenhum no natal, é que minha é apaixonada pelo meu avô. Paciência, ninguém quer admitir isso. É isso que eu diria para ela "vozinha, apesar de tudo isso que vc falou dele agora, você ainda é louca por ele". O fato é que as duas são. Conheci a tal da amante e fiquei perplexa de como ela paparica o velho. E fiquei olhando pra ele e pensando, o que que esse cara tem?! Bom mas isso é outro papo.

Mas depois de tudo isso, que assisto e nada digo, me tranco no banheiro. Fico lá 30 minutos, respirando, meditando e tentando reencontrar o equilíbrio. Escuto as vozes, todos procurando, a dona da casa. O bom de família é que eles te conhecem. Sabem que eu me encontro lá, no banheiro, o único lugar seguro da casa. Esperando ansiosa e deprimida o fim da festa.

E que antes eu disfarçava a angustia assistindo o especial de natal, mas agora não cola mais. Da minha angustia nem Xuxa, nem Roberto Carlos me salvam. Esse ano vou tentar não me trancar no banheiro, prometi a minha mãe. Sei lá, vou ficar esperando Papai Noel na sala. E vai que ele vem?

Comentários

  1. Manda pra minha casa depois!!!

    Meus colapsos natalinos um dia também cairão na boca de alguém.

    Beijo (feliz natal!)

    ResponderExcluir
  2. Amei a história de seus avós! 100 anos de vida afetiva..., muito bom.
    Acho que o Natal é assim para todos nós, os normais!rs
    Um Natal suportável pra você minha querida!!
    bjo gde

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

É a vida!

Ser.

Árvores Floridas