sexta-feira, 29 de maio de 2009

Primeiras experiências amorosas.



Segundo a psicanálise, as primeiras experiências amorosas são determinantes. Eu lembro claramente das minhas...

Este na foto ao lado foi meu primeiro namoradinho, o Chiquinho. Por influência dos adultos, ou enamoramento nosso, eu o Chiquinho, que éramos vizinhos, namoramos por um longo período.

O Chiquinho era um bom partido, apesar de não ter profissão, era gentil e simpático.

O irmão do Chiquinho namorava a minha irmã. A área de serviço da casa deles era de frente para nossa área. No verão tomávamos banho de tanque, nós duas no tanque de cá e os dois no tanque de lá.

Sorriamos, conversávamos, namorávamos a distância, cada um no seu tanque. Fui feliz com o Chiquinho e aprendi com ele uma lição básica, a distância é essencial para a saúde da relação.

Depois do Chiquinho veio o Márcio, também vizinho. Nosso romance não durou muito, tínhamos 5 anos. Um dia, enquanto brincávamos de esconder, o Márcio me perguntou:

_Tu toma mamadeira?

_Sim,respondi.

_Então não quero mais namorar contigo.

_Tá bom.

Assim, simples e fácil! O Márcio me ensinou que ser direto e franco quando alguém não preenche nossas expectativas facilita muito e torna os rompimentos bem menos traumáticos.

Eu preferi a mamadeira ao Márcio, ele não era culpado por isso, eu não era culpada, talvez a mamadeira fosse a culpada, mas o importante é que não culpei o Márcio por não me querer, sem drama, sem culpas, simples como uma mamazinho.

Depois do Chiquinho e do Márcio, é verdade que as coisas foram ficando menos simples. Aprendemos a complicar o simples na medida que crescemos, e a isso chamam maturidade.

Passei a fazer coisas estranhas, dizer o contrário do que queria e me comportar de forma contraditória,obrigando o sujeito a adivinhar meu desejo.

No jardim de infância brincávamos de pega-pega, descobri nesta época quão boa estrategista eu sou, quando tudo parece perdido eu encontro uma saída. Bom, no pega-pega, lembro bem, veio um menino de cada lado e eu estava embaixo do escorregador, eles vieram correndo, sorrindo perversamente com cara de já ganhei. Eu? Escapei rapidamente por baixo da estrutura! Eles acharam que ia ser fácil me pegar? De jeito nenhum. E o que aconteceu? Foram pegar as meninas mais fáceis e a esperta aqui ficou a ver navios...

Cresci, compliquei mais as coisas e, de tanto escapar, me tornei praticamente uma analfabeta emocional. Se hoje, intelectualmente estou a caminho do doutorado, emocionalmente não cheguei ainda ao ensino médio.

Mas sou uma aluna aplicada e resolvi resgatar as lições que aprendi com o Chiquinho e com o Márcio do meu baú de memórias afetivas. Como mulher e como terapeuta está é uma tarefa de que não posso me furtar.

A distância é sagrada, e não estou falando de distância física apenas, estou falando de espaço, individualidade. Cada um no seu quadrado. Isso mantêm o respeito, permite a gentileza e alimenta o erotismo.

Quanto a ser direta...isso passa pelo processo de autoconhecimento. Quando sabemos o que queremos, quando não esperamos que o outro nos salve de nossas culpas, nossas carências e de nosso vazio, as coisas tendem a ficar mais fáceis. É simples, porque se estamos mais tranquilos com isso, também não entraremos na furada de salvar ninguém. Cada um que se vire com o que é seu, o que não significa dizer que não apoiaremos o outro nos seus momentos de dor e angústia, quer dizer apenas, que não teremos a pretensão de salvá-lo.

O que você quer com o outro? E o que o outro pode te oferecer?

Relacionamento sério? Amorizade? Sexo? Colinho? Fantasia? Suporte?Derivados?

Se o que você quer fechar com o que o sujeito pode, então vai, se não troca de Chiquinho.Só não espere encontrar tudo isso com o mesmo sujeito. Não se iluda.

Desta forma, a distância imposta pelo tanque, se mantem naturalmente.

E por fim, não fuja quando quer ficar, diga o que você quer dizer, não faça o pobre mortal adivinhar o que você está pensando ou sentindo, provavelmente nem ele sabe o que está sentindo (lembre-se os homens são mais lentos nesse ponto).Espante a culpa, libere o corpo - Áh me empolguei agora- cante, conecte-se ao SEU desejo e beije, beije, beije.

E quando a coisa apertar, busque uma mamadeira ou tome um banho de tanque!

E beijos para o Chiquinho e para o Márcio, obrigada meninos.

P:S E meninos, azar o de vocês, não sabem o que perderam!

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Ana Bacana Carolina


Cabide

E se eu fingir e sair por ai na noitada
Me acabando de rir
E se eu disser que não digo, e não ligo, e que fico
E que só vou aprontar

É que eu sambo direitinho, assim bem miudinho,
Cê não sabe acompanhar
Vou arrancar sua saia e pôr no meu cabide só pra pendurar
Quero ver se você tem atitude
E se vai encarar
E se eu sumir dos lugares, dos bares, esquinas
E ninguém me encontrar
E se me virem sambando até de madrugada

E você for até lá
É que eu mando direitinho assim bem miudinho,
Sei que você vai gostar
Vou arrancar sua blusa e pôr no meu cabide só pra pendurar

Quero ver se você tem atitude e se vai me encarar
Chega de fazer fumaça, de contar vantagem
Quero ver chegar junto pra me juntar
Me fazer sentir mais viva

Me apertar o corpo e a alma
Me fazendo suar
Quero beijos sem tréguas
Quero sete mil léguas sem descansar

Quero ver se você tem atitude e se vai me encarar
Quero ver se você tem atitude e se vai me encarar.
Quero ver se você tem atitude e se vai me encarar.

quarta-feira, 27 de maio de 2009


Poema De E. E. Cummings

Eu gosto do seu corpo

Eu gosto do que ele faz

Eu gosto de como ele faz

Eu gosto de sentir as formas do seu corpo

Dos seus ossos

E de sentir o tremor firme e doce

De quando lhe beijo

E volto a beijar

E volto a beijar

E volto a beijar

Talvez tudo, talvez nada...


"Talvez um voltasse, talvez o outro fosse. Talvez um viajasse, talvez outro fugisse. Talvez trocassem cartas, telefonemas noturnos, dominicais, cristais e contas por sedex (...) talvez ficassem curados, ao mesmo tempo ou não. Talvez algum partisse, outro ficasse. Talvez um perdesse peso, o outro ficasse cego. Talvez não se vissem nunca mais, com olhos daqui pelo menos, talvez enlouquecessem de amor e mudassem um para a cidade do outro, ou viajassem junto para Paris (...) talvez um se matasse, o outro negativasse. Seqüestrados por um OVNI, mortos por bala perdida, quem sabe. Talvez tudo, talvez nada"


Caio Fernando Abreu

terça-feira, 26 de maio de 2009

Mulher-média!

Rodrigo Bocardi, a alegria da dona de casa!
Fábio Junior já era, a "pessoa" agora é o correspondente da Globo em Nova York...
Hehehe...

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Hoje eu quero alguma coisa doce
eu quero expectativas menos realistas
uma cabeça menos lógica...
*
Hoje eu quero afetos nobres
eu quero mais ingenuidade,
e uma noite cheia de estrelas...
*
Hoje eu quero um amor pra sempre
eu quero uma brisa leve,
um sorriso sincero.
*
Hoje eu quero um olhar profundo
eu quero um abraço intenso
e um encontro verdadeiro
*
Só por hoje quero afastar as dúvidas
diminuir o ritmo, esquecer o que ainda não chegou, sorrir para o que já passou...
*
Só por hoje não quero o sorriso irônico,
Nem a aridez da maturidade e minha língua afiada.
*
Quero sim, tecido francês, beijos longos, mergulhar no teu cheiro,fechar meus olhos...
Só por hoje voltar a acreditar...

sábado, 23 de maio de 2009

Filosofia Gabrielística

Em resposta ao GABRIEL...

Caro amigo,

Profunda sabedoria guarda o xadrez,vejamos o que aprendi sobre as situações humanas vivenciáveis, segundo a ...

Que o REI vive de aparências, não manda nada e só come para não ficar mal falado, já que está de BANDEJA e ele nem sequer consegue FUGIR com dignidade.

Que o PEÃO faz o tipo presidente do Paraguai, quando chega ao topo quer comer todo mundo.

Que a TORRE, pelo menos,tem a felicidade de ser COMIDA por alguém mais criativo.

Que o CAVALO,é um sujeito interessante pois te come em situações QUENTUCHAS,

Que a opção sexual do BISPO é duvidosa, e passa a vida sonhando em comer peões.

Da RAINHA, eu já sabia é ela que MANDA!!!!!

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Estratégias para caçar Leões...




Atendendo aos pedidos de minhas queridas amigas vou falar sobre as estratégias de caça.


E o pedido foi esse,direto: me ajude a caçar leões.
Eu, modéstia à parte, sou ótima estrategista e gosto de estudar os leões.
Tenho a meu favor a astrologia. Pra quem não sabe, sou aquariana, e portanto, meu signo oposto é Leão. Dizem os astrólogos que aquário e leão se atraem como imã, mas são opostos em tudo. Enfim, de leões eu entendo. Mas vamos as meninas...

Regra número 1: o primeiro ponto a ser investigado é se o leão em questão é realmente um leão.

Isso é básico, existem os Leões, cordeiros, gatinhos e dragões.

Os dragões, como já disse o Caio Fernando Abreu, não conhecem o paraíso.
São especiais, e isso você sente logo, na pele. Em relação aos dragões não há nada a ser feito. Nenhuma estratégia possível. "Para os dragões, nada mais inconcebível que dividir seu espaço - seja com outro dragão, seja com uma pessoa banal feito eu. Ou invulgar, como imagino que os outros devam ser. Eles são solitários". Irão marcar você para sempre. A única coisa que caberá a você escolher é se quando ele voltar, se voltar, depois de meses desaparecido, você irá ou não deixar que ele entre, para depois, mais uma vez, te abandonar. A boa, ou má notícia, é que os dragões são raros, e poucas de nós os encontraremos.

 
Os cordeiros.
 
Deste tipo a cidade está cheia. Típicos, disfarçados, são aquele tipo homem médio, galã das 20h.
Normalmente possuem um repertório de palavras sedutoras, mas vazias, e que costumam utilizar com você e com a torcida do flamengo. Se você estiver muito carente vai adorar ouvir o quanto você é especial, o quanto ele sente sua falta, blá,blá,blá.
A vantagem é que os cordeiros casam mais facilmente. A desvantagem é que você será inevitavelmente traída, e o pior, com aquele tipo mulher-média-carente que acredita que um dia ele irá lhe deixar. Áh e ela acredita também que ele te trai porque o casamento vai mal e vocês p.r.a.t.i.c.a.m.e.n.t.e não tem vida sexual. Mas se o seu objetivo for ter filho os cordeiros servem.


Os gatinhos, sendo breve, os gatinhos precisam crescer, portanto não espere muito deles. Não agora, pelo menos. Mas são ótimos para encontros relâmpagos, jogar papo fora, e animar seu dia de chuva. No entanto não perca o contato com os gatinhos, por que gatinhos um dia crescem...

 
Finalmente os Leões...
 
Espécie à parte. Exigem muito de quem os escolhe.
Os leões, não esqueçam, são Reis e não esperam nada menos do que isso de você, mas alto lá!
Os leões não suportam simples súditas, ele é um rei, portanto espera de você uma postura de rainha e uma rainha não se submete. Mas aqui está a questão, você vai ter que descobrir quem você é e o que quer dele. Como agradar sem se submeter...

Dica:deixe ele reinar em público, mas domine nos bastidores. No fundo esse é o sonho de todo leão, ser dominado. Se você for uma leoa, o jogo fica mais fácil, e você vai saborear cada lance.
Lembre-se caçar um leão é como jogar xadrez, você vai ter que estar atenta a cada jogada e mover uma peça de cada vez, devagar...Descobriu agora quem você está caçando?

É um leão legítimo?
 
Se sim, vamos as regras básicas.

1.mantenha sempre em mente que você está jogando.
*
2. Mais que básica, "a falta constitui o desejo". Portanto deixa o cara te desejar, não fica enchendo o sujeito de mensangens, e-mails, telefonemas! Lembre-se leões gostam de caçar e se você estiver no papo o leão vai procurar outra coisa para comer.
Já viram gatinhos brincando? Então eles adoram coisas que se movimentam, correm, etc. Essa é a lógica.
A estratégia? Bateu aquela louca vontade de cutucar o leão? Terapia,banho frio, melhor amiga, repetindo sempre, como um mantra, " a falta constitui o desejo".
*
3.A terceira regra é descobrir como o leãozinho funciona. O que o atrai e o que o afasta.
Pra isso fique atenta aos movimentos. Esse item exige um detalhado estudo do sujeito, frases, telefonemas, emails, suspiros, movimentos...
*
4. E brinque, por que uma leoa de verdade gosta de caçar, mesmo que às vezes perca a caça, pelo menos afiamos as unhas.

E a última questão, mas não menos importante, é que o leão costuma ter várias leoas em volta. Você está pronta para conviver com isso? Não caia no enorme erro de deixar o reinado subir a cabeça. Os leões sempre tem leoas escondidas, sempre. A alternativa é ser a leoa entre as leoas. Ruim? Nem tanto, se você for uma autentica leoa manterá as unhas sempre afiadas e ? Leões e gatinhos em volta...
 
É...não é fácil mesmo essa vida de savana...regras básicas meninas.
Estudos de caso só pessoalmente.


quarta-feira, 20 de maio de 2009

Encontro...


Jardim de letrinhas,
.
te puxo na vírgula,
.
me beijas no ponto.
.
carícias nas entre-linhas
.
e tuas reticências mordem...
.
seguimos perdidos,
.
no nosso jardim de letrinhas.



A.Beheregaray

Estou cansado, é claro,
Porque, a certa altura, a gente tem que estar cansado.
De que estou cansado, não sei:
De nada me serviria sabê-lo,
Pois o cansaço fica na mesma.

A ferida dói como dói
E não em função da causa que a produziu.
Sim, estou cansado,
E um pouco sorridente
De o cansaço ser só isto —
Uma vontade de sono no corpo,
Um desejo de não pensar na alma,
E por cima de tudo uma transparência lúcida
Do entendimento retrospectivo...

E a luxúria única de não ter já esperanças?
Sou inteligente; eis tudo.
Tenho visto muito e entendido muito o que tenho visto,
E há um certo prazer até no cansaço que isto nos dá,
Que afinal a cabeça sempre serve para qualquer coisa.


~* Álvaro de Campos *~

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Histórias curtas- Você chora??


Todo verão filhotes de pardaizinhos caem no meu pátio.
Desde os bem pequenos, que nem penas tem, até os mais gordinhos.
Durante este período, em que começam a treinar seus vôos, coloco todos em alerta, para me avisar assim que virem mais um acidentado.
Explico. Eles caem de uma altura muito grande, seus ninhos ficam no telhado do edifício. A maioria morre no choque, mas nem todos. No entanto a morte é certa.
Eu tenho horror de ver aqueles passarinhos machucados, morrendo aos poucos, atacados por dezenas de formigas assassinas. Deve doer muito morrer assim.
Então sempre vou buscá-los.
Trago para dentro de casa, coloco em uma gaiolinha, especialmente preparada para meus pardaizinhos, e cada um deles ganha um nome.
Aviso as crianças que ele vai morrer, no entanto vamos lhe dar uma morte digna.
A primeira vez que isso aconteceu cuidei de dois, Júlio César e Marco Antônio.
Cuidei um dia inteiro, dei água e comida, mas o Júlio César começou a morrer, foi respirando cada vez mais devagar. Nunca tinha visto nada morrer.
Ele estava na minha mão, meus três filhos ao lado.
Eles estavam chorando e eu também.
O passarinho morreu.Traumático.
Eu continuei chorando e eles não.
Silêncio ao meu lado. Quando olhei me deparei com os três estarrecidos.
Então um perguntou:
_Mãe tu chora???
Pois é, eu é que fiquei chocada.
Meus filhos nunca tinham me visto chorar??
Eu já tinha me visto chorar?? Não sei...
Me dei conta que choro muito pouco. Quase nunca. Só em TPM.
O que eu faço com minha tristeza? Faço silêncio.
Meus filhos, que bom, agora sabem que a mãe chora.
Antes tarde do que nunca.

quinta-feira, 14 de maio de 2009

"Rosa."

Arrasa!
O meu projeto de vida
Querida!
Estrela do meu caminho
Espinho!
Cravado em minha garganta
Garganta!
A santa!
Às vezes troca meu nome
E some!
E some!
Nas altas da madrugada...

A fada!
Acaba com a minha lira
A gira!
Esgota a minha laringe
Esfinge!
Devora a minha pessoa
À tôa!
À tôa!
Que coisa mais amorosa
A Rosa!
A Rosa!
E o meu projeto de vida
Bandida!
Cadê minha estrela guia?
Vadia!
Me esquece na noite escura
Mas jura!
Me jura!
Que um dia volta prá casa...

Demente!
Inventa cada carícia
Egípcia!
Me encontra e me vira a cara
Odara!
Gravou meu nome na blusa
Abusa!
E acusa!
Revista os bolsos da calça...

A falsa!
Limpou a minha carteira
Maneira!
Pagou a nossa despesa
Beleza!
Na hora do bom me deixa
Se queixa!
A gueixa!
Que coisa mais amorosa
A Rosa!

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Mulherzinha???









Está tudo aqui, um longo casamento, três filhos mais que amados, uma ótima empregada doméstica, de fazer inveja a vizinhança, casa decoradinha, carro desenhado para mães-mulheres-moderna, boa sogra, faculdade perfeita, trabalho que amo...
Nos ensinaram que isso era mais do que suficiente. Mas não é, não pra mim pelo menos.
Há sempre algo que falta...

Tenho amigas que roubariam para ter essas coisas. Maridinho, filhinho,casinha,empreguinho.
E não estou menosprezando isso tudo, que é muito e eu amo. Mas não basta.
Tenho uma amiga que se sentia muito infeliz por ser a única solteira da família (não percebia nos casados a mesma inveja por sua condição). Estava determinada a casar. Casou 4 meses depois de conhecer alguém. Essa era a grande meta da vida dela.

Eu sonhei que lhe apedrejava no dia do casamento. Só isso te basta??

Chá de fralda, chá de panela, reunião de mães na escola...aiaiaiai...
Momento bem mulherzinha, chega a me dar alergia!
Ser mãe, amamentar, cheirar bebê. Amo.
Arrumar casa, fazer comidinhas, ,,... Não gosto.
Eu,quando tive que fazer "trabalhos domésticos", fiz, quando precisei cozinhar,também, mas odeio!
Esses dias um amigo perguntou:
_Como é que tu conseguiu casar? Nem cozinhar tu sabe...
_Tenho outros dotes fulano, vários outros, tenho mestrado por exemplo.
O mundo é machista e preconceituoso. O casamento e a maternidade limitam a liberdade feminina. A dos homens também, mas de forma diferente.
Nós temos que administrar nosso desejo de liberdade e as necessidades físicas e emocionais de nossas crianças.
Os sutias foram queimados, mas a culpa permanece.
Temos também limitações físicas, que dependendo do contexto são deliciosas...
Mas, por exemplo, fica difícil participar de um protesto se estamos morrendo de medo que no confronto explodam nosso silicone, o que chova no meio da passeata e nossa chapinha vá para o bebeleu, junto com nossa maquiagem (nada mais fútil e mulherzinha que este parágrafo).
Quando fui para Itajaí,sozinha, sem conhecer ninguém, estava emocionada por estar trabalhando em uma situação de calamidade pública e passar as tardes no quartel, andar de viatura, etc, quando estava saindo,meu amigo Coronel disse:
_ Andréa, cuidado, esse tipo de situação pode ser perigosa para uma mulher sozinha.
Ai, pensei "Nossa é verdade, uma mulher sozinha..."
Mas estava indo como uma pessoa sozinha. Ai que saco.
O único inconveniente foi não poder usar salto.
Esses tempos me disseram que penso como um homem. Até agora não consegui formar uma opinião sobre essa fala.
Mas isso tudo é o de menos.
Já estou acostumada a ir ao cinema sozinha assistir filmes de guerra.
É engraçado, lembro desta percepção no filme "Falcão Negro em Perigo". Só tinha eu de mulher, o resto da turma eram todos homens, velhos.
Fui uma mulher realizada na minha vida passada. Quando fui membro da Resistência Francesa, lutei muito contra os Nazistas (esse trecho só entende quem conhece meus momentos esquizos).
Talvez seja culpa de meu pai. Depois da minha mana meu pai queria um menino. O Marcelo.
Estou eu aqui, "Andréa Marcelo Atena".
É talvez seja isso...mas não importa.

segunda-feira, 11 de maio de 2009

"Que seja doce"


' Não consigo mais aceitar relações pela metade. Em outras palavras, raspas e restos não me interessam. '
*
'...e só me puteio por te me enganado outra vez. Mas gosto de perceber que as dores são cada vez mais rapidamente superadas. '
*
"Cuidado com as ilusões, mocinha, profundas e enganosas feito o mar"
*
'Voragem, vórtice, vertigem: ego. Farpas e trapos. Quero um solo de guitarra rasgando a madrugada. Te espero aqui onde estou, abismo, no centro do furacão. Em movimento'
*
' Mas eu não quero ter vergonha de nada que eu seja capaz de sentir'
*
"Tinha começado a mentir, tão intensamente que talvez falasse a verdade."
*
Ou me quer e vem, ou não me quer e não vem. Mas me diga logo para que eu possa desocupar o coração. Avisei que não dou mais nenhum sinal de vida. e não darei. Não é mais possível. Não vou me alimentar de ilusões. Prefiro reconhecer com o máximo de tranquilidade possível que estou só do que ficar à mercê de visitas adiadas, encontros transferidos...”
*
"Não, não estou desesperada, não mais do que sempre estive, nothing special, baby, não estou nem louca nem bêbada, estou é lúcida pra caralho e sei claramente que não tenho nenhuma saída."
"Pelos movimentos de seus ombros, percebi que ela chorava. Abracei-a, então, e permanecemos juntos".
***
Caio Fernando Abreu

domingo, 10 de maio de 2009

Filho ou doutorado?



Estou com uma séria dúvida:

Faço um filho ou faço doutorado?

Preciso gerar algo de novo.

O que você acha?

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Dia da mães -


...Cartão do Leo.

Mãe
Você é muito legal e "tão" bem muito especial, você é minha luz do início ao fim.


Eu te amo do fundo do meu peito. Mãe quero que você seja muito feliz.
Leonardo.

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Culpa do judiciário!


Ando sem saco para coisa nenhuma. Antes eu era uma pessoa sociável e extrovertida, hoje sou educada.
Sem tesão algum para conhecer gente nova,papo de taxista ou disposição para conciliação, não quero interagir com ninguém.
Antipática, grossa, mal-educada...talvez? Não importa, eu prefiro dizer que estou econômica.
Estou me economizando e economizando o outro.
Esses dias minha vizinha de consultório queria discutir, brigar mesmo,sobre uma questão do estacionamento. Ela ficou falando, falando, falando...olhei pra ela e perguntei: Eu te conheço? Não, né? Então por favor não fala comigo. Ela tentou continuar, e fui mais firme, "Eu NÃO te conheço então NÃO fala comigo. Obrigada." Ela ficou lá parada, meio confusa me olhando.
.
Outro dia uma pessoa me disse
_ Oi!! Que saudade querida!! Penso tanto em ti.
Então perguntei:
_"sério,onde?"
_O que?
_A saudade?
_Como assim?
_Olha só, (economia... ) saudade tem a minha vó de mim, que vive me cobrando visita. Tu não fala comigo fazem 2 anos, nunca me ligou, mandou e-mail, sinal de fumaça, então me economiza. Felicidades!
.
Fui (tive que ir) em um jantar social esses dias. O anfitrião era uma pessoa de quem gosto muito, a comida, maravilhosa, porém eu não conhecia ninguém na tal da janta. E o que aconteceu? Fiquei 1 hora em absoluto silêncio, olhando para aquelas pessoas e pensando, olhando e pensando...Final trágico,levantei e fui embora, em silêncio.
.
Sim, sei que é muito radical, mas é assim e ponto!
Estou cansada de gente puxando papo, puxando saco, puxando, puxando...sei lá fico olhando e pensando "Mais alguma coisa fulano? Não?Então um passinho a frente, por favor."
.
Que não fiquem chateados meus amigos advogados, mas fiquei assim depois de conviver mais de perto no meio jurídico. Sim, sim...sei que não é só entre eles, mas acontece que foi com eles que presenciei as maiores hipocrisias...coisas do tipo um falando muito mal do outro, chamando de mau carater pra baixo, e depois, no outro dia presenciar cenas de "afeto profundo". Eu detesto o fulano, mas faço questão de ir "prestigiar" o lançamento do livro, do escritório,do sei lá o que...
.
Sei que isso faz parte de todos os ambientes em que poder e vaidade circulam juntos, mas também não precisa exagerar na apresentação do palestrante. Menos, bem menos.
Ou são uma turma com uma capacidade de cisão poderosa, ou lidam bem com conflitos,ou são uns hipócritas, ou eu é que sou louca!
.
Claro, sem generalizações.
Isso que meus amigos me dizem que conheço a parte menos hipócrita do judiciário.
Não que as psi se salvem, longe disso, elas(nós) só disfarçamos melhor e não exageramos tanto nos elogios.
.
É...acho que estou me tornando o que temia, uma velha rabugenta. Isso que não estou em TPM, imagina se estivesse...
Chamo isso de seletividade, economia, aprofundamento, ao invés de expansão dos contatos...quem eu conheço quero conhecer melhor, mas não quero colar nada,quebrou,quebrou nem vamos perder tempo explicando.
Quem não conheço,não tenho interesse nenhum em conhecer.
Se não tens nada de útil pra falar, não fala...e ponto final.
.
Credo, até eu me espanto!
Mas é isso, por hoje, amanhã,se fizer sol,pode ser que isso mude,mas não garanto nada.

Não me provoque, tenho armas escondidas.

Não me manipule, nasci para ser livre.

Não me engane, posso não resistir.

Não grite, tenho o péssimo hábito de revidar.

Não me magoe, meu coração já tem muitas mágoas.

Não me deixe ir, posso nunca mais voltar.

Não me deixe só, tenho medo da escuridão.

Não me tente contrariar, tenho palavras que machucam.

Não me decepcione, nem sempre consigo perdoar.

Não espere me perder para sentir minha falta!

.

.

Clarice Lispector

segunda-feira, 4 de maio de 2009

E o que não pode ser dito...



cabe aqui,

entre o colinho.........................................e o cafuné.

Pink, Cérebro e Galáxia...

Depois de janeiro...bom, depois de janeiro, decidi que queria só amigas com capacidade de abstrair...

Tenho 3 boas amigas e cada uma sabe um lado meu. Pink, Cérebro e Galáxia, todas psicólogas com privilegiada capacidade de abstração, ação e emoção. São as únicas pessoas que conheço que conseguem transformar uma frase em 3 longas horas de análise. Sim, nos dê uma única frase e entramos a madrugada!




Pink não pode ser mais eu, no que é doce e no que é ácido. Adoro estar com ela. Horas e horas de risadas e lágrimas. Me sinto completamente à vontade na minha presença, quer dizer, na presença dela.
Revelador e libertador estar com alguém e poder ser o que somos...com a Pink é assim. Sempre que nos despedimos, choramos...é difícil, eu sei, queríamos mais vezes nossa cumplicidade.
A Pink sempre ri do meu puritanismo...rsrsrs...sim, cabemos as duas nesta palavra. Temos uma única diferença, a Pink pouco se enxerga. Eu não, já tenho mais consciência da minha força e das minhas potencialidades, ela ainda tem dúvidas sobre as dela. Eu não tenho nenhuma, acho ela muito forte, inteligente, profunda. Pink, não ri de mim!


A Cérebro, portadora de olhos poderosos, é pura melancolia e silêncio. Rica, rica, rica...por que o que nos atormenta também é o que nos enriquece. Com ela é assim, e ela, claro, sofre. Me diz que as pessoas se perturbam com a presença dela. Eu não, apesar dos olhos também serem um tanto críticos, ela não me perturba em nada.
Constante e profunda olha para tudo de forma minuciosa. Quando preciso entender, para além do que está posto, é para ela que corro. E ela é ótima, certeira. Eu me alimento da melancolia dela, e ela se alimenta do quê? Vejamos, quando ela tem que passar para ação e fazer alguma "maldade", me conta sorrindo e diz: "sabia que entenderia".



A Galáxia, ah, a Galáxia...encontro de almas purpurinadas, intensas, inconscientes e corajosas. É isso que somos juntas. Por que eu e a Galáxia somos JUNTAS, sempre. Não existe um eu e um ela.
Galáxia tem uma inteligência brilhante e desordenada, que luta para entrar nos trilhos. É tanta energia que, as vezes, disfarça ser um Ka velho, para não assustar, esconde a BMW que é.
Na nossa última viagem especial, discursei longas horas sobre o poder das reticências...RETICÊNCIAS GALÁXIA, NÃO ESQUECE!
Galáxia vai me levar para Paris, prometeu. Marcamos uma noite e vinho, frio e sonhos. O único perigo é não voltarmos...

Pink, Cérebro e Galáxia são minhas flores, meninas super-fálicas, e abstraem, abstraem sempre!
Cada uma delas sabe um lado meu.

50 receitas



Já ouvi 50 receitas pra te esquecer...

que só me lembram que nada vai resolver...

domingo, 3 de maio de 2009


O pudor é a mais afrodisíaca das virtudes.


Nelson Rodrigues


Porque não chega a ser tristeza. É um destes sentimentos mornos e lentos que vão enchendo o peito e acabam transbordando pelos olhos...

Deletando pessoas...



Faz tempo tomei uma decisão,

só quero amigos com capacidade de abstração!

sábado, 2 de maio de 2009

SALVADOR PUIG ANTICH



Acabei de assistir este filme emocionante, que conta a história real de SALVADOR PUIG ANTICH, jovem catalão que lutou contra a Ditadura de Franco-Espanha.
Foi um daqueles filmes que me causam grande emoção, termino aos prantos, e sempre com a certeza que este tipo de pessoa não pode ser esquecida.
Salvador foi executado em 1974 de forma cruel, pelo método do garrote, após um julgamento forjado. O filme vale ainda pela luta do advogado de Salvador, Ariel e pela relação de amizade que nasce entre Salvador e um guarda da prisão.
Até hoje a família Puig luta para modificar o processo.
Vale muito, assistam!!!!

E SALVE SALVA!!!

" Há um olhar que sabe discenir o certo do errado e o errado do certo.Há um olhar que enxerga quando a obediência significa desrespeito e a desobediência representa respeito.Há um olhar que reconhece os curtos caminhos longos e os longos caminhos curtos.Há um olhar que desnuda, que não hesita em afirmar que existem fidelidades perversas e traições de grande lealdade.Este é o olhar da alma".
(Nilton Bonder)

Burguesia francesa...




"O que chamamos de amor é apenas o álibe consolador da união de uma puta com um perveso"

A gente procura o amor, acha que encontrou. Depois vem a queda. De muito alto. É melhor cair do que ficar sempre no chão?"

Lolita Pille.

Reticências...


são o espaço da imaginação

Quarentena...



.
.
.
com o conta-DOR ligado.
.
.
.
por que existem momentos em que o melhor é...
.
puxar o freio do coração.

sexta-feira, 1 de maio de 2009

TPM


Textos que estavam no armário, escritos em dias de TPM.


Sou alguém que dorme tarde, muito tarde e acorda mais tarde ainda, e isso desde pequeninha. Também tenho um naná e quase nunca troco minha fronha, posso dormir com ele por 14 horas seguidas.Amo café, sushi e picolé de uva, não gosto muito de carne, e jamais comeria língua e "mondongo"! Não tenho religião...tenho certeza, no entanto, que em algum lugar sou Judia. Não acredito em espíritos, mas não durmo no escuro. Impulsiva, temperamental e muito raivosa, meu sangue é Basko. Provavelmente já briguei com você, fiz as pazes sem que nunca tenhas tido conhecimento disto.Quando estou triste gosto de ir para o sol, mas poucas vezes fico assim...a felicidade é um dom que eu tenho mim.Amo poesia!São como bolhas de sabão e borboletas coloridas, traduzem o infinito.As vezes, amo as pessoas profundamente, mas dificilmente vou lhes dizer isso, ser rosa é novidade. Também tenho aprendido a ser silenciosa e solitária. Tão intensa que me torno insuportável!Ah se pudesse fugir de mim nesses momentos roxos...intensidade assusta em tempos de purpurina.Balzaquiana e corajosa ando cheirosa e arrumada, mas nem sempre foi assim...já fui maloqueira...nessa época tomei banho de bixiguinha, andei de skate, fugi de casa, matei aula para comer amora e briguei na rua com dois meninos, tive amizades que achei que durariam para sempre, mas descobri que pra sempre é muito tempo, e o que existe é o agora. Não gosto de olhar para o passado e o futuro não me pertence. No entanto adoro metas, de curto, médio e longo prazo. Metas e estratégias...pensar, conversar, estudar e conhecer "já não tenho mais a tranquilidade da ignorância".Nos dias coloridos adoro estar entre amigos, mas odeio quando os amigos só me participam os dias sombrios e somem, para depois retornar em dias tristes. Não lhes dou uma segunda chance de fazerem isso...amizade tem mão dupla é troca, fluxo...não deveríamos lembrar da pessoas apenas em tempos de necessidade. Por longos dias não acredito no amor, nas pessoas, e penso que tudo é uma grande sacanagem. Em dias raros tenho certeza que em algum lugar a alma gêmea existe! A maior parte do tempo sou amável, mas capaz de terríveis ataques de raiva sem nenhum sentido aparente.Choro pouco (quase nunca), prefiro vingança e pimenta, Poucas vezes amei profundamente...e talvez nunca tenha sido verdadeiramente amada... tenho medo de virar uma velha rabugenta, odeio que me cutuquem ou me apertem... Construi minha biblioteca, coleciono livros, bonecas e alguns mortos...Falo a verdade quase sempre, sou extremamente fiel as minhas amizades, não gosto de joguinhos, mas gosto do poder, tenho ataques de sinceridade e sou muito impaciente. Quando pequena queria ser a Mulher Maravilha, depois a Keith Marronei, quando me formei queria andar armada...hoje? Ainda quero ser todas elas...Fundamentalmente instável...amanhã posso não estar mais aqui.

CAIO FERNANDO ABREU

"Prefiro reconhecer com o máximo de tranquilidade possível que estou só do que ficar à mercê de visitas adiadas, encontros transferidos. ...."

"Alguma coisa em mim-e pode-se chamar isso de "amadurecimento" ou "encaretamento" ou até mesmo "desilusão" ou "emburrecimento"-simplesmente andou, entendeu?Desisti de achar que o príncipe vai achar o sapatinho (ou sapatão) que perdi nas escadarias.Não sinto mais impulsos amorosos.Posso sentir impulsos afetivos, ou eróticos- mas amorosos, sinceramente, há muito tempo.É estranho, e não me parece falso, mas ao contrário: normal.Era assim que deveria ter sido desde sempre.E não se trata de evitar a dor, é que esse tipo de dor é inútil, é burra, é apego à matéria."

"Não queria, desde o começo eu não quis. Desde que senti que ia cair e me quebrar inteiro na queda para depois restar incompleto, destruído talvez,as mãos desertas, o corpo lasso. Fugi. Eu não buscaria porque conhecia a queda, porque já caíra muitas vezes, e em cada vez restara mais morto, maisindefinido -e seria preciso reestruturar verdades, seria preciso ir construindo tudo aos poucos, eu temia que meus instrumentos se revelassem precários, e que nada eu pudesse fazer além de ceder. Mas no meio da fuga, você aconteceu. Foi você, não eu, quem buscou. Mas o dilaceramento foi só meu, como só meu foi o desespero."

"Porque você não pode voltar atrás no que vê. Você pode se recusar a ver, o tempo que quiser: até o fim de sua maldita vida, você pode recusar, sem necessidade de rever seus mitos ou movimentar-se de seu lugarzinho confortável. Mas a partir do momento em que você vê, mesmo involuntariamente, você está perdido: as coisas não voltarão a ser mais as mesmas e você próprio já não será o mesmo."
"Ela sabia o que era o desejo - embora não soubesse que sabia. Era assim: ficava faminta mas não de comida, era um gosto meio doloroso que subia do baixo-ventre e arrepiava o bico dos seios e os braços vazios sem abraço. Tornava-se toda dramática e viver doía." C.L

Clariceando...

'Que vontade de fazer uma coisa errada. O erro é apaixonante. Vou pecar. Vou confessar uma coisa; às vezes, só por brincadeira, minto. Não sou nada do que vocês pensam. Mas respeito a veracidade: sou pura de pecados.'

CL - Um Sopro de Vida (Pulsações).


Só uma coisa a favor de mim eu posso dizer: nunca feri de propósito. E também me dói quando percebo que feri. Mas tantos defeitos tenho. Sou inquieta, ciumenta, áspera, desesperançosa. Embora amor dentro de mim eu tenha. Só que não sei usar amor: às vezes parecem farpas. Quando o amor é grande demais torna-se inútil: já não é mais aplicável, e nem a pessoa amada tem a capacidade de receber tanto. Fico perplexa como uma criança ao notar que mesmo no amor tem-se que ter bom senso e senso de medida. Ah, a vida dos sentimentos é extremamente burguesa.

“Só depois é que eu ia entender: o que parece falta de sentido – é o sentido. Todo momento de “falta de sentido” é exatamente a assustadora certeza de que ali há o sentido, e que não somente eu não alcanço, como não quero porque não tenho garantias”.

A Paixão Segundo G.H