Comunicação primeira


A lógica esmagando a sabedoria da comunicação primeira. Instintiva.
O bebe seguro no colo da mãe, que reconhece pelo cheiro.
Amadurecendo neste embalo de amor, que palavra não explica.
Inconsciente, é nutrido na comunicação primeira, dos sentidos.
Toque, cheiro, sons, no ritmo do coração.
Desaprendemos a sentir o mundo, buscando ansiosos entender através da lógica, que mutila.
Na experiência amorosa redescobrimos o valor desta comunicação primeira.
Lógica desnecessária aos amantes.
O mistério preservado no encontro.
A individualidade que mantém o encanto.
O importante é dito no silêncio.
Reconhecimento antigo.
O essencial visto de olhos fechados.
A distância que une e a intensidade que rompe os limites do tempo.
Mergulho profundo neste aroma,sons do coração.
Comunicação primeira.
Da mulher com seu amante.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

É a vida!

Ser.

Amores mortos