DISCUTINDO A RELAÇÃO in Vídeo!

Loading...

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Blábláblá...




É tempo de prostituir a poesia, 
a música, a filosofia
tempo de atrofiar o pensamento
em drops de frases curtas
de gente que tem preguiça
de pensar.

É tempo de banalizar as palavras
em trocadilhos baratos
que se pretendem Pessoa, 
Quintana, Hilda Hist
e que não são mais que nada
poesia ruim, frase de efeito, 
plágio, raso, autoajuda, blábláblá. 

É tempo música enlatada
de melodias esvaziadas
canções sem poesia
essência, melancolia
música de cofrinho
feita para faturar
pra não durar
e entupir.

É tempo de enlouquecer os filósofos
perverter o pensamento
em trechos curtos, virtuais 
filosofia em frases curtas
para sábios que nunca leram
livro algum 
drops de autoajuda
pensamentos de amor infinito
e baboseiras romanticas
de salvação, 
De negação 
do que humano
e da sombra, sua potencia 
suas verdades, sua violência e suas
mentitras
tempo de moralismo barato
deuses raivosos e homofóbicos
que faturam alto para abrir as portas do céu 

Tempo de falcatrua
de gente que se apropria 
de frases e pensamentos
muda duas, três palavras 
assina o plágio sobre juramento
de pura sabedoria
de que aquele pensamento lhe pertenceu
  
É tempo de bláblábláblá
muita letra dizendo nada
Na nau dos desesperados
que insistem em se agarrar
em bóias de faz de conta
e pensamentos de bom dia positivos
na negativa do enfrantamento
do autoconhecimento
na preguiça de pensar.

É tempo de blábláblá, 
de atrofia
palavras vazias
burburinho
De gente que diz muito 
sem ter nada a dizer
É tempo de manada
e pensamentos mortos.

Andréa Beheregaray.
   

Não haja como se eu não tivesse lutado por você. Eu lutei, muito e por muito tempo, perdoe-me se agora estou cansada.




— Blair Waldorf

terça-feira, 18 de agosto de 2015

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Gente orgulhosa não consegue amar.





Gente orgulhosa não consegue amar.
Ficam lá, encastelados no alto de suas razões, aprisionados em seus fantasmas de baixa autoestima e rejeição, seu temor de ser menos.
Por isso não voltam atrás, por isso não pedem desculpas, por isso se recusam a enxergar e assumir seus erros. Confundem posturas reparatórias com admissão de fraqueza, menos valia, fracasso. Não enxergam grandeza nenhuma em assumir seus equívocos, perdendo assim a chance de aprender com a experiência.
Gente orgulhosa faz naufragar uma a uma possibilidades valiosas de amor. Deixam escapar, entre os punhos fechados e suas convicções infantis,pessoas bacanas que partem simplesmente porque o amor não convive ao lado do orgulho. O amor não trava guerras para ter razão, nem se interessa em lutar pela última palavra.
O amor tem pressa. não perde tempo com bobagens, nem briga por pequenas coisas.O amor sem orgulho é amor objetivo, vai direto aos fatos, ao gesto, aos atos. Sempre ansioso em reparar para ir em busca do que interessa, mais amor.
Já dizia o poema, quem não sai de si não pode amar, e nada mais aprisionante em si mesmo do que o orgulho, nada mais estreito e solitário que o orgulho.
Sair de si, olhar para o outro, reconhecer a insignificância dos erros. Curar a ferida de menos valia que os Narcisos orgulhosos e autosuficientes teimam em disfarçar. Para ser mais e ser amor.
Porque gente orgulhosa não consegue amar. Morre só num mar de orgulho e solidão. Com o coração seco numa mão, na outra sua descabida e triste razão.

Andréa Beheregaray

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Processo Penal e Política Criminal - Gabriel Divan.


Foi um prazer participar deste 'teaser' super bem produzido 
Emoticon wink
Processo Penal e Política Criminal de Gabriel Divan
Muito orgulho desse meu amigo 


Link do vídeo de divulgação  

Com a palavra, Gabriel...

É com imenso orgulho que eu e anuncio que meu segundo livro, "Processo Penal e Política Criminal - Uma reconfiguração da Justa Causa para a ação Penal" já está à venda, no site da Editora Elegantia Juris e nas melhores livrarias do ramo.
Eu poderia ficar aqui falando interminavelmente sobre a obra (que tem prefácios de Juarez Cirino Dos Santos e Rubens Casara ), sobre o que ela contém, sobre o seu sumário, sobre qual o "espírito" que ela carrega.
Mas eu prefiro deixar essa tarefa para uma série de pessoas muito mais talentosas e fotogênicas! Em uma produção da Cartel Filmes fiquem com um pouco do que o livro traz consigo, nas palavras de:
A partir do dia 31/07 no meu novo site ( http://gabrieldivan.com ) o livro também estará disponível GRATUITAMENTE para download. Não precisa 'piratear' a obra: ela JÁ NASCEU PIRATA. Mais do que 'curtir' - compartilhe!
Seja a mudança que você quer ver no mundo e supra você mesmo o que está faltando!

terça-feira, 21 de julho de 2015

Sobre fogueiras e bruxas e o mendo do feminino.


Em outros tempos não tenho dúvida sobre meu destino.
Porque pensar é pecado.
Mostrar o que se quer esconder é perigoso.
Ser quem se é, também!

Um salve as bruxas modernas!


Emoticon wink



segunda-feira, 20 de julho de 2015

Onze e trinta.

Não cante
Não me desencante
Mais.
Nem esquente,
não tente
seguir mentindo
brincando
fingindo.

Siga em frente
Por que eu
não mais estou
Já  fui
paguei o preço 
que tu dizias
Que por amor
pagaria.

Foi muito alto
foi só meu
quem pagou
foi eu
e não você.

Então não
me condene
por não mais
querer 
não me condene
por te condenar
por me contar
meias verdades
para esconder
teu descaso
tua covardia

Deixa estar
deixar de amar 
é diferente 
de devastar
Deixar de amar
às onze e trinta 
e ao meio dia
um outro olhar.  
Deixar de amar
sem fins covardes
assépticos, vazios.
Deixar de amar
com integridade 
com outro tom.

Então eu vi
Sempre te soube
Te conheci
Na exata hora 
em que te vi partir

E eu?  
Que me foda,
Me cuide
E me alimente
E você?
Vá em frente
sem a culpa que você não sente
leve todo seu desamor
e não olhe mais para trás.



Andréa Beheregaray.




Dia do amigo :)