Minha loucura,Gisele e os brotos de trevo..

Quer saber, eu não ando bem, cada vez mais estranha, cada vez pior.
Ou seria melhor? Não sei ao certo, mas também não importa.Nunca me importei.
Gisele diz que ninguém mais estranha minhas esquisitices. Disse sorrindo "tu sempre foi meio louquinha". Gisele tem o hábito de dizer sorrindo certas verdades ásperas, para logo ficar com ares sérios e pedir desculpas. "desculpa, sou tua amiga, tenho que te dizer". Olha Gisele, eu sei, sou esquisita mesmo, sempre fui e vez ou outra as pessoas me diziam isso. Algumas vezes isso era uma acusação, outras elogio, de qualquer forma nunca me importei muito. Vários dos meus colegas de mestrado me acusavam de loucura. G.B com frequência.
Na maioria das vezes minha loucura passa despercebida. Afinal de contas não me encaixo muito na figura da louca. Meu cabelo loiro me empurra mais para burrice, e meus decotes generosos distraem a torcida da maioria das minhas esquisitices. Afinal o que realmente não se perdoa, nesse nosso país machista, é a feiura. Loucura e derivados são melhor aceitos, só não pode ser feio e fedorento, porque ai tua loucura será encarcerada. O Brasil tá cheio de gente louca, em todas as áreas, em todas as classes e de todos os tamanhos, só não pode ser feio, pobre e fedorento, que ai você sabe, ninguém quer chegar perto.
Mas voltando a minha loucura. Bom estou péssima, mas de forma geral me divirto. Ainda.
Meus hábitos alimentares estão cada vez mais estranhos, e nas festas de família todo mundo fica me regulando. Na última aqui em casa tirei todas as salsichas do cachorro-quente, do meu claro, e coloquei brotos de trevo. Alguém já comeu brotos de trevo? Nossa é muito bom!
Tá mas até ai tudo bem.
Tenho outra mania péssima, que desenvolvi na 6a série. Mania do autodivertimento (é junto agora ou o divertimento pessoal é dividido?), bueno, não importa. Auto?divertimento é aquilo que faço nos meus dias de tédio. Geralmente imagino algo absurdo de ser dito, imagino a cena e me mato de rir. Outras vezes, nos dias crônicos, coloco em prática os absurdos. Por exemplo, a primeira vez que fui parada em uma barreira policial, veio o guarda todo sério pedir minha carteira e quando ele chegou eu disse pra ele "ai seu guarda, estou tão emocionada. Essa é minha primeira barreira policial, e a primeira blitz a gente nunca esquece"e outras coisinhas mais... Claro que o cara ficou perplexo me olhando sem conseguir dizer nada, e claro que quando sai dali me matei de rir. Alegrei meu dia, mas o fato é que nem eu sei porque faço essa coisas. É um péssimo hábito de ser engraçada, na linha do ridículo mesmo.
Minha última é que agora fico pensando palavras. Isso mesmo, tudo que termina com DOR e AÇÃO (Lacan iria me amar, mas isso já é outra história) dor e ação, doração, adoração...STOP!
Meu cérebro anda terrível. Dai fiquei em dúvida sobre uma palavra, "detrás", polêmica ninguém sabia se junto ou separado e lá fui eu para o dicionário. Ok, junto. E agora o que ando fazendo?? Lendo dicionário, claro! Isso é quase grave.
Sabe, eu só não quero ficar chata, mas louca eu não me importo muito. Me importo um pouco apenas pelos meus filhos, mas antes louca que deprimida. Eu digo isso sempre para o de 15 anos, mas pela cara que ele faz eu acho que ele preferia uma mãe mais deprimida.
Sei lá Gisele os caminhos que minha loucura me levarão. E não precisa pedir desculpas, tu sabes que eu sei dessas tuas "tais verdades que precisam ser ditas". Eu só queria mesmo que você fosse me visitar, bom você sabe. É que minha sanidade é inconstante, e que no fim das contas só faz sofrer a mim. Só te peço que não permita que eu ande feia por ai, ou deixe de usar meus perfumes, porque dai tu sabes, me excluem de vez e não poderei mais usar o computador ou enfeitar meu prato com brotos de trevo, que sempre me lembram espermatozóides ( procurem no mercado e vocês irão concordar comigo, verdes e grandes, mas espermatozóides). Enfim Gisele, era isso, tenha uma boa terça e saiba que amanhã estou na estrada, cantando e falando sozinha todo o trajeto.
Um beijo. Um não Gisele, dois beijos aquarianos em você.

Comentários

  1. Andréa,
    Onde andaria Andréa, em quantas capas se esconderia (lembra-se da estória de pele de asno?) e mimeticamente ressurgia como "outras", tantas que corrias o risco de te esqueceres de ti mesma no meio do caminho (te lembras da estória de João e Maria e da trilha das migalhas de pão?).
    Acordei e li teu recado para a tua Gisele e teu apontamento para a viagem das terça-feiras, onde, parece-me, vais ao encontro de alguma Andréa... cantando e falando sozinha, feito as loucas e os loucos. Que atire a primeira pedra quem...

    ResponderExcluir
  2. Acordamos. E eu perguntava, onde andaria Albano. Será que ainda me lê no café da manhã, na sua casa silenciosa, com suas cadelas e aquela linda paisagem? Eis que Albano me lê pela manhã. Ressurgimos de nossas tempestades. Naqueles dias escuros de chuva lembrava Clarice "levantando bela e forte como um cavalo novo", ou esse seria o Caio? Caio me diz sempre "calma,calma, vai passar, talvez não hoje e nem amanhã, mas ai passar".
    De qualquer forma, uma das Andréas, a que come trevos, está mais forte hoje. E mais maluca, mas tem amigos, então está feliz.
    Bom te encontrar aqui.
    Bjs.

    ResponderExcluir
  3. "De perto ninguém é normal".
    Eu acho, aliás, tenho quase certeza, q vc anda apaixonada. e a propósito, adoro comer trevos. desde criança (neste caso são os trevos, não os espermatozoides). E acho também que esse "detrás" disse muito mais do que você imagina.

    ResponderExcluir
  4. A paixão, assim como as certezas, tem muito da loucura.
    No texto alheio cada um lê o que pode, senhor anônimo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

É a vida!

Ser.

Árvores Floridas